Mensagens Evangélicas


Conta-se que um amigo levou um índio para passear no centro de uma grande
cidade, como o Rio ou São Paulo. Seus olhos não conseguiam acreditar na
altura dos edifícios e ele mal conseguia acompanhar o ritmo frenético das
pessoas indo e vindo. Espantava-se com o barulho ensurdecedor das sirenes,
dos automóveis, das pessoas falando em voz alta.

De repente, o índio falou: "Ouço um grilo!"

O amigo espantado retrucou: "Impossível ouvir um inseto tão pequeno nessa
confusão!"

O índio insistiu que ouvia o cantar de um grilo. Tomando o seu cicerone pela mão, levou-o até um canteiro de plantas. Afastando as folhas, apontou para o pequeno inseto.

"Como?" Perguntou o amigo, ainda sem crer.

O índio pediu-lhe algumas moedas, e então jogou-as na calçada. Quando elas caíram e se ouviu o tilintar do metal, muita gente se voltou.

"Escutei o grilo porque o meu ouvido está acostumado com este tipo de barulho. As pessoas aqui ouvem o dinheiro caindo no chão porque foram condicionados a reagirem a esse tipo de estímulo." Depois arrematou: "A gente ouve o que está acostumado ou treinado a ouvir."

Vivemos em um mundo materialista. A vida nos impõe que sejamos muitas vezes duros. Acabamos nos tornando céticos. A voz de Deus não é ouvida senão por aqueles que têm o ouvido sensível. Muitas vezes a correria da vida e as agitações da nossa alma inquieta não nos permitem perceber o Divino.

Treinamos os nossos sentidos para reagir apenas aos impulsos da sobrevivência, mas há realidades que só se percebem com o espírito. Aqueles que aquietam o coração e se deixam tocar pelo Eterno, escutam o sussurro de Deus.

Desejo que todos consigamos, apesar do tumulto que nos cerca, escutar o sussurro de Deus.

Infelizmente o Deus estudado pela teologia não corresponde ao Deus interpretado pela psicologia e filosofia. Jesus apresentou um Deus que não condena, não faz guerras para impor sua vontade, não agride, não discrimina, mas um Deus generoso, afetivo, sereno.
Você discrimina prostitutas? Ele as abraça. Você rejeita drogados? Ele os ama. Você dá as costas a muçulmanos ou budistas por não serem cristãos? Ele é deslumbrado por eles. Não importa a opção sexual, a religião, a cultura a nacionalidade. Jesus nos apresentou um pai preocupadíssimo com cada ser humano.

(Augusto Cury)

Deus espera poder finalmente nos dar um avivamento. Em Isaías 33.9-10 está escrito a respeito desse assunto: "A terra geme e desfalece; o Líbano se envergonha e se murcha; Sarom se torna como um deserto, Basã e Carmelo são despidos de suas folhas. Agora me levantarei, diz o Senhor; levantar-me-ei a mim mesmo, agora serei exaltado." Deus falou isso a Israel naquela época. Em Jesus Cristo e através de Jesus Cristo Ele diz as mesmas coisas para nós hoje. Deus, quando diz: "Agora me levantarei, diz o Senhor; levantar-me-ei a mim mesmo, agora serei exaltado", o faz porque a terra estava "gemendo e desfalecendo". E com isso Ele quer expressar exatamente o que está escrito também em Isaías 44.3: "Porque derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes." E é exatamente isso que Deus quer dar a uma terra que, a Seus olhos, está "gemendo e desfalecendo". Naturalmente essa promessa vale em primeiro lugar para Israel, mas fico tão feliz porque posso ter a certeza de que o Senhor dirige essas palavras também a nós atualmente.

(Marcel Malgo)

Não há nada mais lindo do que a consagração do amor no matrimônio. Quando dois corações e duas vidas se unem com a bênção de Deus, o amor é ungido pela proteção divina. Cabe aos noivos respeitarem as palavras do Senhor e seguir os seus ensinamentos para uma ter vida familiar com muita paz e amor.

Vocês começam agora um percurso muito bonito: o casamento e a constituição de uma família. Que a união de vocês seja muito feliz, que seja forte o suficiente para enfrentar qualquer dificuldade que a vida lhes coloque no caminho. Que haja muita paz, tolerância e companheirismo. Onde há amor, há felicidade!

