Mensagens de Decepção Amorosa

Encontradas mais de 38 Mensagens de Decepção Amorosa:

Nunca vou Esquecer

Nunca vou esquecer tudo o que o teu amor fez na minha vida.

Eu já enfrentei muitas desilusões, aguentei a dor e saí vitorioso. Nunca me considerei fraco, mas hoje eu sei que eu sou ainda mais forte porque você está comigo.

A minha existência só começou a fazer sentido quando segurei a tua mão pela primeira vez. Só senti a verdadeira felicidade quando os nossos lábios se tocaram.

Você é a parte que faltava e que me completou, a melodia que inspira a minha vida.

Mesmo quando as palavras falharem, espero que os meus olhos consigam mostrar todo o amor que eu sinto por você, que inunda a minha alma e que faz de mim a pessoa mais realizada do mundo.

Postar no Facebook
A Vida é Muito para Ser Insignificante

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
Tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso,
Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
Já dei risada quando não podia,
Já fiz amigos eternos,
Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado,
Já fui amado e não soube amar.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
Já vivi de amor e fiz juras eternas, mas "quebrei a cara" muitas vezes!
Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
Já liguei só pra escutar uma voz,
Já me apaixonei por um sorriso,

Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e......tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo) Mas sobrevivi!

E ainda vivo!
Não passo pela vida...
e você também não deveria passar. Viva!

Bom mesmo é ir a luta com determinação,
Abraçar a vida e viver com paixão,
Perder com classe e vencer com ousadia,
Porque o mundo pertence a quem se atreve
e A VIDA É MUITO para ser insignificante.

(Charles Chaplin)

Postar no Facebook
Quando Me Amei de Verdade

Quando me amei de verdade,
pude compreender
que em qualquer circunstância,
eu estava no lugar certo,
na hora certa.
Então pude relaxar.

Quando me amei de verdade,
pude perceber que o
sofrimento emocional é um sinal
de que estou indo contra a minha verdade.

Quando me amei de verdade,
parei de desejar que a minha vida
fosse diferente e comecei a ver
que tudo o que acontece contribui
para o meu crescimento.

Quando me amei de verdade,
comecei a perceber como
é ofensivo tentar forçar alguma coisa
ou alguém que ainda não está preparado
- inclusive eu mesma.

Quando me amei de verdade,
comecei a me livrar de tudo
que não fosse saudável.
Isso quer dizer: pessoas, tarefas,
crenças e - qualquer coisa que
me pusesse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoismo.
Mas hoje eu sei que é amor-próprio.

Quando me amei de verdade,
deixei de temer meu tempo livre
e desisti de fazer planos.
Hoje faço o que acho certo
e no meu próprio ritmo.
Como isso é bom!

Quando me amei de verdade,
desisti de querer ter sempre razão,
e com isso errei muito menos vezes.

Quando me amei de verdade,
desisti de ficar revivendo o passado
e de me preocupar com o futuro.
Isso me mantém no presente,
que é onde a vida acontece.

Quando me amei de verdade,
percebi que a minha mente
pode me atormentar e me decepcionar.
Mas quando eu a coloco
a serviço do meu coração,
ela se torna uma grande e valiosa aliada.

(Kim McMillen)

Postar no Facebook
Vai Lágrima!

Há sempre uma lágrima escondida
Aquela que ficou por sair
Quando me vi partir
Dos sonhos de criança
E deixei atrás a esperança
Que em tempos guardei!
Aquela que não saiu
Quando me vi perdida
No meio da desilusão
Em que acordei!
Aquela que ficou retida
Quando me vi seguida
Pela realidade
Aquela que...jà nem sei...
Tantas vezes segurei
Em momentos de solidão
Em momentos de dor
Em momentos de amor
Agora digo: Vai, lágrima!
Deixa-me chorar a dor
Agora quero sentir o amor.

