Mensagens de Família

Encontradas mais de 271 Mensagens de Família:

O Último Adeus

A noticia se alastrou, de certo modo se esperava, um último adeus se previa e já bastante sofria de doença prolongada.

A família se juntou num pranto de tristeza, lamentando a sua despedida, tendo em conta a plena certeza, de ter cessado num último suspiro de leveza, o padecimento e a angústia que se via num triste olhar…esperando um dia tudo isto findar.

A noite gelava os pensamentos e os indefesos corações, que se deixavam ir pelas emoções, relembrando as melhores recordações, choradas e contadas com as mais diversas expressões.

O cheiro das lindas flores que se difundia na mente, contrastava com o sentimento interiorizado de cada um ali presente.

Era o constante admirar e com as mãos cheias de ternura, que se ia passando na alma ali deitada, que em paz agora descansava, deixando uma imensa saudade, de ser na verdade…

Pessoa cheia de bondade e de uma inesgotável doçura. As palavras eram escolhidas e cuidadosamente proferidas, pelo sacerdote, que num modo brando, pronunciava as palavras de deus, para dizer um último adeus da viagem feita para os céus…

O tempo… esse não parava e a derradeira hora chegava, o frio e a chuva caíam, o vento soprava e levantava, folhas secas em forma de remoinho, conduzido a um incerto destino, que por aquela alma esperava.

A última viagem foi consumada, conduzida de forma perfeita até ao seu término local de morada, pela sua família e amigos ia sendo acompanhada, numa última homenagem a ser feita.

Chegado o derradeiro momento, o tempo de súbito pareceu parar… O vento não mais se fez sentir, a chuva parou de cair e o frio não mais se sentiu no meio de um enorme pesar.

O olhos encharcados junto do sol brilharam, seus raios por entre as nuvens passavam e os pássaros nas árvores cantaram…

Sim cantaram numa sintonia e harmonia fazendo o arco-íris surgir querendo também ele ouvir e assistir neste ultimo adeus, sorrindo e esperando de braços estendidos, para acolher e hospedar esta alma junto de Deus.

O vazio se mostrou em forma de arrepio, quando o som divino mudou e a enxada na terra penetrou.

Mudava de novo o cenário, o mais triste e difícil de se ver, quando os obreiros chamados de coveiros seu corpo fizeram descer.

Num baixar de cabeças e abraços de compaixões, soltaram-se os prantos que teimavam em sair, agarrados em seus corações, dos que mais chegados eram,
pedindo a Deus a divina força para este triste e difícil adeus.

(Moisés Ferreira)
(Pensa Manzas)

