Mensagens Místicas


Que uso uma mascara negra sobre o meu rosto.
Mascara que me queimou o rosto, e desbotou-me o olhar.
Que longa noite é está? Que me queimo aos vapores do vinho, nos braços de prostitutas.
Nesta noite profanei Deus ao acaso, e o diabo profanou ao esquecimento!
Que noite é está? Que a mocidade lançou-me entre as águas suja do passado.
Noite chuvosa, com cheiro do sangue!
Quem viu uma flor aberta? Mesmo abatida e sem cheiro.
Quem viu um rosto? A não ser de mascara.
Que noite é está? De orgia a porta aberta; de virgens e cidades velhas?
Onde eu tenho horror aos beijos.
Que noite é está? Que troquei o manto da infância, pela sombra das orgias, a água limpa, pela a nódoa do pecado.
Que noite é está? Que sou doido em loucos anos, noite em que sacudo minha espada em qualquer coração, e depois me escondo em mascara negra, suja de baba imunda.
Que noite é está? Que a meretriz vende seu corpo, onde satã pernoita, e eu não pago um centavo.
Que noite é está? Que desmaio na pratica de Sodoma e Gomorra.

Quando o silêncio da noite
Aos poucos vai sendo tomado
Pelos acordes de uma música suave
Romântica, envolvente... Eu

Imaginariamente seguro em
Suas mãos e sinto o pulsar
Acelerado de seu coração...
Aos poucos tomando um ritmo ameno
Fazendo com que o meu também se acalme... E eu

Entro em sintonia contigo,
Apesar da distância e... Então...
Nossas asas se tocam levemente... E
Juntos alçamos voo... Indo até o infinito
Chegando aos pés de Deus para então...

Agradecer a bondade infinita de nos permitir...
Momentos sublimes de harmonia e paz...
Flutuando na imensidão dos céus...
Momentos esses... Apenas imaginários... Mas...
Se o imaginamos juntos... Então não é imaginação...

É realidade!

Há momentos em nossa vida
Em que o desânimo parece imperar
A luta se torna mais árdua
Os empecilhos maiores
E a esperança...
Chega mesmo a findar!

Há momentos em que a angústia
Se faz muito mais presente
Os sonhos desaparecem
As ilusões diminuem
E vemos nossa mundo desabar!

Há momentos em que a dor
Supera a própria alegria
Transformando o dia a dia
Em um eterno lamentar!

Será que isso é normal?
Nada podemos fazer?
Como vencer esse mal
Sem se deixar abater?

O primeiro passo é a oração
Que devemos cultivar
Do fundo do coração
E ao Nosso Mestre elevar!

Peçamos coragem e luz
Não vamos desanimar!
Confiemos em Jesus
Que está sempre nos guardando!

É válido cada momento
Para nossa evolução
E até mesmo o sofrimento
Tem em si, sua razão!

Prossiga em seu caminhar
Pois vale a pena viver!
Não se deixe derrotar
Por algo que um fim vai ter!

Ao findar a tarde,
vou para o meu quarto.
Fecho a porta,ligo o radio e coloco uma canção suave.
Deito em minha cama e começo a sonhar acordada.
Devagar fecho meus olhos,
sinto o cheiro do seu perfume no ar,
sinto a maciez de teus lábios,
o cheiro de seu corpo parece estar no meu,
por instantes sinto os seus braços roçando em mim.
O meu coração começa a bater mais forte,
parece dois batendo num só.
Estou vivendo um sonho,um sonho mas que em momentos transformo em realidades...

E uma característica do ser
humano o paradoxo.
O que acontece com os
grupos, acontece com cada
um de nós.
Impulsivamente uma parte do
nosso eu quebra o estado de
realidade, rompe com o equilíbrio,
e por não suportar a coisa
boa, traz para cada um de nos
uma cota de infelicidade,
como se esta infelicidade,
viesse restaurar a culpa e
reparar o dano (de ser feliz)
E por isso que os laços se
partem, os afetos se
desfazem e o sonho acaba.

Amar é crer que a vida é
Um sonho.
Amar é crer que o sonho se torna
Realidade.
Amar é crer que a realidade é ter
Você.
Amar é crer que você me ama tanto
Quanto eu o amo.

Amar é vivier,
Questão de saber.
Mas tudo fica fácil
Quando estou com você.
Coração não me engane assim,
Não quero amá-lo,
Mas você faz a minha cabeça
Pensar cada vez mais mais nele.

Nossa! Consegui acordar
Desse terrível pesadelo!
Mas a vida continua,
E eu tenho que partir para
Outro coração.
Alguém que me ame
Verdadeiramente,
Não só no meu pensamento.

Se você vê estrela demais
Lembre que um sonho não volta atrás
chega perto e diz
Anjo

Se você sente o corpo colar
Solte o seu medo bem devagar
Chega perto e diz
Anjo
Bem mais perto e diz
Anjo

Se uma coisa louca
Sai do seu olhar
Fique em silêncio
Deixe o amor entrar
Pra que tanta pressa de chegar
Se eu sei o jeito e o lugar.

Sim... O universo teve um filho.
Como se chama? Mistério.
O que o homem, cuja sabedoria,
Nunca poderá alcançar.

Seria pecado se a Poetisa sobre
O universo ousasse pousar?
Melhor do que o homem
A Poetisa sabe analisar.
Talvez com palavras românticas,
Cujo homem nunca se atreveu a falar.

Mais do que carinha de anjo
A Poetisa sabe com seu olhar tudo
Ganhar. O mistério será desvendado
O vencedor, será aquele que ousar
Atravessar o coração da Poetisa
E dele arrancar todas as palavras
Doces que ali ousaram pousar.