Postar no Facebook
Amor e Meio

Ai, o amor de sempre.
Os mesmos efeitos colaterais
Os mesmos rompantes tardes.
Um foco que em todos arde
Dor que dói e a gente ver
Uma calmaria assolada
Com os danos à nosso sentido.
Amor, desnecessária espera
E dos mesmos a desesperança.
Aquilo do que se diz:
Quem planta, mal apanha
Ou leva o que não apanhou
Ou não apanhou o que levou.
Amor, essa confusão,
Um chega e sai,
Ao redor das brasas
Um posto de gás incendiado
Das bombas a ameaçar da rua.
E quem assegura que o amor
Repõe danos, que se está assegurado
Quem lucre com seu dissipar.
Ai, o amor elevado sentimento
movimento em trocadilho
A batida dos pratos no apogeu da filarmônica
Desnecessário, mas que, se não fosse
Desmembraria a vida corriqueira
No rumo das manhãs.

Até amanhã, ilusões, até amanhã!
Decepção, depois se vê!

(Naeno Rocha)

Postar no Facebook
Parabéns pelos 15 Anos

FELIZ ANIVERSÁRIO...
Celebra a alegria de fazer anos de esperança.
Conta teus anos não pelo tempo,
mas pelo espaço que fazes em teu coração.
Não pela amargura de uma dor,
mas pela ressurreição que ela traz.
Não pelo número de troféus de tuas conquistas,
mas pelo gosto de aventura de tuas buscas.
Não pelas vezes que chegaste,
mas pelas vezes que tiveste coragem de partir.
Não pelos frutos que colheste,
mas pelo terreno que preparaste
e as sementes que lançaste.
Não pela quantidade dos que te amam,
mas pela medida de teu coração
capaz de amar a todos.
Não pelas desilusões que tiveste,
mas pela esperança que infundiste.
Não pelos 15 ANOS que fazes,
mas por aquilo que fazes em teus anos.
Não pelas vezes que celebraste aniversário,
mas pelas vezes que teu aniversário
se tornou uma celebração de vida.
Com todo meu carinho...
FELICIDADES, SUCESSO, SAÚDE E MUITO AMOR, HOJE E SEMPRE !

Postar no Facebook
Quando se perde um Grande Amor

É tão difícil compreender as emoções quando se rompe uma relação. Às vezes, temos certeza que tudo passou e de repente tudo volta. Como definir se o que sentimos é amor ou não é? Se é saudade ou solidão? Tristeza ou decepção? Posse ou desejo? Perda. Quando se perde um grande amor, muitas dúvidas emergem sob o fundo do sofrimento. Para alguns é um momento de intenso crescimento. Muito se pode aprender, uma aprendizagem que nos faz humildes diante da própria fragilidade.

Deparamo-nos com o que é a dor, a impotência diante dos sentimentos, a paciência necessária para esperar passar, pois a dor de amor não passa na velocidade da net, do gigas, dos chips, e o tempo que isso leva é indeterminado, é pessoal e singular.

Aceitar os altos e baixos, os enganos, os tropeços, as dúvidas, a falta de controle. Aceitar a não certeza, o não acesso ao que o outro sente e pensa, a incoerência do humano, a fraqueza, o medo, a culpa, o erro que não tem concerto, a marca da mentira e o que fazer com tudo isso?

O tempo não volta e as coisas não se apagam, por amor que tentamos, mas nada vai permanecer do jeito que está. A incerteza do futuro corrói, o medo do que virá, a ansiedade pelo novo e desconhecido, a prisão do passado, do familiar, que falta faz, será abstinência? Temos sim abstinência do outro a quem amamos e perdemos, somos forçados a esquecer quando ainda, ainda não estávamos preparados.

O choro que insiste em voltar, a vida que segue, e o tempo que insiste em passar, a confusão que não consegue chegar ao fim, tempos distintos, tempos diversos, tempo de cada um. Amor perdido, amor doído, amor esquecido, quando? Quando você está preparado para correr o risco de passar por tudo isso de novo e lembrar da abundância de felicidade num coração que ama, e é também amado...

(Priscila Lima e Melissa Coutinho)
(Terapiólogas)

Postar no Facebook
A tristeza transborda...

