Quem sou eu?


Passei está noite em teu quarto,
Como luz do luar entrei sem pedir licença,
Como brisa do mar coloquei meu rosto sobre o teu,
Como filhote de pássaro agasalhei-me em teus braços
E como um beija-flor que rouba o pólen
Assim são meus lábios nos teus
E como neblina que se espairece aos raios solares
Assim sou eu, nesta manhã de um novo dia...

Mensagens Relacionadas

Sou completamente apaixonada,
pelo seu jeito de me olhar,
pelo seu jeito de sorrir,
pelo seu jeito de ser,
pelo seu jeito de me beijar,
pelo seu jeito de dizer que me ama,
pelo seu jeito de falar,
pelo seu jeito de andar,
pelo seu jeito de me abraçar,
Enfim! Te amo do jeito que só eu sei amar!

Eu sou o vento
Aquele que vem sem ser chamado
E canta nas janelas quebradas
Dos sanatórios

Nunca estou próximo
Nem distante
Seco as roupas nos varais
Desfaço as nuvens

Arranco as velas dos barcos
Brinco com aviões de papel
Levanto as pipas coloridas
E as saias das mocinhas

Lunáticas mãos
Faca na manteiga
Acredite em qualquer coisa
Espere por ninguém

Eu sou o vento
Com pouco não me contento
Venho e vou
Sem rota ou destino

Tantas viagens/tantos telhados
Tantas histórias/ tantos moinhos
Tantas ondas/ tantos cataventos
Tantas cartas/ tantos caminhos

Faço dançar o abraço das flores
E o beijo das fadas
Rasgo cicatrizes nas serras
Deixo sorrisos nos campos

Carrego segredos
Sopro bandeiras desfiadas
Derrubo as árvores
Descolo cartazes

Eu sou o vento
Aquele que nem bem chega
E já parte de repente
Feito um suspiro

(Carlos Assis)

Foi amor a primeira vista,
Você me olhou...
Eu olhei pra você...
Foi paixão ao primeiro beijo,
Você roubou um beijo meu...
Eu roubei um beijo seu...
Foi desejo no primeiro instante que sua pele tocou na minha,
Você se aconchegou no meu corpo...
Foi assim que nós formamos um só,
Você se entregou pra mim...
Eu me entreguei pra você...
E nessa magia do amor,
Você é meu eternamente...
Eu sou sua eternamente...

Lembranças, quantas lembranças
De meus tempos de criança.
Bolinha de gude,
Pipa...
Passa anel!
Vamos brincar de passa anel?
Quem sabe em tua mão fica
E entendes que nesse anel
está todo o mel...
O mel do amor,
O meu amor criança.
Beijo, abraço ou aperto de mão!
Não será esta a melhor opção?
Podes me dar um beijo
Acalmando meu desejo
Podes me dar um abraço
E me aninhar em teus braços
Será um aperto de mão?
Segura então as duas mãos
e nunca as deixe largar...
Quantas perguntas sem respostas
Está meu coração a torturar...
Ah que saudades eu tenho
de meu tempo de criança...
Onde o enredo somente
era o riso e os folguedos...
Nem passado, nem presente,
nem futuro...tão somente
o amor que a gente sente
O que me faz criança simplesmente
é este amor semeado na eternidade
Este é meu terno e eterno presente!

Viver sem você, é como querer viver sem respirar, é como querer acordar de manhã e não ver o sol, é como querer parar a chuva, é como querer que o mundo não gire mais, pois viver sem você não é viver.

Eu te quero para todo sempre, meu amor, porque toda vez que você está ao meu lado, me sinto muito feliz e realizada, pois quando estou contigo eu não preciso de mais nada, pois você já me dá tudo que eu quero e preciso. Amo você!