As Incertezas Sobre A Morte

Um dos maiores enigmas que cercam a humanidade desde, é por ironia, algo muito frequente nas nossas vidas, a morte. Deparamo-nos com ela todos os dias, seja com pessoas conhecidas, estranhas, que viviam do outro lado do mundo ou até com um animal de estimação muito querido.

Apesar de todas as explicações dadas pelas diversas religiões, pela ciência ou ainda pelos nossos antepassados, é algo sempre muito discutido e muito questionado. Há quem relacione a morte com uma passagem, que levará para um lugar anteriormente esperado, há também quem acredite que é apenas uma transição para o início de uma nova vida.

As explicações são as mais diversas, mas independentemente do que acredite, nunca é fácil dá adeus a um ente querido, principalmente quando existem palavras ainda não ditas. A crença na morte como algo além de um simples fim, nos conforta em um segundo momento, após a chegada do sofrimento da partida definitiva de uma pessoa querida.

Mas a única certeza que temos sobre a morte é que ela sempre chega, para uns mais rapidamente, para outros o tempo pode passar muito lentamente. Sabemos que o fim para quem foi é certo, mas o que acontece depois disso, certamente ainda dará origem a muitos questionamentos.

Mensagens Relacionadas

Boa dia, pessoal! Nós desperdiçamos muitos dias pensando em todas a atitudes que poderiamos tomar, mas que nunca são concretizadas ou que acabam se tornando sonhos que não temos coragem de realizar.

As maiores barreiras que nós encontramos na vida são as que nós próprios criamos quando duvidamos dos nossos ponteciais. Na verdade, nós somos mais fortes e capazes do que imaginamos, so precisamos acreditar em nós mesmos.

Não deixem que os pensamentos negativos e as incertezas nos impeçam de sermos felizes! Tenham uma excelente semana e nunca duvidem do seu valor!

A amizade está presente na vida de todas as pessoas. Não há ninguém que seja feliz totalmente sozinho, pois o ser humano vive em sociedade e necessita sempre de ter alguém por perto. E como é bom podermos viver aventuras e momentos inesquecíveis junto de pessoas que nos amam de verdade.

Uma amizade não tem prazo de validade, mas requer cuidado e atenção. Assim como se rega na medida adequada a flor mais linda do nosso jardim, um bom amigo merece respeito, lealdade e gestos de carinho. Somos responsáveis por estimar e dar atenção a nossos companheiros e certamente que nenhum deixará de retribuir se agirmos desse jeito.

Ser amigo é estar por perto nos bons e maus momentos. É abdicar dos nossos próprios interesses e dar do nosso tempo e esforço para que a relação cresça cada vez mais. Quem não cuida de seus amigos acaba perdido em um vazio e como eu sou feliz por ter todos vocês preenchendo os meus dias.

Ser feliz não é ter uma vida
Isenta de perdas e frustrações.
É ser alegre, mesmo se vier a chorar;
É viver intensamente,
Mesmo no leito de um hospital;
É nunca deixar de sonhar,
Mesmo se tiver pesadelos;
É dialogar consigo mesmo,
Ainda que a solidão o cerque;
É sempre ser jovem,
Mesmo se os cabelos embranquecerem;
É contar histórias para os filhos,
Mesmo se o tempo for escasso;
É amar os pais,
Mesmo se eles não o compreenderem;
É agradecer muito,
Mesmo se as coisas derem errado;
É transformar erros em lições de vida;
Ser feliz é sentir o sabor da água, é sentir
O frescor de uma brisa tocando no rosto,
É sentir o cheiro de terra molhada;
É extrair das pequenas coisas,
Grandes emoções;
É encontrar todos os dias motivos para sorrir,
Mesmo que não existam grandes fatos;
É rir de suas próprias tolices;
É não desistir de quem se ama,
Mesmo se houver decepções;
É ter amigos para pedir consolo
E para dividir alegrias;
É agradecer a Deus pelo
Espetáculo da vida e perceber
Como é fácil e simples ser feliz!

As montanhas da vida não existem apenas para que você chegue no topo, mas para que você aprenda o valor da escalada.

A vida é como o vento de Outono. Ela se encarrega de levar tudo o que não deve permanecer com você.

Os melhores momentos na vida são como os arco-íris: aparecem quando você menos espera.

Por vezes para avançar na vida é preciso voltar atrás para corrigir erros do passado.

A vida passa voando para aqueles que se recusam a abrir as asas e tirar os pés do chão.

Há momentos na vida em que você tem que se transformar na tempestade para conquistar a bonança.