Ah! A tristeza me consome. Hoje me peguei tantas vezes pensando em ti, por que? Por que? Por que tanta dor, tanto sofrimento? Sinto tanta falta dos seus beijos, dos seus abraços, mas sei que não será mais possível tocar em sua boca e sentir o calor do seu corpo. Ah! Como eu queria agora mesmo arrancá-lo do meu coração e da minha mente, mas eu não consigo! Não posso... Por que, por que fizeste isso comigo? Por que fizeste isso conosco, poderíamos ter vivido algo tão bonito, mas não preferiste me trair... Trair o meu amor, a minha confiança... Trair tudo, tudo que passamos juntos, trair cada dia e cada minuto que passei pensando em ti. E ainda me traiu com as palavras, com mentiras, isso sim... Isso é imperdoável. Mentiu! Me disse que não me trairia, que não me traiu; e é isso, é isso que mais me doe, que mais me faz não conseguir te perdoar. Cobraste uma confiança de mim, que não podia ter cobrado, afinal você não me deste motivo para confiar, pelo contrário quando confiei em você, você me decepcionou, abusou de minha confiança, usou-a a seu favor. E eu não posso te perdoar, está tudo acabado, tudo! Mesmo assim a única coisa que me arrependo de ter feito, foi de ter gostado tanto de você. Não me arrependo de ter confiado em você, como não me arrependeria de ter confiado em qualquer outra pessoa. A única coisa que me faz ter pena de você, é que você... Você que se acha tão adulto e crescido ainda não tenha aprendido a respeitar a confiança que os outros depositam em você; pois no dia que isso acontecer você será feliz... E também fará os outros felizes, principalmente a mulher que você gostar. Agora, a única coisa que posso fazer é rezar.

Postar no Facebook
Retrato

Podem passar muitos anos
Que jamais podem vencer
Nunca tive desenganos
E nunca vou ter esquecer
Apenas esta saudades
Que dentro de mim ficou
Marcando está verdade
O amor que não findou
Eu não carrego amarguras
Pois nessa recordação
Eu só carrego ternuras
Que trago no coração
Mais tenho um gesto tão grato
Que te vejo tão presente
E olhando o teu retrato
Eu te beijo, e sigo em frente!

Postar no Facebook
Bater do Coração

Como descrever um sentimento mais brilhante que o sol?
Como falar de um amor mais forte do que a própria morte?

Você eliminou a escuridão dentro de mim, venceu o meu medo, abriu os meus olhos para que eu pudesse ver a beleza da vida...

Antes de te conhecer, eu morria um pouco a cada dia, a cada desgosto, a cada desilusão. Mas quando você entrou em minha vida, foi como se eu tivesse ressuscitado. Você me deu uma vida nova, com cores que eu nunca tinha visto.

Agora tudo é mais bonito, mais alegre, mais especial. Tudo porque você mudou o meu mundo.

No nosso aniversário de namoro, gostava de poder retribuir tudo aquilo que você me faz sentir. Quando você estiver nos meus braços e as minhas palavras falharem, espero que o bater do meu coração consiga transmitir o amor inabalável que eu sinto por você.

Parabéns a nós!

Postar no Facebook
Infiel

Espero Você...
Sempre Te Espero...
Durmo...
E Não Chegas...
Fico Alimentando Esse Amor Verdadeiro E Infinito.
Com Esperança De Viveres Só Comigo.
Vida Desgraçada, Coração Despedaçado, Amor Descontrolado...
Esperança Alimentada.
Choro...
Desilusão
Céu Negro De Tanta Paixão Alimentada.Dor Infinita
Fina Que Corre Meu Corpo
A Espera Me Alucina.
Tremor No Corpo...
Esse Amor Me Domina.Meu Anjo Infiel...
Que Não Me Deixa Partir...
Dizendo Que Não Vive Sem Mim.
Abraça-Me....
Beija-Me Deixando Sem Forças...
Sem Coragem De Lutar...
Sofrimentos...
Só Sei Te Amar.
Adoro Quando Me Pegas, E Fazes De Mim Uma Mulher Amada E Desejada, Me Fazendo Carinhos...Carícias....Beijando-Me Ardentemente...
Pegando Meus Seios Com Tua Boca...
Gemidos Altos Fogem Descontrolados
...Sussurros Selvagens..........É Gostoso E Indefinidamente Sem Explicações ...Fazer Amor Contigo É Estar No Paraíso....
É Gozar No Céu.....
É Morrer De Prazer.
No Inferno.
Ficas Só Comigo Pois Sou Só Tua Maldito!
Anjo Infiel.Te Amo Eternamente.

Postar no Facebook
Despedida

Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão,
deixo o mar bravo e o céu tranquilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces? - me perguntarão.
- Por não ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras? Tudo. Que desejas? - Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação...
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!
Estandarte triste de uma estranha guerra...)
Quero solidão.

