Mensagens de Vendas


Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse.

Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.

Havia ali perto um menino negro.

Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões.

Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco.

Todos foram subindo até sumirem de vista.

O menino, de olhar atento, seguia a cada um.

Ficava imaginando mil coisas...

Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto.

Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:

- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?

O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:

- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

Alguém muito sábio dirá a você que pouco existe neste mundo que valha tanto como uma verdadeira amizade; mas seguramente alguém muito menos sábio também lhe dirá o mesmo, pois amizade verdadeira é tesouro sem valor e mercado.

Então não se deixe iludir pelo tempo, pela vida, pelo brilho daquilo que não presta, pois no final das contas o que conta são os sentimentos sinceros.

Hoje marque um encontro, abrace seus amigos, diga a eles quanto são especiais e indispensáveis e que nada há que se compare à sua companhia.

Não deixe para depois, não diga de outra forma, faça cara a cara, pois amizade não se compra ou vende, mas se cultiva!

Dizer que todos vocês estão trabalhando aqui porque são os melhores, seria demasiado óbvio e pareceria irrealista. Mas a verdade é que todos nós, os que estamos aqui presentes, temos a oportunidade de tentar provar isso mesmo.

O esforço, a consciência de que estamos dando o nosso máximo e a atitude perante os desafios é o maior prémio que todos podemos dar e também receber. E isso é bem mais importante do que saber quem está no topo.

Meu princípio é baixar os preços, expandir as operações e melhorar os nossos carros. Note que a redução do preço é o mais importante. Eu nunca vi o preço de produção como uma coisa fixa. Portanto, começo por reduzir os preços para vender mais. Em seguida, coloque um funcionando, e tentamos obter um menor custo de fabricação (...).
Ao definir um preço de venda bastante baixo, forçamos todos os serviços da fábrica a ter o melhor desempenho possível, a queda de preço obriga todos a encontrar todos os benefícios, por menor que seja. Este desafio me faz encontrar novas ideias sobre a fabricação e venda (...).
Felizmente, os altos salários contribuem para reduzir o custo de produção, os trabalhadores são cada vez mais dedicados uma vez que são liberados das preocupações não relacionadas com o trabalho.
A determinação dos salários de cinco doláres em oito horas foi das melhores economias que fiz, mas subir o salário para seis dólares foi melhor ainda. Até onde chegaremos por este caminho, eu não sei. Provavelmente poderia encontrar homens que fazem por três dólares o mesmo trabalho para o qual pago seis dólares (...). Mas eu estimo que precisaria de dois ou talvez três desses trabalhadores a baixo custo para substituir cada um dos meus bem-remunerados (...).
Quanto a preços de venda, nosso trator, por exemplo, foi vendido inicialmente por US $ 756, depois por 650 e depois 625, e recentemente caiu de preço em 37% sendo vendido por US $ 395. Se reduzimos tanto o preço até este ponto é porque nós começamos a fabricação em massa de tratores.

(Henry Ford)

Certa manhã, um fazendeiro descobriu que sua gansa tinha posto um ovo de ouro.
Apanhou o ovo, correu para casa, mostrou-o à mulher, dizendo:
- Veja! Estamos ricos!
Levou o ovo ao mercado e vendeu-o por um bom preço.
Na manhã seguinte, a gansa tinha posto outro ovo de ouro, que o fazendeiro vendeu a melhor preço.
E assim aconteceu durante muitos dias.
Mas, quanto mais rico ficava o fazendeiro, mais dinheiro queria.

E pensou:
"Se esta gansa põe ovos de ouro, dentro dela deve haver um tesouro!"
Matou a gansa e, por dentro, a gansa era igual a qualquer outra.

"Quem tudo quer tudo perde".

Só por hoje, direi que estou de mal com a depressão, e se ela der as caras, aplicar-lhe-ei vinte bofetões de alegria.

Só por hoje darei alta aos analistas, psicólogos, psiquiatras, conselheiros, filósofos e proclamarei que, se antes eu era porque era o que eu era, agora sou o que sou porque sou tão feliz quanto penso que sou.

Como penso que sou feliz, logo sou.

Só porque hoje, direi que a vida é uma festa, acreditarei que a vida é uma festa e farei da festa a minha vida.

Só por hoje, tomarei um porre de alegria!

Só por hoje, rirei à toa e contarei a mim mesmo uma piada tão velha quanto a história daquele sujeito que olhava por cima do óculos para não gastar as lentes.

