Mensagens de Natureza


Como é lindo, Senhor, poder enxergar com estes olhos que me destes, poder sentir a natureza entrando pelos meus poros, me envolvendo e dizer:

"Deus existe, olhai e vede a lua cheia ou minguante, o sol forte ou fraco, as árvores com suas folhas embaladas pelo vento, vento esse que nos refresca e embeleza ainda mais as coisas que movimenta. E as águas? Ah! as águas, tão frescas, tão poderosas e tão necessárias à vida."

Vida, resumo da natureza! Olhai e bendizei a natureza pois ela, irmãos, é muito mais importante do que tudo que estais acostumados a admirar e comprar...

Amanhece,
Que lindo dia!
O azul do céu
Pactuado
Com a brancura das nuvens.
O Sol prestes a surgir,
A vida começa agora!
Os pássaros a cantar,
As flores
Como divas a mostrar suas belezas,
Os peixes a nadar nas alvas águas
Dos riachos e mares.
Tão grandiosa harmonia da natureza
Que nos condiciona a Paz.

Ao romper do dia, sentei-me na campina, travando conversa com a Natureza, enquanto o Homem ainda descansava sossegadamente nas dobras da sonolência. Deitei-me na relva verde e comecei a meditar sobre estas perguntas:

Será a Beleza Verdade? Será Verdade a Beleza?

E em meus pensamentos vi-me levado para longe da humanidade. Minha imaginação descerrou o véu de matéria que escondia meu íntimo. Minha alma expandiu-se e senti-me ligado à Natureza e a seus segredos. Meus ouvidos puseram-se atentos à linguagem de suas maravilhas.

Assim que me sentei e me entreguei profundamente à meditação, senti uma brisa perpassando através dos galhos das árvores e percebi um suspiro como o de um órfão perdido.

“Por que te lamentas, brisa amorosa?” perguntei.

E a brisa respondeu: “Porque vim da cidade que se escalda sob o calor do sol, e os germes das pragas e contaminações agregaram-se às minhas vestes puras. Podes culpar-me por lamentar-me?”

Mirei depois as faces de lágrimas coloridas das flores e ouvi seu terno lamento... E indaguei: “Por que chorais, minhas flores maravilhosas?”

Uma delas ergueu a cabeça graciosa e murmurou: “Choramos porque o Homem virá e nos arrancará, e nos porá à venda nos mercados da cidade.”

E outra flor acrescentou: “À noite, quando estivermos murchas, ele nos atirará no monte de lixo. Choramos porque a mão cruel do Homem nos arranca de nossas moradas nativas.”

Ouvi também um riacho lamentando-se como uma viúva que chorasse o filho morto, e o interroguei: “Por que choras meu límpido riacho?”

E o riacho retrucou: “Porque sou compelido a ir à cidade, onde o Homem me despreza e me rejeita pelas bebidas fortes, e faz de mim carregador de seu lixo, polui minha pureza e transforma minha serventia em imundície.”

Escutei, ainda, os pássaros soluçando e os interpelei: “Por que chorais meus belos pássaros?”

E um deles voou para perto, pousou na ponta de um ramo e justificou: “Daqui a pouco, os filhos de Adão virão a este campo com suas armas destruidoras e desencadearão uma guerra contra nós, como se fôssemos seus inimigos mortais. Agora estamos nos despedindo uns dos outros, pois não sabemos quais de nós escaparão à fúria do Homem. A morte nos segue, aonde quer que vamos.”

Então o sol já se levantava por trás dos picos da montanha e coloria os topos das árvores com auréolas douradas. Contemplei tão grande beleza e me perguntei:

“Por que o homem deve destruir o que a Natureza construiu?”


(Khalil Gibran)

Eu sei do que você é capaz e é por isso que não tenho medo! Eu sei que a situação não é fácil, mas tenho certeza que em breve tudo vai ficar bem.