Que a vida do casal seja iluminada sempre! Parabéns aos noivos e que Deus abençoe esta união.

Para alcançarmos um avivamento real, certas condições precisam estar presentes em nossa vida. Mas existe uma outra coisa que não devemos esquecer quando falamos de despertamento: a oração. Temos de orar por um despertamento! A seguir, não quero falar das razões para implorarmos por avivamento. Pretendo mostrar, com alguns exemplos bíblicos, que a oração por avivamento está plenamente de acordo com a Bíblia. Pensemos em Asafe, que no Salmo 80 orou três vezes: "Restaura-nos, ó Senhor Deus dos Exércitos, faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos" (v. 19, comp. também os vv. 3 e 7). Naturalmente aqui, dentro do contexto, trata-se de uma vivificação exterior. Mas quando se conhece a história bíblica de Israel mais ou menos profundamente, então se sabe que uma vivificação, uma restauração exterior sempre antecedia um avivamento interior. Por isso, quando Israel orava por nova vida, isso era também um clamor por nova vida espiritual, por renovação interior.

Interceder por despertamento é como interceder por Israel. O Senhor fala sobre isso cheio de emoção: "Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei. Por isso eu derramei sobre eles a minha indignação..." (Ez 22.30-31). Se naquela ocasião o Senhor tivesse encontrado pessoas crentes que intercedessem perante Ele por Seu povo, talvez tivesse poupado a Israel. O mesmo acontece com um despertamento: mesmo que o avivamento venha exclusivamente da parte de Deus e mesmo que só o Senhor possa despertar Seu povo, temos de orar com fervor para que o avivamento aconteça. Paulo o sabia muito bem, senão não teria feito o pedido aos cristãos de Tessalônica: "Finalmente, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague, e seja glorificada, como também está acontecendo entre vós" (2 Ts 3.1). A palavra do Senhor se propagando e sendo glorificada já é avivamento. E exatamente por isso o apóstolo pediu que a igreja intercedesse por um despertamento. Será que nós também não temos que orar muito mais por despertamento?

(Marcel Malgo)

"Todo avivamento genuíno precisa realçar esse Deus sublime em amor, graça e soberania". (J. Edwards)

Avivamento é a intervenção de Deus em uma igreja morna, que convive de modo amistoso demais com o mundo em decomposição moral e espiritual. Fico pensando que tempos em tempos quando a medida da ira do Senhor em relação ao pecado sobeja em uma proporção divinamente impossível de suportar, Deus se agracia de si mesmo em enviar sobre os homens um "batismo de fogo e de poder".

Tenho me convencido de que, não se trata de maneirismos humanos ou traquejos de nossa humanidade perdida e caída, avivamento é coisa de Deus! Eu paro a fim de ler sobre avivamento e confesso, tenho dificuldades de segurar as lágrimas, pois começo a imaginar Deus se derramando como foi em 1904 na experiência de Evan Roberts, o galês que orava, "Senhor, dobra-me...". Esse clamor, que foi apenas um dos tantos que noticiamos nas histórias dos grandes avivamentos expressa um desejo de quebrantamento que supera, em muito aquilo que estamos vivendo em nosso tempo onde a mentira da prosperidade financeira como sinal da benção de Deus faz a cabeça dos Edir Macedos, RR Soares e tantos outros tresloucados de plantão!

Nos avivamentos os crentes não se preocupam com a terra, com os negócios, com as conquistas meramente materiais, eles não se punham a construir catedrais, eles oravam e movimentavam toda uma região com os valores impactantes do evangelho. O que acontecia nos tempos áureos dos avivamentos é uma repetição de Atos dos Apóstolos quando as multidões diziam a respeito dos cristãos: "eis os que os tem alvoraçado o mundo (colocado-o de pernas para o ar) chegaram também até nós" (Atos 17.6).

(a) O mundo mudava em tempos de avivamento.