Só por hoje, revelarei ao mundo que sou feliz e chamarei de absurda toda opinião contrária.

Só por hoje, acreditarei que ri melhor quem ri por si mesmo.... Já estou rindo.

Só por hoje, informarei a todos que sou tão feliz quanto resolvi ser.

Só por hoje, guardarei a seriedade no baú e deixarei que a criança interior brinque comigo o tempo todo.

Só por hoje, estarei tão bem-humorado que rirei até daquele anúncio que diz: "Vende-se uma mala por motivo de viagem".

Só por hoje, admitirei que ser feliz é tão simples quanto dizer que sou feliz.

Só por hoje, estarei tão feliz que não sentirei falta de sentir falta da felicidade.

Só por hoje, expulsarei da minha casa a tristeza e hospedarei a alegria, o sorriso e o bom-humor.

Só por hoje, abrigarei a felicidade sob o meu teto, vesti-la-ei com roupas do bem-estar, dar-lhe-ei a comida do sorriso, a bebida da alegria e deverti-la-ei com conversas agradáveis e positivas.

Só por hoje, me divorciarei do passado, romperei o namoro indecoroso com os males do presente e me casarei indissoluvelmente com a felicidade.

Só por hoje, hastearei a bandeira do bom-humor sobre o meu próprio território.

Só por hoje, decidirei que sou definitivamente feliz...

Só por hoje... e o hoje é cada novo dia em nossas vidas! Tenha, só por hoje, um dia de eterna felicidade! E lembre-se de tudo isso amanhã, depois e depois.

Na vida, aquilo que possui maior valor, moeda alguma pode comprar, vender, subornar. Na vida, o que realmente importa é de graça e monetariamente nada custa a sustentar. Pois na vida, aquilo que tem o maior valor se chama amor e amizade.

Quem pode dizer que possui amor e amizade verdadeiros em sua vida, pode se considerar a pessoa mais rica do mundo, pois em sua posse tem os dois maiores bens que existem.

Muitos procuram acumular durante a vida um outro tipo de riquezas, bens materiais, que no momento da partida ficam para trás, sendo que essas pessoas nada levam, e no final desperdiçaram toda a sua vida, pois não souberam identificar o verdadeiro tesouro que está ao alcance de todos.

Não seja essa pessoa e aprecie e desfrute dos seus amigos, daqueles a quem ama de um jeito ou de outro, e cultive essas relações, pois assim prosperarão e sua riqueza aumentará e dará frutos, e quando partir, levará em seu coração todas as memórias, todo o sentimento, e permanecerá no coração de quem fica.

Numa pequena vila, de uma pequena cidade, alguns homens trabalhando; cada um em sua tarefa. Naquele lugarejo não se tinha muitas opções de trabalho, quase todos os seus moradores se dedicavam ao plantio ou a criação de gado, e o cultivo de hortifrutigranjeiros.

Eram todos simples, porém muito tradicionais em suas crendices, supersticiosos e respeitadores das datas, principalmente as religiosas. Era véspera de sexta-feira santa. Naquela quinta-feira, todos procuravam adiantar o máximo seus afazeres, para que no dia seguinte, pudessem respeitar e guardar a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

- É! Amanhã não vou tirar leite não, Joaquim.
- Eu também não, Mané.

(Conversavam os compadres), porém entre eles, havia um amigo incrédulo, que não obedecia nem respeitava nenhuma data.

- Ah! Eu não estou nem aí... Amanhã é um dia como um outro qualquer uai, eu num quero nem saber. Vou é cuidar do meu animal e ordenhar a Malhada, tirar aquele leitinho gostoso que só ela tem... e num acontece nada...
- Juca... Você não teima não.
- É isso mesmo Juca, o Mané tem razão. Com essas coisas num se brinca gente!
- Que nada, depois eu conto.

Os amigos se separavam ali. Cada um se dirigira ao seu lar, já eram quase seis horas. Chegando em casa, o Joaquim solta os arreios do animal, dando-lhe um leve tapinha no lombo, de forma carinhosa lhe diz: - Vai meu amigo, amanhã você está de folga. (Joaquim era muito carinhoso e zeloso com seus animais e era dia santo, merecia soltar o animal).

Na casa do Manuel, o Mané como o chamavam, também estavam todos aguardando com muito respeito a chegada da sexta-feira santa. A esposa, Dona Genoveva, já estava a catar o milho para o preparo da tradicional canjica, enquanto as duas filhas, Inês e Graça, preparavam a limpeza da casa com muito carinho, já que no dia santo, era por tradição nem se pegar na vassoura, varrer a casa poderia ser interpretado como um gesto de desrespeito àquele dia.