(Cecília Meireles)

Postar no Facebook
Medo de Decepcionar

A admiração não vem do nada e nem desaparece sem motivos substanciais: se o amor deriva da admiração, o mesmo acontece com esse sentimento!

O medo que tantas pessoas têm de que seus amados se desinteressem delas é infundado: quando o amor acontece, só uma grave decepção o ameaça.

O medo de decepcionar o amado costuma ser exagerado, pois isso só acontece quando o que ama comete uma falta grave, uma efetiva deslealdade.

O verdadeiro amor, numa fase, é sentido como gerador de grande exigência de perfeição justamente pelo medo exagerado de decepcionar o amado.

Em virtude do caráter exigente do relacionamento amoroso de boa qualidade, muitos são os que fogem dele, buscando alianças mais confortáveis.

Aos poucos, os que se amam se acalmam e esse medo vai se atenuando: percebem que encantam seus parceiros por serem exatamente aquilo que são!

(Júlio César)

Postar no Facebook
Mágoa, o Cárcere da Alma

Nós sofremos mais por causa das pessoas do que por causa das circunstâncias. As pessoas nos fazem chorar mais do que as vicissitudes da vida. As pessoas nos decepcionam e nós decepcionamos as pessoas. Os relacionamentos dentro da família, no trabalho e até igreja, algumas vezes, se tornam tensos. Feridas são abertas na alma e mágoas profundas se instalam no coração. Amizades são rompidas, casamentos são abalados, relacionamentos sólidos entram em colapso. Nesse processo, a comunicação é rompida, o silêncio gelado substitui as palavras de amor e a desconstrução da imagem do outros se torna uma verdadeira ação de desmonte.

O resultado do adoecimento das relações humanas é a mágoa. Esse sentimento de amargura se instala no solo do coração e lança suas raízes trazendo perturbação para a alma e contaminação para os que vivem ao redor. A mágoa é a ira congelada. A mágoa é o armazenamento do ressentimento. A mágoa é entulhar o coração com rancor, é alimentar-se do absinto do ranço, é afogar-se no lodo do ódio, é viver prisioneiro da armadilha da vingança.

A mágoa é uma prisão. Ela é o cárcere da alma, o calabouço das emoções, a masmorra escura onde seus prisioneiros são atormentados pelos verdugos da consciência. Quem se alimenta da mágoa não tem paz. Não tem liberdade. Não tem alegria. Não conhece o amor. Não tem comunhão com Deus. Não pode adorar a Deus, nem trazer sua oferta ao altar. Quem retém o perdão não pode orar a Deus nem receber dele o perdão.

A mágoa é autodestrutiva. Ferimo-nos a nós mesmo quando nutrimos mágoa por alguém. Guardar mágoa no coração é como beber veneno pensando que o outro é quem vai morrer. Quem guarda mágoa no coração vive amarrado pelas grossas correntes da culpa. Quem vive nessa masmorra adoece emocional, física e espiritualmente. Há muitas pessoas doentes porque se recusaram a perdoar. Na igreja de Corinto havia pessoas fracas, outras doentes e algumas que já estavam mortas em virtude de relacionamentos adoecidos (“Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo.” 1Co 11.3). Tiago ordena os crentes a confessarem seus pecados uns aos outros para serem curados (“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” Tg 5.16). Há muitas pessoas vivendo cativas no calabouço do diabo, prisioneiras do ódio, acorrentadas pela mágoa, cuja vida espiritual está arruinada. Gente que precisa ser liberta dessa prisão existencial, desse cativeiro espiritual.