Isso foi estampado na Inglaterra no século XVII, quando os irmãos Wesley viajavam no país inteiro com as suas mensagens proclamadas nas praças, nos púlpitos e nas saidas das minas de carvão. Temos relatos de homens que com seus rostos empretecidos de carvão choravam copiosamente, com as lágrimas fazendo caminho brancos em seus rostos! Aleluia! Homens quebrantados pelo calor da mensagem e pela luz que vinha do entendimento do propósito maior de Deus ao criar o ser humano: tê-lo para si em intimidade!

(b) A igreja era balançada em tempos de avivamento.

Já não havia mais concessões a respeito do pecado. Congregados irregenerados não conseguiam assentar à mesa do Senhor para cear. Tudo era muito sério. Solene. Apoteótico. A vida da igreja era vivida na perspectiva dos santos. Hoje como carecemos de um avivamento! Há meninos nos púlpitos! Há moleques nos ministérios de música! Há crianças no diaconato! Não dá para mantermos esse estado de coisas, é tempo de uma intervenção radical de Deus tirando do meio de nós tanto joio, tanta gente perniciosa que só abre a boca para criticas mordazes e expressões de ridicularização de suas lideranças pastorais!

(c) O coração era moído em tempos de avivamento.

E sabe porquê? Pelo senso de eternidade, de seriedade em relação à vinda do Senhor Jesus. Richard Owen Roberts, um avivalista que conheci recentemente pelas minhas leituras sobre o tema do avivamento disse algo extremamente relevante: "Não há como escapar do fato de que a questão do juizo faz parte integral da vida de um verdadeiro discipulo de Jesus. Uma das razões por que precisamos tanto de um avivamento hoje é justamente por termos deixado de lado esta questão de juízo e por o considerarmos como algo tão irrelevante para a vida do cristão."

Isso é sério, em tempos de avivamento as pessoas viviam na iminência do juízo de Deus e tremiam de pavor em relação ao dia da grande prestação de contas diante do Deus altíssimo. Hoje o que temos é a banalização da vinda do Senhor Jesus, e já há até alguns renomados professores de seminário que já não creêm mais no arrebatamento da igreja!

Pensei alto demais já... paro por aqui... mas prossigo no entendimento de que precisamos orar como Habacuque: "Eu ouvi, Senhor, a tua fama, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos; faze que ela seja conhecida no meio dos anos; na ira lembra-te da misericórdia" (Habacuque 3.2).

(Ezequias A. Marins)
(Mensagens Bíblicas)

Alguns dias, quando a noite está fria, eu me lembro de você e logo o meu coração se aquece, e o calor da sua lembrança toma todo o meu corpo.

Quando estou triste, basta buscar na minha memória a fotografia do seu meigo sorriso e logo a minha alma sorri. Cada palavra que sai da sua boca entra pelas minhas veias e bobeiam o meu coração.

Você tem um charme encantador, que me tira o ar. Você é tão especial, que basta repetir o seu nome para a minha vida melhorar.

Não sei o que fiz a Deus para merecer alguém como você, mas se Ele te trouxe para a minha vida eu só posso agradecer e dizer Amén!

Você faz do mundo um lugar maravilhoso. Sempre que olho para você penso que se há uma certeza na vida, é que eu sempre vou te amar.

Sabe essa dor que você sente e que nem consegue explicar, esse sofrimento e tristeza que acha que ninguém é capaz de entender? Sabe esse momento difícil que você vive agora e que acha que ninguém enxerga? Deus vê. Deus sabe tudo, Ele conhece todas as dores do mundo, Ele carrega essa dor com você, Ele está dentro do seu coração.

Mas Deus não coloca no caminho de ninguém um obstáculo maior do que uma pessoa é capaz de ultrapassar. Se a sua cruz lhe parece pesada, respire fundo, retome as forças e siga. Você verá que conseguirá levá-la até onde for preciso e na hora certa se livrará dela. Deus é misericordioso, e se passamos por dificuldades na vida é para crescermos, para nos tornarmos pessoas mais sábias. Nada é por acaso.

Confia a sua vida ao Senhor e segue em frente. Vai em paz, resigna-se a vontade Dele, busca serenidade e logo você vai entender. Tudo tem um porquê. Ânimo e força!