- Mané, cadê a sua roupa suja, homem? Me dê logo, quero lavar tudo hoje, pois amanhã eu não lavo roupa, você sabe disso!
- Já vai Genoveva, vou só me lavar e já lhe dou a roupa suja, é só um instante.
- Mané, você pegou os peixes que o Sr. Geraldo ficou de guardar assim que chegasse? Olha lá hein, depois acaba e nós vamos comer o quê amanhã??? Carne não!
- Esquenta não sô, já deixei até pago, depois é só Inês ir buscar, uai!
- Então vá logo filha, do jeito que tem tanta gente à procura de peixes, é arriscado até vender o nosso.
- Sim mãe, já vou.

Enquanto isso o Juca, que não estava nem um pouco se importando se amanhã seria dia santo ou não, bebia mais uma branquinha em companhia de sua mulher, a Diva, essa até que era mais temente, já tinha preparado algumas coisas para o dia seguinte, ela era religiosa e temia praticar certas descrenças como o marido, muitas vezes lhe aconselhara à que não praticasse certos atos, que respeitasse mais as coisas de Deus, mas era inútil, o Juca sempre fora descrente, porque não dizer - Ateu.

Todos dormiram. Pela madrugada, por volta das 3 horas da manhã, o Juca levantou-se como de costume, dirigiu-se ao curral e chamou por Malhada, sua vaca mais produtiva; chamou uma, duas, três ou mais vezes, porém a Malhada naquele dia parecia não ouvir seu dono, ela não queria atendê-lo. Juca fora ficando indignado com a pirraça da malhada, e começou a agredi-la, à princípio com palavrões e depois com um chicote; quanto mais ele ficava furioso, mais a vaca se evadia dele.

Começou-se então uma verdadeira batalha - HOMEM X ANIMAL. Quem venceria? Era difícil saber e prever. Mas, porquê aquela reação? Aquele animal era sempre tão dócil, nunca se mostrara rebelde. Juca, não queria nem saber. Num gesto animalesco, possesso de fúria ordenhou a vaca, de uma forma brutal, amarrada sem poder defender-se. Mesmo assim, ele manipulava suas tetas com brutalidade, queria o seu leite, não importava se para isso tivesse até mesmo que matá-la. O líquido começou a sair das tetas de Malhada, ainda era escuro, a lua era nova, a claridade era pouca e Juca continuava a ordenhar...

Ordenhar, até então que finalmente enchera um balde e quando retirava o balde para já então substituí-lo por um outro, foi tomado por um grande pavor, seu rosto enrubesceu, ficou atônito, parecia transtornado, seus olhos esbugalhados parecendo querer saltar-se para fora, não podia acreditar no que estava vendo. No balde... no lugar do costumeiro e delicioso leite, havia sim...sangue... sangue... e muito sangue. Não podia acreditar, porque a Malhada ao invés de lhe dar o leite, lhe dera sim sangue??? Eram perguntas e mais perguntas. Tentou recompor-se do susto e a ignorância mais uma vez tomou conta daquele homem, que sacou uma peixeira que sempre trazia atada ao cinturão e desfechou vários golpes no lado peito daquela que era até então uma grande amiga e que lhe garantira bons lucros durante muito tempo, afinal era sagrado, diariamente lhe proporcionava uma média de 40 litros de leite de boa qualidade.

E agora... Malhada ainda agonizando, deu uma olhada aquele homem, possuidor de tanta ignorância. Viu ainda o seu pequeno bebê... Um lindo bezerrinho, apelidado de Totinho, não podia mais resistir, seu sangue lavava todo o curral, rodeando inclusive o balde que poucos instantes antes, servira para colher o que seria o seu leite. Era sangue no balde e fora. O homem ficara ainda mais aturdido vendo que o pobre e inocente Totinho, o filhinho de Malhada lhe cheirava como se dissesse: - Levanta mamãe. Era demais, saiu correndo pelo pasto sem destino, não havia ninguém. Todos estavam em seus lares, somente ele houvera desrespeitado aquele dia.

Sentou-se debaixo de uma frondosa árvore, acendeu um grande cigarro de palha, e sentiu que um vento lhe soprara os ouvidos, sentiu um forte arrepio, olhou, não havia ninguém, sentou, deitou-se e terminou por cochilar. Logo pegou no sono e começou a sonhar... Estava caminhando por um lugar muito bonito, era todo alvo, branco como a neve, pessoas com os rostos serenos, suaves passavam por ele, só que ele era ignorado, era como se ele não estivesse entre eles e ia andando, sempre aquela beleza... tudo muito suave, até que chegou finalmente à entrada de uma bela casa, toda branca, porém folhada de um brilho extasiante, parecia ouro.

