Saudade dói

Ah, que bom seria se eu soubesse
Quais as chaves para te prender
Quais as cores pra te ter comigo
Quais as frases certas pra dizer

E melhor ainda se eu tivesse
Um portal, uma máquina do tempo
Algo que te teletransportasse
Te trouxesse para mim no vento

Mas você foi pra muito longe
E a distância fere de verdade
Saudade

Saudade dói, dói, dói
Machuca o coração
Saudade dói, dói, dói, dói
Faz o amor virar solidão

Eu te espero como o mar
Espera pela embarcação
Como a flor espera a primavera
E o sol espera o verão

Eu te espero como o céu
Espera pelo avião
Como a lua espera o poeta
O amor espera o coração

Mensagens Relacionadas

Apesar de não sermos mais namorados, vou sentir sua falta. Você continua no meu coração, sabe? Como amigo, é claro, mas permanece lá. É que vivemos coisas singulares demais, momentos lindos em que tudo parecia não ter fim!

Bom, desejo que sua viagem passe rápido e que sua nova casa seja um espaço de paz e harmonia. Você merece! Você precisa! Toda sorte do mundo para essa nova etapa em sua vida. Beijo!

Apenas Deus e eu sabemos o quanto eu me esforcei por te esquecer, o quanto eu quis e fingi um pouco de sucesso. Tudo foi em vão, e esquecer por completo você se tornou uma impossibilidade, matar as saudades de ti uma utopia.

Você foi o melhor namorado, e mais importante eu te amava de verdade, eu te amo, e a saudade que agora sinto de você, aumenta assustadoramente a cada minuto que passa, e na sua dolorosa realidade eu me afundo, na sua intensidade eu me sufoco.

A saudade que eu sinto de você só pode ser medida em infinitos, em eternidades; é mais profunda que todos os oceanos juntos. Eu quero você de volta.

Eu preciso me aninhar no seu abraço de novo, sentir sua respiração se acomodar na minha, olhar nos seus olhos e pousar meu rosto no seu coração pulsante.
Eu quero você, de novo, para sempre!

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dóem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Dóem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.

(Martha Medeiros)

Sonho sonhando, sonho acordada. Já pouco importa se durmo, se os olhos estão abertos. O coração comanda todos os demais sentidos e sob as suas ordens eles sofrem em conjunto a sua ausência... Quero você de volta! Meu peito dói, meu coração grita, pois preciso voltar a chamar você de meu namorado!

Ainda te amo! Eu nunca deixei de amar!

Por vezes nos deixamos levar por ventos que nos afastam daqueles a quem mais amamos, mas agora tudo ficou claro e eu preciso ter seu sorriso de volta. Preciso que seu olhar se fixe no meu e nossos corações voltem a bater de forma sincronizada. Preciso de você de volta à minha vida, pois sua ausência dói mais que a mais intensa das dores físicas. Esta ataca o coração, a alma, o peito, e lentamente mata por dentro sem que seja detectável pelo exterior!

Nunca me senti tão perdida em toda minha vida. Ser traída é conhecer a pior sensação que alguma mulher pode sentir. Confesso que nunca pensei passar por uma situação dessas com você. Sempre depositei confiança em você. Fui um duro golpe em meu coração, em meu interior e até em minha forma de ver a vida. Me sinto profundamente desolada. Me sinto despida, sabe? Sinto que valho pouco mais que nada, porque ser trocada é triste, mas ser enganada é a maior das perversidades.

Custa muito a gente viver no engano que tudo vai bem. Eu assumo que nunca desconfiei que você me andasse traindo, porque sempre me considerei competente. Sempre dei tudo por você, aliás, eu sempre me entreguei a você sem medo porque acreditava que nossa união era verdadeira, era real, era honesta. Fui uma ingénua! Tenho certeza que vou dar a volta por cima, vou tocar minha vida para a frente. Acontece que neste momento tão escuro é difícil enxergar o que é certo e errado. Que fique claro que estou tremendamente magoada com você mas não guardo ressentimentos. Siga sua vida, que ela seja boa para você e que não repita uma maldade que nem essa a outra pessoa que ame você.