A Solução

Chamava-se Almira e engordara demais. Alice era a sua maior amiga. Pelo menos era o que dizia a todos com aflição, querendo compensar com a própria veemência a falta de amizade que a outra lhe dedicava.
Alice era pensativa e sorria sem ouvi-la, continuando a bater à máquina.
À medida que a amizade de Alice não existia, a amizade de Almira mais crescia.
Alice era de rosto oval e aveludado. O nariz de Almira brilhava sempre. Havia no rosto de Almira uma avidez que nunca lhe ocorrera disfarçar: a mesma que tinha por comida, seu contato mais direto com o mundo.
Por que Alice tolerava Almira, ninguém entendia. Ambas eram datilógrafas e colegas, o que não explicava. Ambas lanchavam juntas, o que não explicava. Saíam do escritório à mesma hora e esperavam condução na mesma fila. Almira sempre pajeando Alice. Esta, distante e sonhadora, deixando-se adorar. Alice era pequena e delicada. Almira tinha o rosto muito largo, amarelado e brilhante: com ela o batom não durava nos lábios, ela era das que comem o batom sem querer.
"Gostei tanto do programa da Rádio Ministério da Educação", dizia Almira procurando de algum modo agradar. Mas Alice recebia tudo como se lhe fosse devido, inclusive a ópera do Ministério da Educação.
Só a natureza de Almira era delicada. Com todo aquele corpanzil, podia perder uma noite de sono por ter dito uma palavra menos bem dita. E um pedaço de chocolate podia de repente ficar-lhe amargo na boca ao pensamento de que fora injusta. O que nunca lhe faltava era chocolate na bolsa, e sustos pelo que pudesse ter feito. Não por bondade. Eram talvez nervos frouxos num corpo frouxo.Na manhã do dia em que aconteceu, Almira saiu para o trabalho correndo, ainda mastigando um pedaço de pão. Quando chegou ao escritório, olhou para a mesa de Alice e não a viu. Uma hora depois esta aparecia de olhos vermelhos. Não quis explicar nem respondeu às perguntas nervosas de Almira. Almira quase chorava sobre a máquina.
Afinal, na hora do almoço, implorou a Alice que aceitasse almoçarem juntas, ela pagaria.
Foi exatamente durante o almoço que se deu o fato.
Almira continuava a querer saber por que Alice viera atrasada e de olhos vermelhos. Abatida, Alice mal respondia. Almira comia com avidez e insistia com os olhos cheios de lágrimas.
— Sua gorda! - disse Alice de repente, branca de raiva. Você não pode me deixar em paz?! Almira engasgou-se com a comida, quis falar, começou a gaguejar. Dos lábios macios de Alice haviam saído palavras que não conseguiam descer com a comida pela garganta de Almira G. de Almeida.
— Você é uma chata e uma intrometida, rebentou de novo Alice. Quer saber o que houve, não é? Pois vou lhe contar, sua chata: é que Zequinha foi embora para Porto Alegre e não vai mais voltar! Agora está contente, sua gorda?
Na verdade Almira parecia ter engordado mais nos últimos momentos, e com comida ainda parada na boca.
Foi então que Almira começou a despertar. E, como se fosse uma magra, pegou o garfo e enfiou-o no pescoço de Alice. O restaurante, ao que se disse no jornal, levantou-se como uma só pessoa. Mas a gorda, mesmo depois de feito o gesto, continuou sentada olhando para o chão, sem ao menos olhar o sangue da outra.
Alice foi ao pronto-socorro, de onde saiu com curativos e os olhos ainda arregalados de espanto. Almira foi presa em flagrante.
Algumas pessoas observadoras disseram que naquela amizade bem que havia dente-de-coelho. Outras, amigas da família, contaram que a avó de Almira, dona Altamiranda, fora mulher muito esquisita. Ninguém se lembrou de que os elefantes, de acordo com os estudiosos do assunto, são criaturas extremamente sensíveis, mesmo nas grossas patas.
Na prisão Almira comportou-se com docilidade e alegria, talvez melancólica, mas alegria mesmo. Fazia graças para as companheiras. Finalmente tinha companheiras. Ficou encarregada da roupa suja, e dava-se muito bem com as guardiãs, que vez por outra lhe arranjavam uma barra de chocolate. Exatamente como para um elefante no circo.

(Clarice Lispector)

Vampiro

Eu não acredito em gnomos ou duendes, mas vampiros existem. Fique ligado, eles podem estar numa sala de bate-papo virtual, no balcão de um bar, no estacionamento de um shopping. Vampiros e vampiras aproximam-se com uma conversa fiada, pedem seu telefone, ligam no outro dia, convidam para um cinema. Quando você menos espera, está entregando a eles seu rico pescocinho e mais. Este “mais” você vai acabar descobrindo o que é com o tempo.
Visite: mensagens, papel de parede, filmes, videos
Vampiros tratam você muito bem, têm muita cultura, presença de espírito e conhecimento da vida. Você fica certo que conheceu uma pessoa especial. Custa a se dar conta de que eles são vampiros, parecem gente. Até que começam a sugar você. Sugam todinho o seu amor, sugam sua confiança, sugam sua tolerância, sugam sua fé, sugam seu tempo, sugam suas ilusões. Vampiros deixam você murchinha, chupam até a última gota. Um belo dia você descobre que nunca recebeu nada em troca, que amou pelos dois, que foi sempre um ombro amigo, que sempre esteve à disposição, e sofreu tão solitariamente que hoje se encontra aí, mais carniça do que carne.
Esta é uma historinha de terror que se repete ano após ano, por séculos. Relações vampirescas: o morcegão surge com uma carinha de fome e cansaço, como se não tivesse dormido a noite toda, e você se oferece para uma conversa, um abraço, uma força. Aí ele se revitaliza e bate as asinhas. Acontece em São Paulo, Manaus, Recife, Florianópolis, em todo lugar, não só na Transilvânia. E ocorre também entre amigos, entre colegas de trabalho, entre familiares, não só nas relações de amor.
Doe sangue para hospitais. Dê seu sangue por um projeto de vida, por um sonho. Mas não doe para aqueles que sempre, sempre, sempre vão lhe pedir mais e lhe retribuir jamais.

Segredos do Sucesso Profissional

Todos nós queremos conhecer o segredo do sucesso profissional para as nossas vidas, além do sucesso familiar e sucesso em todas as outras áreas. Mas então qual é o segredo para o sucesso profissional?

Existem algumas características que podem nos ajudar a alcançar o sucesso, mas a principal é a ação. Sem ação, qualquer boa característica que tenha não serve de muito.