Um Senhor, de barbas longas e brancas aproximou-se dele com um cajado apoiava-se, deveria ter 100, 200, quantos anos??? Não sabia, era idoso; com carinho, ele estendeu-lhe a mão e lhe disse:

- Meu filho... O que você te feito? Por que age assim? Por que é tão descrente? Não deveria ter feito o que fez ainda pouco! (Aquele homem não sabia o que responder...)
- Quem é o senhor?
- Não importa meu filho. Quero salvar você. Ainda é tempo, basta que se arrependa e passe a praticar daqui para a frente boas ações, não vou puni-lo pelo que diz sobre essa data. Quero apenas lhe dizer... Você matou sua Malhada, aquela sua vaquinha que tantas alegrias e lucros já lhe deu. Daqui a um ano, com certeza estará se lembrando desta data. E hoje, exatamente hoje, todos lembram que o meu filho também morreu. Há muitos anos, a humanidade toda se recorda com respeito e dor essa data. E você... porque não respeita também; o leite virou sangue, eu queria apenas alertá-lo, mas você não compreendeu, pensou que foi a pobre malhada. Ela não faria isso. Morreria como morreu, sempre fiel a você, mas vou lhe dar uma outra chance!
- Quem é o Senhor? Será que é quem eu estou pensando??? Se for me perdoe, me dê outra chance. Daqui para frente eu vou mudar... Eu prometo!!!
- Tenho certeza que sim. Você vai agora acordar e vai passar a respeitar aquele que morreu na cruz um dia por você e por todos e que é o MEU FILHO.

O homem acordou... Daquele dia em diante mudara completamente seu comportamento. Hoje respeita os animais, as pessoas, as datas religiosas, sexta feira santa, então... Seu animalzinho companheiro de todos os dias é o TOTINHO, os dois estão à correr pelo pasto, pois este fato ocorreu no ano passado!

Este texto foi escrito por Rita de Cássia Oliveira em 1° de Abril de 1994.

O dono de um pequeno comércio, amigo do grande poeta Olavo Bilac, abordou-o na rua:

"Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio, que o Senhor tão bem conhece. Poderá redigir o anúncio para o jornal?" Olavo Bilac apanhou o papel e escreveu:

'Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeiro. A casa banhada pelo sol nascente oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda'.

Meses depois, topa o poeta com o homem e lhe pergunta se havia vendido o sítio:

"Nem pense nisso," disse o homem. "Quando li o anúncio é que percebi a maravilha que tinha!"

Às vezes não percebemos as coisas boas que temos conosco, e vamos longe atrás da miragem de falsos tesouros. Valorize o que tem, as pessoas, os momentos!

Um executivo de férias na praia observava um pescador sobre uma pedra fisgando alguns peixes com equipamentos bastante rudimentares: linha de mão, anzol simples, chumbo e iscas naturais.
O executivo chega perto e diz:
- Bom dia, meu amigo, posso me sentar e observar?
O pescador:
- Tudo bem, doutor.
O executivo:
- Poderia lhe dar uma sugestão sobre a pesca?
- Como assim? - Respondeu o pescador.
- Se você me permite, eu não sou pescador, mas sou executivo de uma multinacional muito famosa e meu trabalho é melhorar a eficiência da fábrica, otimizando recursos, reduzindo preços, enfim, melhorando a qualidade dos nossos produtos. Sou um expert nessa área e fiz vários cursos no exterior sobre isso - disse o executivo, entusiasmado com sua profissão.
- Pois não, doutor, o que que o senhor quer sugerir? - Perguntou calmamente o pescador.
- Olha, estive observando o que você faz. Você poderia ganhar dinheiro com isso. Vamos pensar juntos. Se você pudesse comprar uma vara de pescar com molinete, poderia arremessar sua isca para mais longe, assim pescaria peixes maiores, certo? Depois disso, você poderia treinar seu filho para fazer este trabalho para você. Quando ele se sentisse preparado, você poderia comprar um barco motorizado com uma boa rede para pescar uma quantidade maior e ainda vender para as cooperativas existentes nos grandes centros. Depois, você poderia comprar um caminhão para transportar os peixes diretamente, sem os intermediários, reduzindo sensivelmente o preço para o usuário final e aumentando também a sua margem de lucro. Além disso, você poderia ir para um grande centro para distribuir melhor o seu produto para os grandes supermercados e peixarias. Já pensou no dinheiro que poderia ganhar? Aí você poderia vir para cá como eu vim, descansar e curtir essa paz, este silêncio da praia, esta brisa gostosa...
- Mas isso eu já tenho hoje! - Respondeu o pescador, olhando fixamente para o mar.