Em um lindo regato, uma flor dizia em vão, para sempre nas correntezas:
-Aí, não me deixes, não.
"Aqui fica, ou leva-me contigo, estou aqui te pedindo perdão":
-Mas, aí, não me deixes, não.
Por fim desfalecida, a quase lamber o chão, sua cor murcha, exclamou:
-Aí, não me deixaste não!!!

Quantos foram os momentos
em que vivemos juntos
em nossos sonhos
entre carinhos
que hoje são apenas folhas
mortas
Um romance no qual houve
Um fim
Que jamais será esquecido
Pois não chegamos
A nos encontrar
E nem nos
Amar
Agora calada e triste
Na obscuridade desta
Vida
Vivo
Abraçando a sua ausência
E sabendo que não mais estará
Ao meu lado
Sinto-o bem perto de mim
Sinto o calor dos seus lábios
O calor de seus abraços
A meiguice de seu
Olhar
O doce encanto de sua voz
Como num sonho de magias
Que me dizias frases lindas
E que hoje não as ouço mais.

Tudo nesta vida precisa de harmonia. Tudo no universo se completa. As estrelas completam o céu; cada gota de água completa o mar. Quando duas partes idênticas se juntam, temos a mais completa das harmonias.

Recebe de coração esta linda jóia rara, a meia lua, a que irradia todo o seu brilho de sol, de vida, de luz e beleza. Mas lembre-se, é uma meia lua que simboliza você, e que somente estará completa com a parte que lhe falta, a qual não se enxerga, mas que somente aparece, quando estou junto a você. Te amo!

Eu dormia, mas meu coração velava.

Eis o amado à minha porta, dizendo: Abre amiga, estou cansado, com muito frio, preciso de acolhida.
- O que farei? Tirei minha túnica, como revestí-la? Lavei meus pés, por que sujarei de novo?

Meu bem amado tentou abrir, meu coração tremeu!
Abrí-lhe a porta, mas o amigo desapareceu!
Minha demora em responder-lhe impediu o encontro.
Saí de casa à sua procura e tive desencontros.
Fui ferida e tentada a não seguir em frente,
mas a lembrança do meu amado, levou-me adiante.

- Onde estará o teu amado, ó amiga bela?
- Ele apascenta entre os lírios do meu jardim!

Se eu pudesse desenhava o teu corpo,
Com uma delicada pétala de rosa,
Todos os teus contornos divinos e puros,
A tua nívea pele suave, a doçura do teu olhar,
Se eu pudesse guardaria para sempre,
Junto de mim como uma recordação mais doce.
Quando cai a noite, recordo-me dos nossos momentos,
As estrelas são a minha única companhia,
A lua a minha eterna confidente,
A natureza a minha perfeita harmonia,
O teu odor o meu perfeito companheiro.
Vem ter comigo e vamos partilhar este céu estrelado
E este infinito tão puro e tão maravilhoso como tu és...
Vamos unir-nos, vamos olhar para o céu como a ultima vez,
Vamos sonhar com as estrelas cadentes e com toda a sua magia,
Vamos sonhar um com o outro...e nunca mais separarmos,
Vamos viver docemente com o nosso Amor!

Anjo, solte sua renda pelos campos verdes, de forma que sobre a relva tenhas poder
Anjo, liberte os corações, refrigera os males que o ardor do ódio faz
Anjo, ó anjo, traz, faz; com teus olhos verdes oliva iluminados pelo brilho do sol, faz
Anjo, faz me sentir como nuvens, que flutue contigo, ó anjo, se soubesses que desejo
o ar e invejo a chuva, farias de mim o que fazes com teus pássaros, libertarias minha alma
e deixarias eu pelejar sobre teu céu
Anjo, pós morte , observas o que fora destrinchado pela maldição do olho negro
ou apenas observas com afeto o que lhe seria amável
Anjo, tua renda vislumbraste desliza sobre as pedras do rio, teu cavalo
branco galopeia, forte, ávido a desvendar conexões novas entre o mundo do amor e o mundo natural
incessante desejo de aventura
Anjo, das carícias que fazes em meu rosto frio e apático, torna-me cada vez mais jovem
Anjo, faz-me voar, ó altura, que de tão longe a vejo e tão perto sinto
Anjo, que pela palavra és espírito, que pelo sentido oculto é carne, se faz presente
Anjo, ensina-me a extinguir a maldade, meus dias já não são calmos, manifeste-se Anjo
Rogo-te, pois a esperança não finda e a carne de meu corpo ainda suporta o meu pesar
Mostra-me o final deste tempo, e não apenas viverei nesse frenesi, consumido pela emoção
Anjo, ó anjo, esse sorriso que esboça com lábios vermelhos e delicadamente tracejados
só faz aumentar sua beleza, seu olhar intenso, lento, que me paralisa, êxtase incansável
Lança-me ao abismo mortal que devo a honra de gozar tal experimento com os braços fechados
Anjo, Anjo, Anjo, silêncio que precede o esporro, as guerras mortais é pura discórdia do amor
se conheces a necessidade da existência amenize o sofrer
Anjo, tentei dar socos no ar para tentar parar de chover, más minhas lágrimas fizeram parte das
águas cristalinas que caiam sobre minhas vestes, olhando para o chão molhado vi a traços do meu
rosto cansado e descobri que chegara a velhice
Anjo, por que te desejo? não sei bem certo a verdade de ti, só sei que vivo melhor quando desta não cogito.