Na verdade, meu amigo, você só precisa continuar demonstrando sua força e determinação. A fé e a esperança também ajudam. E depois é aguardar para que a natureza faça seu papel. Até lá eu estarei do seu lado, amigo! Força!

Árvore: - Preciso que me ouças com paciência! Não nos analise como os outros nos fazem. Querem nos sentir apenas como objetos de consumo imediato. Permita-nos o tempo para amar! Dá-nos o tempo da oferenda!

Humano: - Entendo o que queres me dizer; não somente te criei, te vi crescer, como sempre te quis muito! Mesmo que não saibas, estive do teu lado quando sofrias agressões em teu tronco, para mais cedo produzires. Vi tuas lágrimas correndo; elas secaram, sei, mas ainda estás marcada, e sofro vendo os teus estigmas.

Árvore: - Sabemos! Nem todos são insensíveis. A dor física foi superável à dor do meu Ser naquela hora. As feridas cicatrizam, os tecidos se recompõem, as células se renovam, mas a dor do Ser, perdura. Todavia, compreendemos.

Humano: - Compreendem? Como compreendes?

Árvore: - Os Homens têm a pressa da colheita. Perderam muito do sentimento da doação, e a paciência na espera. Querem muito cobrar, na volta do pouco que dão, e podem um dia, pouco receber! Nós nos suprimos apenas com o que a Natureza pode nos oferecer, e doamos tudo que recebemos, no tempo certo. Os Homens, perderam o sentido do Existir; "Existem só para viver, para colher", por isso nos agridem, pelo muito desejarem se abastecer.

Nossos ciclos são simples e perfeitos. Somente o receber, o doar e novamente nos nutrir. A Vida quer com todos se harmonizar, mas os Homens estão apenas vivendo, esquecendo de Existir. A Natureza pode um dia, deles também esquecer, deixando de os prover.

Primavera é quando, num pedacinho da Terra, as flores se abrem, o sol fica mais forte e a vida fica mais alegre. Quando, num canto da Terra se faz primavera, nos outros cantos se faz verão, inverno e outono.

Das quatro estações, a primavera é a mais bonita, porque colore a terra, perfuma o ar e contagia os corações sensíveis com sua alegria. A primavera é uma boa época para renovar o espírito, assim como as flores se renovam. E de colher os frutos e semear a terra. Semear a terra sempre, pois isso significa mantê-la sempre fértil. E de terra fértil, sempre brota a vida.

Bom seria se a primavera acontecesse o tempo todo, em todos os corações humanos, florescendo, enfim, na forma de atos, palavras e pensamentos, sempre positivos. Se cada ser vivente fosse como uma flor, bela, pura e cheirosa, toda a Terra viveria uma eterna primavera.

Depende de cada um fazer do próprio coração a terra, semeá-lo e cuidá-lo para cultivar o espírito da primavera, todo o tempo, em qualquer estação.

De dentro de uma semente rasgou, certo dia, uma planta. Ainda era muito cedo para brotar, mas era melhor o frio externo do que suportar a casca que lhe sufocava. O vento lhe queimava a pele, e a sol forte quase não a deixava respirar. A terra onde nasceu era seca, e as pedras impediam que criasse raízes. Mas as raízes insistiam em crescer, e apodreciam porque no solo não conseguia se fixar.

Suas folhas pequeninas não sobreviviam muito além de alguns dias, logo secavam e caiam por terra. E a planta se deixou levar ao vento, na esperança de encontrar solo fértil. Areias quentes, alagados, solo infestado de raízes velhas. Em algum lugar precisava encontrar terra, onde pudesse florescer, mas na terra não houve um só canto onde pudesse fixar suas raízes, e numa estranha mutação a planta aprendeu a se nutrir do vento. E se acostumou a ver suas folhas caírem por terra, e frutos nunca ter.