Das seguintes características, pode aprender algumas na escola, outras no emprego e outras ainda da experiência da vida. Aqui ficam os segredos do sucesso profissional.

1. Falar bem em público
A capacidade de falar bem em público, seja para uma pessoa ou para centenas, é uma das mais importantes que podemos aprender.
Quem domina a arte de falar em público, aparece aos olhos dos outros como uma pessoa confiante e mais atractiva, que todos gostam de acompanhar.
Com esta característica, pode vender produtos ou serviços, mas mais importante, vender ideias, defender pontos de vista e apresentar soluções.

2. Escrever bem
Saber escrever bem oferece praticamente as mesmas vantagens de saber falar em público.
Consegue estruturar melhor as suas ideias e defender as suas opiniões.
É preciso dominar a gramática da sua língua e ter a capacidade de apresentar textos muito bem organizados e claros.
Os grandes gurus de uma determinada área de negócio, são pessoas que normalmente escrevem artigos para várias publicações e que também aparecem em conferências.

3. Gestão Pessoal
Outro segredo do sucesso profissional é a Gestão Pessoal. Para podermos agir corretamente, nas tarefas que criam mais valor, é necessário melhorar a nossa gestão pessoal. Organização, produtividade, disciplina e Desenvolvimento Pessoal constante, são hábitos obrigatórios para quem quer ter sucesso profissional.

4. Redes de contatos
Ter uma rede de contactos é útil para angariar clientes e procurar emprego, mas é muito mais importante para criar ideias e desenvolver produtos finais interessantes. As portas de fornecedores, clientes e parceiros se abrem e é gerada uma corrente de valor para a inovação e criatividade.

5. Pensamento crítico
Existe hoje em dia muito mais informação a circular no Mundo do que existia em gerações passadas, o que torna impossível o conhecimento de todas as áreas. Por isso, a capacidade de filtrar a informação importante e relacioná-la com a informação que já conhece, é crucial para atingir o sucesso profissional e se diferenciar dos outros milhões de pessoas.

6. Capacidade de decisão
Como já vimos, agir é a única forma de fazer com que as coisas aconteçam. Para podermos agir é necessário ter uma excelente capacidade de decisão baseada nos fatos que dispomos num determinado momento. Não quer dizer que é necessário acertar sempre nas decisões tomadas, mas ficarmos sem agir devido a uma análise excessivamente demorada dos problemas é bastante pior.

7. Matemática
Não é preciso ser genial e dominar conceitos mais avançados, como derivadas e integrais, mas ser rápido a analisar dados na sua cabeça, como juros compostos e conceitos estatísticos.
Aliar esta capacidade de análise com a capacidade de decidir rapidamente, farão a diferença na sua carreira.

8. Capacidade de investigação
Como já vimos, a quantidade de informação existente numa qualquer área é demasiado grande para que uma pessoa saiba tudo sobre ela.
Hoje em dia, não se espera que saiba tudo, mas espera-se que consiga encontrar rapidamente uma resposta para os problemas. Para isso, temos de saber onde procurar:

- Bibliotecas
- Jornais
- Internet
- Ler mais eficazmente
- Conhecer as pessoas que têm respostas

9. Saber relaxar
O stress afeta a sua saúde, pode até ser de forma fatal, mas afeta também a sua performance.
Quando estamos ansiosos, é mais difícil pensar, tomar decisões e socializar corretamente.
Trabalhar até à exaustão para conseguir ser promovido ou acompanhar o mercado não é sucesso profissional, é apenas obsessão idiota.
Enfrentar os problemas da forma mais produtiva possível e da forma que gera menos stress, é talvez o mais importante de tudo.

10. Contabilidade
O dinheiro é um fator muito importante na nossa sociedade, porque permite muitos prazeres que seriam impossíveis de outra forma.
Por isso, é importante conhecer contabilidade mais simples, como finanças pessoais, para registar o que ganha e o que gasta.
É também muito importante saber quanto vale o seu tempo profissional e quanto valem as tarefas que tem de cumprir, para escolher as que lhe tragam maiores benefícios pelo mesmo tempo de trabalho.

Estas são apenas dez características importantes. Haverá mais algumas específicas para determinados objetivos e outras mais gerais para que tenha outros valores na vida para a palavra Sucesso.

Se conseguir melhorar em algumas, ou ainda melhor, em todas as características, tem quase a garantia que será bem sucedido em qualquer área, porque descobriu o segredo do sucesso profissional.