Que uso uma mascara negra sobre o meu rosto.
Mascara que me queimou o rosto, e desbotou-me o olhar.
Que longa noite é está? Que me queimo aos vapores do vinho, nos braços de prostitutas.
Nesta noite profanei Deus ao acaso, e o diabo profanou ao esquecimento!
Que noite é está? Que a mocidade lançou-me entre as águas suja do passado.
Noite chuvosa, com cheiro do sangue!
Quem viu uma flor aberta? Mesmo abatida e sem cheiro.
Quem viu um rosto? A não ser de mascara.
Que noite é está? De orgia a porta aberta; de virgens e cidades velhas?
Onde eu tenho horror aos beijos.
Que noite é está? Que troquei o manto da infância, pela sombra das orgias, a água limpa, pela a nódoa do pecado.
Que noite é está? Que sou doido em loucos anos, noite em que sacudo minha espada em qualquer coração, e depois me escondo em mascara negra, suja de baba imunda.
Que noite é está? Que a meretriz vende seu corpo, onde satã pernoita, e eu não pago um centavo.
Que noite é está? Que desmaio na pratica de Sodoma e Gomorra.

Quem ama de verdade não coloca lágrimas nos olhos da pessoa amada ou vendas para que não enxergue. Quem ama de verdade não mente, inventa ou esconde seja o que for. Quem ama de verdade não fere ou pisa o coração da pessoa amada.

Pois quem ama cuida! Quem ama de verdade quer ver a pessoa amada feliz, sorrindo, livre para ir e voltar. Quem ama protege, ampara, apoia e incentiva. Quem ama sonha em conjunto e faz qualquer coisa para ver os sonhos da pessoa amada realizados.

Porque quem ama de verdade não consegue ser feliz se a pessoa amada não for também!

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente! Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora. Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção. Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

(Machado de Assis)

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto e algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda... elegância é uma delas!

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.
O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta. É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais: nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É "desligar o radar", o telefone, quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção na sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Chique do Chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância e falsidade.

Mas, para ser Chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos, sem levar nada material deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem.

Lembre-se: o diabo parece Chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

(Glória Kalil)

1° - Jogue fora tudo o que traz lembranças:
Fotos, chaves, presentes (estou sendo radical). Como você quer “esquecer” de alguém guardando pertences ou presentes dela dentro da sua casa? Já ouviu aquela expressão no seu aniversário: É só uma lembrancinha!
Pois é, lembrancinha é para lembrar. Presente lembra momentos, conversas, discussões e até PROMESSAS.

2° - Evite tocar no assunto:
Quando alguém perguntar se você terminou um namoro, noivado e etc. Diga: SIM e pronto. “Pra quê” ficar dando satisfações da sua vida para a vendedora, cabelereira ou açougueiro? (risos)

3° - Busque força através do Espírito Santo:
Eu sou psicóloga, no exercício do meu trabalho eu não posso induzir ninguém à religião, minha missão é fazer a pessoa ver que ela tem uma força dentro dela que é capaz de ajudá-la a sair daquela depressão, bipolaridade, tristeza e etc. Porém, como Cristã eu sei que há coisas que somente o Espírito Santo é capaz de “apagar” da nossa memória. Então nestes momentos difíceis de separação ou término, é necessário ir muito à igreja, buscar pelo Espírito de Deus e se comunicar com os irmãos da igreja.

4° - Saia, se divirta:
Infelizmente há casos onde um namoro termina e parece que junto com o namoro acabou a vida da pessoa. Minha irmã, acorda para vida. Vai no salão, arrume sua unha e seu cabelo, vai fazer alguma coisa e largue este pote de sorvete (risos). Acorde para a vida, você é linda, não se deixe destruir por causa de um “babaca” que não tem capacidade de amar de verdade. Eu tenho certeza que DEUS tem o melhor para você.