Supremo Deus de infinita bondade, sou um ser sadio, rico e feliz, sou perfeito, rico de saúde, a harmonia faz parte todos os dias de minha vida, desintegro agora de todos os conflitos, doenças, medos, tenho o merecimento de receber toda a riqueza da saúde, da sabedoria, do amor, fortaleço naquele que me fortalece todos os dias.

Boa Tarde!

Deus. Ó Deus infante. O mais precioso filho do céu. Concebido pela união da graça divina com a nossa desgraça. Durma bem.

Durma bem. Banhado pela fresca da noite cravejada de diamantes. Durma bem, pois o fogo da ira ferve bem perto. Goze do silêncio do berço, pois o ruído do tumulto se faz sentir em seu futuro. Saboreie a doce segurança de meus braços, pois chegará breve o dia em que não poderei protegê-lo.

Descansem bem, mãos pequeninas. Pois apesar de pertencerem a um rei, vocês não tocarão o cetim, não possuirão ouro. Não pegarão numa pena, não guiarão um pincel. Não, suas mãos pequeninas foram reservadas para obras mais preciosas:
tocar a chaga viva de um leproso
enxugar a lágrima triste de uma viúva,
agarrar-se ao chão do Getsêmani.

Suas mãos, tão minúsculas, tão ternas, tão brancas — fechadas hoje em forma de punho infantil. Elas não foram destinadas a empunhar um cetro nem abanar do balcão de um palácio, mas reservadas para o cravo romano que irá pregá-las numa cruz romana.

Durmam bem, olhos pequeninos. Durmam enquanto podem. Pois logo virá a claridade e você vai ver a confusão que fizemos do seu mundo.

Verá nossa nudez, pois não podemos ocultar-nos.
Verá nosso egoísmo, pois não podemos dar.
Verá nossa dor, pois não podemos curar.
Ó olhos que verão o abismo escuro e seu terrível príncipe... durmam, por favor, durmam; durmam enquanto podem.

Fique quieta, boquinha pequenina. Fique quieta boca pela qual falará a eternidade.

Língua minúscula que em breve chamará os mortos,
que irá definir a graça,
que silenciará nossa insensatez.
Lábios de botão — sobre os quais paira um beijo de estrelas concedendo perdão para os que crerem em você, e de morte para os que o negarem — fiquem quietos.

Pezinhos pequeninos que cabem na palma de minha mão, descansem. Pois passos difíceis estão à sua frente.

Sentem o cheiro do pó das estradas que terão de palmilhar?

Sentem a água fria e salgada sobre as quais andarão? Recuam ao sentir o prego que terão de suportar? Temem a descida íngreme pela escada em espiral até o domínio de Satanás?

Descansem, pezinhos pequeninos. Descansem hoje para que amanhã possam andar com poder. Descansem. Pois milhares irão seguir os seus passos.

Pequeno coração... coração santo... bombeando o sangue da vida através do universo: quantas vezes iremos quebrantá-lo?

Você será dilacerado pelos espinhos de nossas acusações.
Você será devastado pelo câncer do nosso pecado.
Você será esmagado pelo peso de sua própria tristeza.
E será traspassado pela lança da nossa rejeição.
Todavia nesse ato de traspassar, nesse último rompimento de músculo e membrana, nessa precipitação final de sangue e água, Ele irá encontrar descanso. Suas mãos serão libertadas, Seus olhos verão a justiça, Seus lábios sorrirão, e Seus pés o levarão para casa.

E ali descansará de novo — desta vez nos braços do Pai.

(Max Lucado)

É Páscoa! Domingo Feliz.
É celebração da ressurreição de Jesus. Uma das maiores confraternizações em nosso lar. É sempre uma data muito marcante porque a gente se lembra sempre da família, dos amigos e, acima de tudo, de praticar o bem. Neste Domingo Sagrado vamos juntar toda a família. O mais próximo possível. Mesmo quem estiver longe, estará perto. Terá seu lugar na mesa, seu espaço estará em nossos corações. Esta Páscoa será ainda mais bela. Só assim a gente faz justiça à bondade.

Das profundezas do sono,
Ao subir a escada em espiral do despertar,
Murmuro:
Deus! Deus! Deus!