O Salmista Davi orou pedindo a Deus para tirar a sua alma do cárcere (“Tira a minha alma do cárcere, para que eu dê graças ao teu nome.” Sl 142.7) A chave que abre a porta dessa masmorra é o perdão. O perdão traz cura onde a mágoa gerou doença. O perdão traz reconciliação onde a mágoa gerou afastamento. O perdão traz alegria, onde a mágoa produziu tristeza e dor. O perdão restitui aquilo que a mágoa saqueou. O perdão é a faxina da mente, a assepsia da alma, a limpeza dos porões do coração. Perdoar é zerar a conta. É nunca mais lançar no rosto da pessoa a sua dívida. Perdoar é lembrar de sentir dor. Perdoar é não retaliar. É pagar o mal com o bem. É abençoar aqueles que nos amaldiçoaram. É fazer o bem àqueles que nos fizeram o mal. Perdoar é ser um vencedor, pois é vencer o inimigo não com a espada, mas com o amor. Perdoar é sair do cárcere da alma, é ser livre, é viver uma vida maiúscula, superlativa e abundante. Perdoar é viver como Jesus viveu, pois ele não retribuiu o mal com o mal, antes por seus algozes intercedeu. Perdoar é ter o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

Chegou a hora de raiar a liberdade em sua vida. A Palavra de Deus liberta: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). Jesus Cristo liberta: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8.36). É hora de sair do cárcere que prende a sua alma com as grossas algemas da mágoa. É hora de experimentar a liberdade do perdão. É hora de tomar posse da vida abundante que Jesus lhe oferece!

(Rev. Hernandes Dias Lopes)
(Vivos)

Postar no Facebook
O Homem de Bem

O verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. Se ele interroga a consciência sobre seus próprios atos, a si mesmo perguntará se violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desprezou voluntariamente alguma ocasião de ser útil, se ninguém tem qualquer queixa dele; enfim, se fez a outrem tudo o que desejara lhe fizessem.

Deposita fé em Deus, na Sua bondade, na Sua justiça e na Sua sabedoria. Sabe que sem a Sua permissão nada acontece e se Lhe submete à vontade em todas as coisas.

Tem fé no futuro, razão por que coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.

Sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções são provas ou expiações e as aceita sem murmurar.

Possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperar paga alguma; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte, e sacrifica sempre seus interesses à justiça.

Encontra satisfação nos benefícios que espalha, nos serviços que presta, no fazer ditosos os outros, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos. Seu primeiro impulso é para pensar nos outros, antes de pensar em si, é para cuidar dos interesses dos outros antes do seu próprio interesse. O egoísta, ao contrário, calcula os proventos e as perdas decorrentes de toda ação generosa.

O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus.

Respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema aos que como ele não pensam.

Em todas as circunstâncias, toma por guia a caridade, tendo como certo que aquele que prejudica a outrem com palavras malévolas, que fere com o seu orgulho e o seu desprezo a suscetibilidade de alguém, que não recua à idéia de causar um sofrimento, uma contrariedade, ainda que ligeira, quando a pode evitar, falta ao dever de amar o próximo e não merece a demência do Senhor.

Não alimenta ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; a exemplo de Jesus, perdoa e esquece as ofensas e só dos benefícios se lembra, por saber que perdoado lhe será conforme houver perdoado.

É indulgente para as fraquezas alheias, porque sabe que também necessita de indulgência e tem presente esta sentença do Cristo: "Atire-lhe a primeira pedra aquele que se achar sem pecado." Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios, nem, ainda, em evidenciá-los. Se a isso se vê obrigado, procura sempre o bem que possa atenuar o mal.

Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las. Todos os esforços emprega para poder dizer, no dia seguinte, que alguma coisa traz em si de melhor do que na véspera.

Não procura dar valor ao seu espírito, nem aos seus talentos, a expensas de outrem; aproveita, ao revés, todas as ocasiões para fazer ressaltar o que seja proveitoso aos outros.

Não se envaidece da sua riqueza, nem de suas vantagens pessoais, por saber que tudo o que lhe foi dado pode ser-lhe tirado.

Usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que é um depósito de que terá de prestar contas e que o mais prejudicial emprego que lhe pode dar é o de aplicá-lo à satisfação de suas paixões.

Se a ordem social colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante Deus; usa da sua autoridade para lhes levantar o moral e não para os esmagar com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram.

O subordinado, de sua parte, compreende os deveres da posição que ocupa e se empenha em cumpri-los conscienciosamente. (Cap. XVII, nº 9.) Finalmente, o homem de bem respeita todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da Natureza, como quer que sejam respeitados os seus.

Não ficam assim enumeradas todas as qualidades que distinguem o homem de bem; mas, aquele que se esforce por possuir as que acabamos de mencionar, no caminho se acha que a todas as demais conduz.


(Allan Kardec)

Postar no Facebook