5° - Seja jovem:
O jovem tem aquela coisa da descoberta, já viu? Tudo é novo, quer ir para todos os lugares, quer conhecer gente nova e etc. Quando você namora durante uns 2 anos direto, dependendo do namoro, você esquece completamente o que significa a palavra diversão. Então, vai lá e procure lembrar o que é, seja jovem. Vá em congressos de jovens, vá em shows Gospel, acesse a internet, faça amizades (cuidado, hein) participe dos encontros da igreja, seja jovem, seja jovem. Quando eu era noiva, para ser senhora bastaria o fio de cabelo branco (risos). Eu me sinto muito bem hoje, quando digo ser jovem, não quero dizer: SEJA IMATURO. Quero dizer: SEJA LIVRE, APROVEITE!

Deus nos deu o Espírito Santo, e o Espírito Santo é chamado pelo SENHOR JESUS de O ESPÍRITO CONSOLADOR. Portanto, o Espírito Santo continua sendo a maior solução para você superar todas as decepções, não somente amorosa, mas todas no geral. Abra o teu coração para receber o Espírito de Deus.

(Emanuele Guterres)
(Evangelizai)

Ao romper do dia, sentei-me na campina, travando conversa com a Natureza, enquanto o Homem ainda descansava sossegadamente nas dobras da sonolência. Deitei-me na relva verde e comecei a meditar sobre estas perguntas:

Será a Beleza Verdade? Será Verdade a Beleza?

E em meus pensamentos vi-me levado para longe da humanidade. Minha imaginação descerrou o véu de matéria que escondia meu íntimo. Minha alma expandiu-se e senti-me ligado à Natureza e a seus segredos. Meus ouvidos puseram-se atentos à linguagem de suas maravilhas.

Assim que me sentei e me entreguei profundamente à meditação, senti uma brisa perpassando através dos galhos das árvores e percebi um suspiro como o de um órfão perdido.

“Por que te lamentas, brisa amorosa?” perguntei.

E a brisa respondeu: “Porque vim da cidade que se escalda sob o calor do sol, e os germes das pragas e contaminações agregaram-se às minhas vestes puras. Podes culpar-me por lamentar-me?”

Mirei depois as faces de lágrimas coloridas das flores e ouvi seu terno lamento... E indaguei: “Por que chorais, minhas flores maravilhosas?”

Uma delas ergueu a cabeça graciosa e murmurou: “Choramos porque o Homem virá e nos arrancará, e nos porá à venda nos mercados da cidade.”

E outra flor acrescentou: “À noite, quando estivermos murchas, ele nos atirará no monte de lixo. Choramos porque a mão cruel do Homem nos arranca de nossas moradas nativas.”

Ouvi também um riacho lamentando-se como uma viúva que chorasse o filho morto, e o interroguei: “Por que choras meu límpido riacho?”

E o riacho retrucou: “Porque sou compelido a ir à cidade, onde o Homem me despreza e me rejeita pelas bebidas fortes, e faz de mim carregador de seu lixo, polui minha pureza e transforma minha serventia em imundície.”

Escutei, ainda, os pássaros soluçando e os interpelei: “Por que chorais meus belos pássaros?”

E um deles voou para perto, pousou na ponta de um ramo e justificou: “Daqui a pouco, os filhos de Adão virão a este campo com suas armas destruidoras e desencadearão uma guerra contra nós, como se fôssemos seus inimigos mortais. Agora estamos nos despedindo uns dos outros, pois não sabemos quais de nós escaparão à fúria do Homem. A morte nos segue, aonde quer que vamos.”

Então o sol já se levantava por trás dos picos da montanha e coloria os topos das árvores com auréolas douradas. Contemplei tão grande beleza e me perguntei:

“Por que o homem deve destruir o que a Natureza construiu?”


(Khalil Gibran)

Certa vez houve uma inundação numa imensa floresta. O choro das nuvens que deveriam promover a vida dessa vez anunciou morte. Os grandes animais bateram em retirada fugindo do afogamento, deixando até os filhos para trás. Devastavam tudo o que estava à frente. Os animais menores seguiam seus rastros. De repente uma pequena andorinha, toda ensopada, apareceu na contramão procurando a quem salvar.
As hienas viram a atitude da andorinha e ficaram admiradíssimas. Disseram: “Você é louca! O que poderá fazer com um corpo tão frágil?”. Os abutres bradaram: “Utópica! Veja se enxerga a sua pequenez!”. Por onde a frágil andorinha passava, era ridicularizada. Mas, atenta, procurava alguém que pudesse resgatar. Suas asas batiam fatigadas, quando viu um filhote de beija-flor debatendo-se na água, quase se entregando. Apesar de nunca ter aprendido mergulhar, ela se atirou na água e com muito esforço pegou o diminuto pássaro pela asa esquerda. E bateu em retirada, carregando o filhote no bico.
Ao retornar, encontrou outras hienas, que não tardaram muito a declarar: “Maluca! Está querendo se heroína!”. Mas não parou; muito fatigada, só descansou após deixar o pequeno beija-flor em local seguro. Horas depois, encontrou as hienas embaixo de uma sombra. Fitando-as nos olhos, deu a sua resposta: “Só me sinto digna das minhas asas se eu as utilizar para fazer os outros voarem”.