És o alimento, e ao romper o jejum
da separação noturna entre nós,
Sinto o teu sabor e digo mentalmente:
Deus! Deus! Deus!

Não importa onde eu vá, o farol de minha mente
Sempre se volta sobre Ti,
E no fragor da batalha da atividade
meu silencioso grito de guerra é sempre:
Deus! Deus! Deus!

Se ruidosas tornentas de provas gritam
E a inquietação uiva junto a mim,
Abafo seus ruídos cantando em voz alta:
Deus! Deus! Deus!

Quando a mente tece sonhos
Com os fios da memória,
Nesse tecido mágico faço estampar:
Deus! Deus! Deus!

Todas as noites, quando o sono é mais profundo,
Minha paz em sonhos chama: Alegria! Alegria! Alegria!
E a alegria vem cantando sempre:
Deus! Deus! Deus!

Despertando, comendo, trabalhando, sonhando, dormindo,
Servindo, meditando, cantando, amando divinamente,
Minha alma sussurra o tempo todo, sem que ninguém ouça:
Deus! Deus! Deus!

(Yogananda)

Parece que foi ontem que aqui estivemos, nós todos que te amamos, para nos despedir e lhe trazer para a sua última morada, onde lhe esperava um anjo do Senhor para lhe guiar.

Neste dia de finados, lembramos, com amor e ainda muita dor, o dia da sua partida. O dia triste em que você nos deixou. A sua falta é ainda muito sentida por nós. As nossas vidas ainda estão sendo refeitas. Falta você em nossa mesa, falta a sua risada ao fim de nossas piadas, falta a sua voz trazendo gargalhadas, falta o seu coração batendo quente perto de nós.

Passe o tempo que passar, a saudade que sentimos de você e o desejo de lhe ter por perto nunca vai passar. Você é parte presente de nossas histórias e nossas vidas. Mas não podemos nada contra a vontade Deus, não somos nada contra a vontade de Deus. Por isso, cabe-nos apenas pedir conforto aos nossos coração com a sua memória, paz e muita luz para guiar os nossos caminhos sem você.

Que Deus nos abençoe e nos dê sabedoria para lidar com a sua dolorosa ausência.
A você, peço que Deus dê a paz que você sempre trouxe para as nossas vidas.

Amén!

Chegou a Páscoa mais uma vez. E na correria da vida, com tantos compromissos e tarefas para cumprir, muitas vezes esquecemos o que realmente importa nesta data. Será comprar? Comer? Isso é o que a sociedade quer colocar em frente aos nossos olhos. É essencial enxergar para lá da cortina de fumaça.

A Páscoa é a celebração daquilo que se faz novo. É valorizar a morte e a ressurreição de Jesus, que nos ama e quer ter um relacionamento com cada um.

Não sei como está o teu coração nesta data, mas a minha oração é que, assim como Jesus voltou à vida, que Deus também possa fazer renascer a tua alegria, a tua esperança e os sonhos que você pensava que não voltariam mais. Nem a morte conseguiu parar Jesus, por isso creia n’Ele e tudo será possível!

Boa Páscoa para todos os meus amigos e família!

Neste tempo de Carnaval, é muito importante examinarmos o nosso coração e fundamentarmos os nossos valores. Temos que nos lembrar das nossas motivações e de quem nós somos. Nós somos chamados para ser sal e luz do mundo, para fazer uma diferença e glorificar o nome de Deus através das nossas atitudes e palavras.

Isso não significa que somos chatos, que não sabemos nos divertir nem celebrar. Aliás, o povo de Deus deve ser conhecido pela sua alegria e sua liberdade. Mas sabemos para aquilo que somos chamados e que apesar de podermos fazer tudo, nem tudo nos convém. Sabemos que Jesus pagou um alto preço na cruz para nos resgatar dos nossos pecados. Já não somos nós que vivemos, mas Cristo vive em nós.

Muitas coisas que acontecem no Carnaval (e não só) e são consideradas “normais” para a maioria das pessoas, não podem ser uma prática de quem segue os ensinamentos de Jesus. Por esse motivo, devemos pensar bem naquilo que Deus quer para a nossa vida antes de festejar o Carnaval da mesma maneira que o resto das pessoas.