Por muito tempo viajou por mundos ignotos e conheceu seus costumes. Por muitos mundos ela passou sem ser notada. Por outros deixou suas folhas secas nutrindo a terra. Seu sonho era ser como as outras plantas, criar raízes, florescer, frutificar. Um dia um jardineiro a recolheu num vaso, e ali regou suas raízes, e ela cresceu e floresceu, sentia-se viva e feliz. E por uma vez sentiu o calor da terra. Sentiu suas raízes crescerem, sentiu pela primeira vez sua natureza de planta

Todo o seu ser lhe foi grato, como se na vida toda estivesse esperando por este momento. O jardineiro lhe deu o precioso momento de ser e a planta nunca esquecerá do jardineiro. Porque mesmo por pouco tempo, a lembrança de ser planta, de ser cuidada e de ter raízes na terra ficará para sempre. E agora ameaça o vento a lhe arrancar do vaso numa noite dessas. E de novo lhe levar pelo ar para estranhas terras. E novamente ela terá que aprender a se nutrir do ar. Mas por onde for ela levará a lembrança de que um dia foi planta e teve terra e a imagem do jardineiro a regar seu vaso.

Flor, algo incrível de infinita beleza,
de aroma suave e eterna firmeza.
Flor rosa,
Flor vermelha,
Flor branca,
Flor de todos os tipos.
Uma flor mais linda que outra,
Mas no meu mundo, só tem uma flor.
Ela é a mais bela das flores,
Com seu aroma raro e suas pétalas,
Que são a beleza do mundo,
Seu brilho ilumina minha vida,
Sua cor é estonteante.
Se nesse mundo tivesse
Mais flores iguais a ela, mesmo assim,
Ainda seria ela, a mais bela delas...
Pois a sua face, é a fonte,
A fonte da eterna beleza feminina.
Por onde ela passa desperta o desejo,
Arranca olhares,
É impressionante a tua beleza,
A ponto de deixar-me louco...
Só em te ver, e não te tocar, enlouqueço
Minha flor!
Seu nome, é puro e mais belo ainda,
Por que se criou com sabedoria,
Coisas que outras flores quase não tem.
Minha flor!
Seu nome é a beleza pura do meu coração,
De uma imensidão profunda do meu ser,
Do mais puro e inocente desejo o amor,
Minha flor!

Há dentro de ti um sol que quer projetar raios o mais longe que puder. Não ponhas à frente dele um pano preto de lamentações, revoltas e materialismo. Deixa-o livre para expandir luz e calor.

Quanto mais creres que tens esse sol e que ele te é vida abundante, mais eliminas a escuridão interior e abres o otimismo e a esperança. Passas a desfrutar de uma paz que jamais esperavas possuir e te aparece um mundo novo, mais claro, mais
alegre e que te quer bem.

Acredita no teu sol, põe luz no que fazes e confia no futuro. Deixa o teu sol interior brilhar e serás o primeiro a ser iluminado.

Olhar o céu infinito
Admirar as estrelas
Tocá-las com os dedos da imaginação
Vibrar com o brilho delas.
Brincar de fazer mundos
Usar os sentimentos mais puros
Mais profundos.
Para onde vai aquela estrela?
Um pontinho no céu a caminhar?
E olha lá... do outro lado
Outra estrela a vagar!
São meus sonhos... esperanças...
De um mundo melhor encontrar
Que realizo e conquisto
No brilho do seu olhar!

Ah, se o mundo inteiro me pudesse ouvir
Tenho muito pra contar
Dizer que aprendi
Que na vida a gente tem que entender
Que um nasce pra sofrer
Enquanto o outro ri
Mas quem sofre sempre tem que procurar
Pelo menos vir a achar
Razão para viver
E na vida algum motivo pra sonhar
Ter um sonho todo azul
Azul da cor do mar.