7 Dicas Para Alcançar Sucesso Profissional

Cada profissional é responsável pela gestão da sua carreira. Até aqui, nada de novo. O que mudou foram os pressupostos para a conquista de um emprego e respetiva manutenção. Evidentemente que os conceitos de lealdade ou respeito continuam a ser válidos e importantes, mas não são suficientes.

Com a crise económica que se sente um pouco por todo o mundo, surgiram os
sucessivos despedimentos. Todos nós já passamos pela experiência, direta ou
indireta, de uma situação de desemprego, à qual com relativa frequência até
somos alheios e apenas vítimas.

Qualquer situação desta natureza exige que esses profissionais se posicionem no mercado de uma forma diferente. É conveniente mudar hábitos, rotinas, atualizar competências, desenvolver habilidades, diversificar/solidificar conhecimentos e, também, manter ativa a rede de contactos.

Falava há dias com um familiar próximo sobre o tema. Aos profissionais no ativo
é hoje passada uma mensagem de contenção que surge de todos os quadrantes. É preciso destreza para manter o posto de trabalho mas isso nem sempre é tarefa fácil.

Como se pode conter o descontentamento? Como alterar hábitos que não conduzem ao sucesso? É forçoso promover uma contínua atualização em contraponto com a tendência para nos “acomodarmos” e, em consequência, contribuirmos nós mesmos para uma certa estagnação da carreira.

A mudança deve assentar na procura da excelência, da competência e da especialização na área em que se trabalha ou se quer vir a trabalhar. Deixam-se sete dicas.

1. Promova um comportamento ético afastando-se de jogos duplos e não tenha receio de utilizar as “palavrinhas milagrosas”: por favor, obrigado, bom dia…!

2. Mantenha uma dose acertada de humildade – não faz mal a ninguém e é de graça. É preciso informar o que se pensa e vivemos em democracia. Mas faça-o de forma correta. Especialmente quando comunica com quem tem um estatuto diferente ou mais experiência profissional, ou já não se é tão jovem…

3. Tente fazer aquilo de que gosta: a motivação aumenta quando temos oportunidade de fazer o que apreciamos.

4. Seja competente e mantenha-se a par das novidades no âmbito da sua profissão e, se possível, acompanhe as áreas conexas. O que nos torna diferentes aos olhos de um empregador assenta nas competências profissionais e nos pormenores, ou no que podemos dar como “extra”: capacidade de trabalho, criatividade, solidariedade…

5. Cultive os relacionamentos profissionais e promova relacionamentos positivos. Este aspecto, além de determinante no bem-estar de cada um, é altamente apreciado em equipe.

6. Alcance metas definindo uma estratégia e sendo empreendedor. Tenha iniciativa, visão e foco nos objectivos, não apenas nos alvos que quer cumprir.

7. Cuide da imagem exterior – é o que se vê primeiro – e use de bom senso na
seleção da indumentária, seja diferente pela positiva. Aqui, como noutros aspectos, a palavra de ordem deve ser: profissionalismo!

(Susana de Salazar Casanova)
(Sábado)

A Felicidade

O tempo passa, e nós mudamos tanto...
Ficamos tão sérios, tão preocupados, e sempre tão sem tempo pra coisa alguma. De repente, alguém disse que para sermos felizes, o que precisamos é ter um bom emprego, uma bela casa, o carro do ano, os aparelhos e as roupas da moda e, claro, termos muito dinheiro na conta. E nós, bobos, seguimos atrás destas coisas cegamente, desesperadamente, entregando-nos a uma vida afogada em trabalho, estudos, metas, e uma constante insatisfação.
Mas se olharmos para trás, ainda poderemos lembrar de um tempo em que era até engraçado não ter dinheiro e fazer vaquinha pra pagar a conta da lanchonete com nossos melhores amigos. Se não conseguíamos ir todos juntos para a festa ou para o show da hora, fazíamos nossa festa na casa de alguém, ou na rua, mesmo, por que nossa verdadeira festa era estarmos juntos, sorrindo uns com os outros.
Mas... para onde foi esse tempo? Para onde foram os amigos? Para onde estamos indo nós? Nós nascemos muito felizes. Crescemos naquilo que pode ser a expressão mais tangível da felicidade possível, mas aos poucos vamos trocando isso por outros valores, como sucesso profissional e sucesso financeiro...
Bem-aventurado é aquele que consegue acordar a tempo de perceber que melhor do que fazer horas extras no trabalho ou perder noites de sono em algum projeto ou pesquisa, é sempre reservar um tempo para preservar suas amizades, dedicando-se às pessoas que você ama, à sua família. A felicidade está conosco o tempo todo: nós é que muitas vezes não damos a menor bola pra ela...

(Augusto Branco)