Angustia


O que há de errado?
Me diga, por favor
Eu não mais deveria procurá-lo
Eu deveria esquece-lo
Mas a verdade é única
Cá estou a lhe escrever
Motivo lógico não encontro
Por mais que eu queira perde-lo
Mais o acho dentro de mim
Não quero este resgate
Não quero!
O que há de errado?
Iludo-me na mentira
Sofro com a verdade
Machuco-me de qualquer jeito
Com ou sem você
Que castigo é este?
Parece não ter fim
Apelo a você
Ajude-me!
Não quero mais sofrer
O seu silêncio me tenta
A sua presença me afasta
O que há de errado?
Ontem, éramos nós
Felizes nas mentiras
Hoje você é um estranho que temo
Na realidade maldita
Não aceito a sua indiferença
Não me trate como ninguém
Sem você tenho o mundo
Mas não tenho nada
O que há de errado?
O que há de errado?

Mensagens Relacionadas

Não procures na angústia da saudade,
A lembrança do teu sonho reprimido
De nada valem as recordaçoes que invadem,
Se nada foram, num tempo já esquecido.
Siga em frente, a procura de ideais,
Se eles foram a razão de sua vida.
Esqueça o tempo que não voltará jamais,
Leve consigo a lembrança da partida.
Se algum dia, bem distante, reviver
Mesmo que seja, mesmo que por um instante....
A lembrança deste meu triste semblante,
Não se demore, volte logo a esquecer.

Quinta-feira, um dia incomum
dentro do comum, o tempo não passa,
de repente ele pára.
Angustia no peito, que demora,
sempre querendo ir embora,
ficar só, junto dos seus. mas os seus não se dão,
é ficar só no meio da multidão.

(Shaday Bering Chiarle)

Eu a pequenez,
Deus a Grandeza!
Eu o pecado,
Deus a graça!
Eu a raiva,
Deus o perdão!
Eu a tristeza,
Deus a alegria!
Eu a dúvida,
Deus a certeza!
Eu a escuridão,
Deus a luz!
Eu a apatia,
Deus a vida!
Eu a angústia,
Deus a paz!
Eu o medo,
Deus a coragem!
Eu a indiferença,
Deus o amor!
Eu o nada,
Deus o tudo!
Eu a fraqueza,
Deus a força!
Eu o tédio,
Deus a compaixão!
Eu faço então uma prece,
Deus se compadece!
Eu...tudo posso,
Naquele que me fortalece

Mundo colorido
Alegria vital
Calma perdida
Sonho desfeito
Ilusão de segundos
Olhar de palhaços
Tristeza profunda
Que agora me traz
Passado e presente
Perdidos no tempo
Tempo de marcas
Profundas marcas
Agora o vazio
Silêncio mortal
Retroceder não diminui a angústia
Tudo que acontecer
Importante será
Me chame de louca
Ou outra palavra qualquer
No delírio eu quero ficar!

Recomeça
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

(Miguel Torga)
(Poemas do Mundo)