(Augusto Cury)
(trecho do livro "O Vendedor de Sonhos")

Mulheres são criativas, sedutoras, inteligentes e empreendedoras. Ou seja, têm tudo para abrirem seu próprio negócio e se tornarem vitoriosas e bem sucedidas. Se você é mulher e quer abrir seu próprio negócio, confira 10 dicas para se dar bem:

1. Doe seu serviços
Anúncios são caros, por isso, uma boa saída para divulgar seu trabalho é doar serviços algumas vezes ano para caridade. Além de ajudar os outros, fará com que muitos passem a conhecer seu negócio por um preço que, usualmente, sai mais barato do que anunciar em algum lugar.

2. Seja agradecida
A americana dona de sua própria firma de consultoria chamada SAA, Sharom Armstrong, aconselha sempre agradecer aqueles que ajudaram você a chegar onde você se encontra. Todos os que os que fizeram parte desse processo merecem agradecimentos da forma mais pessoal possível. Desta forma, eles não te esquecerão e você poderá contar sempre com eles.

3. Siga em frente
Essa dica pode parecer um pouco óbvia, mas é essencial. Não importa o que aconteça, há sempre uma saída, uma forma de transformar um problema em oportunidade. Ou então, é sempre hora de respirar fundo e ir mais adiante num problema ou numa ideia. E se algo não está dando certo, não é o caso de lutar contra a maré, mas, simplesmente, seguir em frente.

4. Promova-se
A diretora-executiva e dona da empresa de marketing americana The Idea Is {In}, Jyoti Peswani, destaca a importância da auto-promoção. "Não tenha medo de se auto-promover. Estamos na era das redes sociais, é o momento para isso!". Use as mídias sociais para isso. Se você acha que é exagero só se promover, tente oferecer algo em troca para os seus seguidores online, como prêmios, produtos ou viagens.

5. Habilidades sociais
Faça o possível para criar um senso de comunidade com seus clientes. Isso pode se dar por meio de um evento de caridade, uma página de Facebook, um blog, uma newsletter ou simplesmente envolvê-los em algum aspecto do seu negócio.

6. Ousadia
O ditado popular "quem arrisca não petisca" não mente. É importante focar para o alto e, se não der certo, pelo menos você tentou. Ninguém saiu da normalidade sem ousar. Às vezes, achamos que não temos chance para conseguir, mas mesmo assim, corremos atrás e sucedemos. Não custa tentar.

7. Agenda
Respeite a sua agenda. Pois se você não o fizer, ninguém fará por você. Se você está sempre flexível e disponível demais, você se tornará uma vendedora, em vez de parceira, e, pior, acabará trabalhando 7 dias por semana.

8. Dê espaço para seus funcinários crescerem
É importante que seus funcionários se sintam em um ambiente gratificante e que os permita crescerem. Dessa maneira, eles trabalharão com mais vontade e tanto você como eles ganharão com isso.

9. Cada conversa tem que contar
Qualquer conexão de negócios deve ser verdadeira, com significado; seja online ou offline. Ser você vai se dar ao trabalho de frequentar eventos de networking, faça com que cada relação seja verdadeira e que tenha um propósito. Senão, nem vale a pena ir a esses encontros. No entanto, não se esqueça de que quem ganha com novas conexões é você.

10. Não dê ouvidos aos preconceitos
Você tem tudo para chegar onde quiser. Inspire-se em mulheres de sucesso, como a empresária Martha Stewart, cuja fortuna está estimada em 970 milhões de dólares. Jamais escute pessoas negativas e não dê ouvidos aos preconceitos. O mundo pode ser seu, é só correr atrás!