Se um dia você me perder,
me procure na flor mais
vermelha e viva,
no perfume ao cheirar.
Me procure no silêncio,
na noite,
na brisa que sopra fria
no sereno quente do seu corpo.
Me procure no canto da gaivota,
nas estrelas, no mar.
Certamente serei a onda
mais fulminante que encontrar.
Me procure em uma lágrima,
em uma música,
em um sonho, quem sabe!
Me procure onde for lindo.
Mas, se por acaso não me
encontrar,
procure-me no fundo do seu coração.
Certamente estarei lá.

noite a dentro, o que espera!
flor de lótus... que me dera...
alma viva sobre a fonte
desabrocha em alto monte

seu perfume, me alucino
que vil beleza, meu destino
suavemente assim, comprometedor
imergindo em volúpias, sonhador...

cativando e iludindo a solidão
alimentando então, o coração
tão sublime em seu calor

és minh'alma indolente
importante, adoprável, inocente
regozijante em meu AMOR!

Você não precisa visitar todos os lugares mágicos do mundo para saber ou sentir como ele é único e maravilhoso.

Da janela do seu quarto também o seu olhar alcança essa mesma mágica, na montanha mais próxima da sua casa também poderá respirar ar puro.

Mas para isso levante o corpo, o olhar, saia de casa, vá até essa montanha e respire. Aprecie a vida e todo o esplendor do mundo que rodeia você, pois é um privilégio, esteja você onde estiver, e você tem o dever de usufruir dele!

Conte seu jardim só por suas flores e nunca pelas folhas caídas no chão. E a vida pelas horas mais felizes e não pela escuridão.

Conte suas noites pelas estrelas, nunca pelas sombras que vão deixar. E a vida pelos encantos dos sorrisos, não pelo seu chorar. Viva a vida com alegria, contando-a não pelos seus dias mas pelo bem que conseguiu realizar!

Caminho.
As nuvens me seguem.
Caminho.
Branca e alvíssimas,
as nuvens me seguem,
ao encontro de ti.
Caminho.
As nuvens me seguem.
Deixo para lá o sofrimento.
As nuvens me seguem
deixando o lindo céu.
Caminho.
As nuvens me seguem.
Não encontro você.
Volto.
As nuvens me seguem,
pois não encontrou também.
Caminho.
As nuvens me seguem.
Volto.
As nuvens me seguem.
Volto ao meu mundo,
as nuvens prosseguem,
para seu mundo no além.

De uma coisa podemos ter certeza:

De nada adianta querer apressar as coisas;
tudo vem ao seu tempo,
dentro do prazo que lhe foi previsto,
mas a natureza humana não é muito paciente.

Temos pressa em tudo,
aí acontecem os atropelos do destino,
aquela situação que você mesmo provoca
por pura ansiedade de não aguardar
o Tempo Certo.

Mas alguém poderia dizer:
Mas qual é esse tempo certo???

Bom, basta observar os sinais...
Quando alguma coisa está para acontecer
ou chegar até sua vida,
pequenas manifestações do cotidiano,
enviarão sinais indicando o caminho certo.

Pode ser a palavra de um amigo,
um texto lido, uma observação qualquer;
mas com certeza,
o sincronismo se encarregará de colocar você
no lugar certo, na hora certa,
no momento certo,
diante da situação ou da pessoa certa!!!
Basta você acreditar que
Nada Acontece Por Acaso!!!

E talvez seja por isso que você
esteja agora lendo essas linhas...
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais já estão por perto,
e você nem os notou ainda.

Lembre-se que:
O universo sempre conspira a seu favor,
quando você possui um objetivo claro
e uma disponibilidade de crescimento.

(Paulo Coelho)

Mulher é obra divina da criação. É força suprema da natureza, é sublime beleza. Há mulher para tudo no mundo, mas todas carregam um mundo no coração.

Porque ser mulher de verdade é ser guerreira e batalhadora. É amar com toda a alma e lutar pela felicidade de quem se ama com toda a garra.

Mulheres seguras, fortes e corajosas embelezam nossas vidas. E a todas que fazem parte da minha vida eu agradeço e deixo um beijo carregado de orgulho!

