Súplica

Sou infantil em acreditar num amor impossível vivo num
mundinho que nenhum mal pode me alcançar, esqueço de viver
a realidade, a realidade dói o sonho quando começa a doer
tem como mudar ele.

Só que esse mundinho dos sonhos não temos condições de ser
feliz por completo, esse mundinho medíocre em que vivo, está
rodeado por altos muros onde não consigo enxergar a realidade
fora dele.

Preciso de alguém pra poder ajudar-me a destruir esse muro.
Mas tenho medo do que vou encontrar lá fora.
Tenho pavor do que possa me acontecer depois que sair daqui.
O que faço ó Pai, só você pra poder me guiar por este estranho
caminho, preciso de seu apoio, de suas mãos a me guiar.

Ó Pai qual caminho a seguir?
Qual tijolo deve tirar primeiro, o do medo ou da timidez ou
tantas as outras que coloquei nesse muro...

Pai torna os meus olhos os seus.
Faça com que eu enxergue tudo de maneira mais clara, faça
com que eu não tenha mais medo das outras pessoas.

Pai me tire desse mundinho de solidão, ajuda-me livrar desta
agonia, desse desespero que assola minha vida.

Daí-me mais tranqüilidade. Segure-me tenho medo de caminhar,
ajude-me estou com medo, proteja-me do mal que eu mesma criei,
ensina-me a acreditar nos outros e o mais importante ensina-me
a amar assim como o Senhor nos amou, sem pedir nada em troca,
sem cobrar dos outros aquilo que não temos em nós mesmos.

Mensagens Relacionadas

Não me procures, Mãe, sob o jazigo.
Que recobres de jóias e açucenas!...
Fita o campo das lágrimas terrenas,
Levanta-te da lousa e vem comigo.

Aqui, chora a viuvez amargas penas,
Ali, geme a orfandade ao desabrigo,
Ergamos para a dor um pouso amigo
E as nossas dores ficarão pequenas!...

Transformemos o luxo, Mãe querida,
Em consolo, agasalho, pão e vida,
Na inspiração do bem que nos governa!...

E seguiremos juntos, dia-a-dia,
Convertendo a saudade escura e fria
Em bendito calor de luz eterna.

Pudesse eu ser manhã, dessas manhãs primaveras
Invadiria seu quarto, ainda coberto de sono
Pra tomar em minhas mãos o seu fruto em abandono
E levá-lo a meus lábios...Ai! meu Deus, como o quisera!

E meus lábios entreabertos, mordiscariam seu pomo
E a língua doce e morna, ao pincelar sua haste,
Convidaria sedenta pra habitar o meu domo
E nele deixar seu mel...Ai! meu Deus, que isso me baste!

Mas seu fruto, meu amor, já na minha boca cresce
Minha língua se contorce a sugar todo o volume
Minha flor, bem orvalhada, suplica que se apresse

Desce no canto da boca, um fio de sumo doce
No quarto sumo e orvalho exalam cio-perfume
Flor e fruto se encontram...Ai! meu Deus... verdade fosse...

Meu amor, pode prometer para mim, agora que você vai para longe, que me leva verdadeiramente em seu coração? Pode garantir ao nosso amor, que cuidará dele diariamente? É que você ainda nem saiu de perto de mim e meu coração já suplica por seu carinho. Ainda nem sequer passou um dia sem eu te ver e minha alma já arde de saudade.

Durante o tempo que passamos juntos, eu te amei a toda hora. Cada momento do seu lado é uma razão para a vida valer a pena e você tem dado muita felicidade para ela. Você me tornou em uma pessoa melhor, desde que começamos namorando, e nosso amor não tem parado de crescer.

É realmente difícil pensar que nosso relacionamento vai ter uma mudança tão significativa. Você vai viajar agora, ficar a uma distância que parecerá infinita. Mas, antes de ir, guarde também estas palavras em sua bagagem. Nunca se esqueça que eu quero você eternamente e que vou ficar ansiosamente esperando.

Enquanto houver forças, a batalha não acaba. Enquanto o amor permanecer, o fim não vai chegar. Esta tem sido a realidade dos meus dias e um dos motivos de escrever para você as honestas palavras que se seguem.

Infelizmente, foi com nossa separação que entendi alguns erros que cometi, todos os momentos em que falhei. Foi com a inevitável distancia que se seguiu à nossa rutura que percebi como você me faz tanta falta. Agora, em jeito de súplica, me agarro à esperança de que não tenha sido um fim definitivo. Me deixo levar pelo desejo de voltar a ter você em meus braços.

Um sentimento forte, como aquele que nós nutríamos um pelo outro, não pode desaparecer em tão pouco tempo. As vivências de nós dois ficaram marcadas em nossa memória. E eu ainda sou tão apaixonado por você.

Há sonhos que temos por terminar e eu continuo te querendo do meu lado. Vamos dar uma nova chance a nós dois. Ainda há um caminho que nos pode levar à felicidade.

Certo dia, ao contar suas Ovelhas, um Pastor chegou à conclusão que algumas estavam faltando. Muito bravo, aos gritos, cheio de presunção e arrogância, disse que gostaria de pegar o responsável por aquilo e puni-lo, com suas próprias mãos, da forma merecida.

Suspeitava de um Lobo que vira afastar-se em direção a uma região rochosa entre as colinas, onde existiam cavernas infestadas deles.

Mas, antes de ir até lá, fez uma promessa aos deuses, dizendo que lhes daria em sacrifício, a mais gorda e bela das suas Ovelhas, se estes lhes ajudassem a encontrar o ladrão.

Após procurar em vão, sem encontrar, nenhum Lobo, quando passava diante de uma grande caverna ao pé da montanha, um enorme Leão, saindo de dentro, põe-se à sua frente, carregando na boca uma de suas Ovelhas. Cheio de pavor o Pastor cai de joelhos e suplica aos deuses:

Piedade, bondosos deuses, os homens não sabem o que falam! Para encontrar o ladrão ofereci em sacrifício a mais gorda das minhas ovelhas. Agora, prometo-lhe o maior e mais belo Touro, desde que faça com que o ladrão vá embora para longe de mim!

Conclusão: Quando encontramos aquilo que procuramos, logo tende a cessar nosso interesse inicial.

Moral da História:
Se os benefícios de uma coisa não nos são garantidos, devemos pensar duas vezes antes de desejá-la.