(Universia Brasil )

Se você não está bem, eu não ando bem também. Amizade é isso! Sei que você anda em baixo, anda preocupado, estressado. Então isso me deixa preocupado, porque eu conheço seu jeito e você é uma pessoa cheia de vida para dar e vender, no entanto anda sem ânimo, sabe? A gente tem de dar um jeito nisso. Um jeito para tocar você para a frente, para o caminho certo e merecido: o caminho para a felicidade e o bem-estar. Não vou descansar enquanto você estiver metido nesse poço injusto.

A vida é um momento pequeno onde a gente busca o que de melhor está à disposição. Acontece que diversas vezes, o melhor da vida anda meio escondido, anda fugindo de nossos braços. A gente não pode parar nunca de procurar o sumo da vida. Na verdade, o melhor da vida é sempre o agora, o tempo. Tudo o resto são coisas triviais! Então se levanta e parta em busca do seu espaço de satisfação. Não se permita desistir. Sim, porque sempre que você caminha cabisbaixo e sempre que você não oferece um sorriso aberto ao mundo e às pessoas você está desistindo. Abrace o mundo a toda a hora porque a vida é um momento só e que não para nunca. Você não está sozinho.
Conte comigo para tudo!

Como julgar o coração?
Como um simples músculo
Que controla a circulação
Ou um órgão que controla a emoção?
Como uma simples peça
Do quebra-cabeça do amor
Ou um alvo fácil do punhal do amor?
Forte como cordas de violão
Ou incapaz de aguentar um arranhão?
Como uma fonte de ternura
Ou uma impenetrável armadura?
Como possuidor da avareza
Ou um templo da mais caridosa beleza?
Como um radar da paixão
Ou apenas mera compulsão?
Como um ditador de regras
Ou como uma venda que cega?
Como um bibelô
Ou um tesouro tentador?
E aqui retorno a questão:
Quem será o cidadão,
Que vai julgar com distinção,
Os fundamentos do coração?

Benditos os que possuem amigos
os que os têm sem pedir
Porque amigos não se pede
não se compra nem se vende
amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos
os que falam com o olhar
Porque amigo não se cala
não questiona nem se rende
amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos
os que entregam o ombro pra chorar
Porque amigo sofre e chora
migo não tem hora
pra consolar!

Benditos sejam os amigos
que acreditam na tua verdade
ou te apontam a realidade
Porque amigo é a direção
é a base, quando falta o chão

Benditos sejam todos os amigos
de raízes, verdaddeiros
Porque amigos são herdeiros
da real sagacidade
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Meu querido amigo, eu sei como esta viagem foi sonhada, planejada e esperada por você. Viajar tem um poder transformador. Nunca voltamos os mesmos depois de uma viagem, principalmente quando vamos abertos para o novo. Mergulhe nesta experiência e deixe-se transbordar!

Permita que os novos ares, aromas, sabores, cores, sons e texturas tomem conta de você! Estranhe, compare, experimente, deixe-se entranhar. Não tenha medo do novo, do diferente. Abra o seu olhar de estrangeiro, viva tudo intensamente.

Dizem que quanto mais dinheiro se gasta numa viagem, menos se conhece o lugar! Por isso, vá a museus e galerias, faça passeios turísticos, mas também contemple as ruas escondidas dos bairros distantes.

Fuja de fast-foods e restaurantes gourmets, coma a comida local. Não ande apenas com os turistas, tente conhecer nativos, converse com o rapaz do café e com a vendedora de flores. Vá aos lugares onde as pessoas da cidade vão. Viva o lugar!

Traga mais memórias do que fotos, traga mais histórias para contar do que souvenirs para dar, viva os lugares por onde passar. Faça uma viagem espetacular e inesquecível. Volte renovado e com mais desejo de viajar!
Espero por você com muita curiosidade para saber das suas aventuras! Boa viagem e aproveite tudo ao máximo!

De todas as pessoas que você conhece, quem é feliz? Quem você acha que é realmente feliz? Será que as mulheres de sucesso profissional, mas que não têm tempo para ficar com os filhos são felizes?

Será que os homens dentro de seus grandes carros parados no trânsito engarrafado são realmente felizes? Será que a celebridade que fez plástica no mês passado e que vai para celebrar o seu quinto casamento é feliz?

Será que o palhaço que vende pipocas na praça é feliz? Será que a família que largou tudo para viver no campo é feliz? Será que a dona do apartamento dos sonhos é feliz? Será que o terceiro homem mais rico do país é feliz?

Será que a felicidade está nas coisas grandes ou pequenas? Será que podemos ver a felicidade ou apenas senti-la? Será que a felicidade é ter ou ser? Quem é realmente feliz?