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

(William Shakespeare)

"Quanto mais você medita, mais pode ajudar os outros e mais profundamente estará em sintonia com Deus. As pessoas egoístas permanecem espiritualmente estagnadas, mas as altruístas expandem sua consciência. Quando encontrar a sua onipresença na meditação, você encontrará Deus. Se Ele estiver satisfeito, toda a natureza trabalhará em harmonia com você. Aprenda a falar com Ele com toda sua alma".

"Por que Deus Se revelaria facilmente a você? Você, que trabalha tão arduamente por dinheiro e tão pouco pela realização divina! Os santos hindus nos dizem que, se dedicássemos um período de 24 horas em contínua e ininterrupta oração, o Senhor apareceria diante de nós ou Se revelaria a nós de algum modo. Se devotarmos pelo menos uma hora diária em profunda meditação nEle, com o tempo Ele virá a nós".

"As coisas essenciais devem vir em primeiro lugar. Ao acordar de manhã, medite. Se não fizer assim, o mundo inteiro o absorverá e você esquecerá Deus. À noite, medite, antes que o sono o convide. Eu estou tão fortemente enraizado no hábito de meditar que, mesmo deitado, encontro-me meditando. Não posso dormir da forma usual. O hábito de estar com Deus tomou o primeiro lugar".

(Yogananda)
(APEU Umbanda)

A experiência é uma coisa muito interessante. É nos servindo dela que aprendemos grande parte daquilo que sabemos; por ela orientamos, muitas vezes, os nossos passos; com ela evitamos a repetição de dissabores e procuramos aquilo que já sabemos ser bom. A experiência poderia servir para que a nossa vida fosse muito mais previsível e controlável, mais cômoda e segura, livre de problemas. Uma chatice, enfim... Felizmente, a natureza possui aspetos desconcertantes que têm o condão de permitir que, apesar de existir a experiência, a nossa vida seja em cada um dos seus momentos uma aventura louca e sem destino previsível. Um deles é que a experiência que adquirimos numa fase da nossa vida não nos serve de nada quando chegamos à fase seguinte. Apesar da experiência que vamos adquirindo, chegamos, a cada uma das nossas épocas, inexperientes e inseguros como da primeira vez. A vida, na sua magnífica diversidade, vai nos oferecendo constantemente novas situações, para as quais nunca estamos verdadeiramente preparados. Algumas são duras: um fracasso grande, uma doença que veio para ficar, a morte de alguém que nos faz falta... Estas limitações da experiência nos forçam a crescer continuamente; nos mantêm tensos, esforçados. Permitem que tenhamos constantemente objetivos diferentes. Dão colorido à nossa vida. É assim que nos podemos manter de algum modo jovens em qualquer idade. Quem programou este jogo da vida o fez de forma a que ele tivesse sempre interesse.
Subimos de nível, saltamos do material para o espiritual, varia o grau de dificuldade, mudam os adversários e o ambiente - como nos jogos electrônicos... Não somos poupados a sofrimentos, mas nos é dada a possibilidade de reagir e continuar a avançar. Se temos saudade do que ficou atrás, também nos é permitido sonhar com o que está adiante. Se conservamos o sabor de derrotas que tivemos, também planeamos a vitória que se segue. No jogo da vida, as derrotas deixam marcas, as feridas fazem mesmo doer, muitas vezes não recuperamos aquilo que perdemos. Estamos ancorados à realidade e, por isso, para nos divertirmos, para nos sentirmos como aventureiros no meio de tudo isto, temos necessidade de coragem. E de não calarmos aquilo que dentro de nós nos chama a um sonho, clama por aventura, pede para fazermos com a vida qualquer coisa que seja grande. Poderíamos dar ouvidos ao medíocre que quer se instalar em nós. E evitar, por medo e preguiça, as dificuldades, as complicações, o sonho. Mas "evitar o perigo não é, a longo prazo, tão seguro quanto se expor ao perigo. A vida é uma aventura ousada ou, então, não é nada".