Não deixe que as ondas da vida te arrastem e que as circunstâncias ditem o que você pode ser.

Feliz é a pessoa que aprendeu que para subir nos degraus da vida não é preciso pisar nos outros.

Não passe a sua vida esperando por alguém que você sabe que nunca voltará.

A melhor filosofia de vida é aquela que te ensina a guardar os amigos dentro do coração.

Todo avivamento genuíno precisa realçar esse Deus sublime em amor, graça e soberania. (J. Edwards)

Avivamento é a intervenção de Deus em uma igreja morna, que convive de modo amistoso demais com o mundo em decomposição moral e espiritual. Fico pensando que tempos em tempos quando a medida da ira do Senhor em relação ao pecado sobeja em uma proporção divinamente impossível de suportar, Deus se agracia de si mesmo em enviar sobre os homens um batismo de fogo e de poder.

Tenho me convencido de que, não se trata de maneirismos humanos ou traquejos de nossa humanidade perdida e caída, avivamento é coisa de Deus! Eu paro a fim de ler sobre avivamento e confesso, tenho dificuldades de segurar as lágrimas, pois começo a imaginar Deus se derramando como foi em 1904 na experiência de Evan Roberts, o galês que orava, Senhor, dobra-me.... Esse clamor, que foi apenas um dos tantos que noticiamos nas histórias dos grandes avivamentos expressa um desejo de quebrantamento que supera, em muito aquilo que estamos vivendo em nosso tempo onde a mentira da prosperidade financeira como sinal da benção de Deus faz a cabeça dos Edir Macedos, RR Soares e tantos outros tresloucados de plantão!

Nos avivamentos os crentes não se preocupam com a terra, com os negócios, com as conquistas meramente materiais, eles não se punham a construir catedrais, eles oravam e movimentavam toda uma região com os valores impactantes do evangelho. O que acontecia nos tempos áureos dos avivamentos é uma repetição de Atos dos Apóstolos quando as multidões diziam a respeito dos cristãos: eis os que os tem alvoraçado o mundo (colocado-o de pernas para o ar) chegaram também até nós (Atos 17.6).

(a) O mundo mudava em tempos de avivamento.

Isso foi estampado na Inglaterra no século XVII, quando os irmãos Wesley viajavam no país inteiro com as suas mensagens proclamadas nas praças, nos púlpitos e nas saidas das minas de carvão. Temos relatos de homens que com seus rostos empretecidos de carvão choravam copiosamente, com as lágrimas fazendo caminho brancos em seus rostos! Aleluia! Homens quebrantados pelo calor da mensagem e pela luz que vinha do entendimento do propósito maior de Deus ao criar o ser humano: tê-lo para si em intimidade!

(b) A igreja era balançada em tempos de avivamento.

Já não havia mais concessões a respeito do pecado. Congregados irregenerados não conseguiam assentar à mesa do Senhor para cear. Tudo era muito sério. Solene. Apoteótico. A vida da igreja era vivida na perspectiva dos santos. Hoje como carecemos de um avivamento! Há meninos nos púlpitos! Há moleques nos ministérios de música! Há crianças no diaconato! Não dá para mantermos esse estado de coisas, é tempo de uma intervenção radical de Deus tirando do meio de nós tanto joio, tanta gente perniciosa que só abre a boca para criticas mordazes e expressões de ridicularização de suas lideranças pastorais!

(c) O coração era moído em tempos de avivamento.

E sabe porquê? Pelo senso de eternidade, de seriedade em relação à vinda do Senhor Jesus. Richard Owen Roberts, um avivalista que conheci recentemente pelas minhas leituras sobre o tema do avivamento disse algo extremamente relevante: Não há como escapar do fato de que a questão do juizo faz parte integral da vida de um verdadeiro discipulo de Jesus. Uma das razões por que precisamos tanto de um avivamento hoje é justamente por termos deixado de lado esta questão de juízo e por o considerarmos como algo tão irrelevante para a vida do cristão.

Isso é sério, em tempos de avivamento as pessoas viviam na iminência do juízo de Deus e tremiam de pavor em relação ao dia da grande prestação de contas diante do Deus altíssimo. Hoje o que temos é a banalização da vinda do Senhor Jesus, e já há até alguns renomados professores de seminário que já não creêm mais no arrebatamento da igreja!

Pensei alto demais já... paro por aqui... mas prossigo no entendimento de que precisamos orar como Habacuque: Eu ouvi, Senhor, a tua fama, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos; faze que ela seja conhecida no meio dos anos; na ira lembra-te da misericórdia (Habacuque 3.2).

(Ezequias A. Marins)
(Mensagens Bíblicas)