(Helen Keller)
(Shvoong)

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores".

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro desta flâmula
- Paz no futuro e glória no passado.

Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Ficamos sempre muito ocupados em procurar respostas às perguntas que consideramos importantes para compreender o sentido da vida. É muito mais importante viver plenamente, deixar que o próprio tempo se encarregue de nos revelar os segredos de nossa existência. Se nos ocupamos demais em encontrar um sentido, não deixamos a natureza atuar, e nos tornamos incapazes de ler os sinais de Deus.

Num remoto bar da Espanha, perto de uma cidade chamada Obite, existe um cartaz escrito pelo dono:

“Justamente quando consegui encontrar todas as respostas, todas as perguntas tinham mudado”.

(Paulo Coelho)
(G1)

Mulher com coração de guerreira é força da natureza imparável e de todos as formas admirável.

Até conhecer você, nunca acreditei que houvesse amor que realmente fosse eterno. Minha natureza me obrigava a duvidar de quase tudo, e a acreditar apenas quando enxergava com meus próprios olhos.

Mas aí você chegou, e mesmo antes de conhecer você eu já o amava mais que minha vida, meu filho. Agora que você nasceu essa certeza de amor eterno tornou-se ainda mais real, pois no simples brilho dos seus olhos eu vejo toda mágica da vida, tudo que há de mais belo no universo.

Você é meu sonho, minha realização e minha esperança em um futuro melhor. Você é meu grande amor, meu filho, e esse amor é indestrutível, incondicional e eterno!

Caminhamos ao encontro do amor e do desejo. Não buscamos lições, nem a amarga filosofia que se exige da grandeza. Além do sol, dos beijos e dos perfumes selvagens, tudo o mais nos parece fútil. Quando a mim, não procuro estar sozinho nesse lugar. Muitas vezes estive aqui com aqueles que amava, e discernia em seus traços o claro sorriso que neles tomava a face do amor. Deixo a outros a ordem e a medida. Domina-me por completo a grande libertinagem da natureza e do mar.

(Albert Camus)

O mundo está cheio de pessoas falsas. Elas mentem, enganam, usam e abusam da bondade dos outros. A falsidade é uma forma de maldade, de corrupção, pois quem é do bem não precisa recorrer a mentiras, máscaras e traições para chegar a algum lugar.

Por isso confie sempre desconfiando, pois pessoas falsas nem sempre se conseguem identificar ao início. Mas mais tarde ou mais cedo a máscara que elas usam acaba por cair, demonstrando a verdadeira natureza delas.

O amor verdadeiro é eterno e resistente a tudo, pois não há tempo ou temporal que o consiga derrubar. Não há distância que o desgaste ou problemas que ele não supere.

O amor verdadeiro não faz sofrer, pois é generoso e compreensivo. E quando o amor verdadeiro une dois corações nada consegue separar. Pois ele é mais forte que todas as forças da natureza, mais poderoso que a vida e a morte!

Hoje é o dia da mulher e por isso quero homenagear todas as mulheres que conheço. Vocês são incríveis, capazes de amarem de maneira profunda e de batalharem por aquilo que querem.

Mulheres são seres fortes por natureza. São batalhadoras, destemidas e gentis ao mesmo tempo. O mundo seria um lugar muito pior sem a presença delas.

Por isso, deixo aqui a minha homenagem. Feliz dia da mulher para elas que são exemplo de força e determinação!

O fermento é uma substância que excita outras substâncias, e nossa vida é sempre um fermento espiritual com que influenciamos as existências alheias.

Ninguém vive só.

Temos conosco milhares de expressões do pensamento dos outros e milhares de outras pessoas nos guardam a atuação mental, inevitavelmente.

Os raios de nossa influência entrosam-se com as emissões de quantos nos conhecem direta ou indiretamente, e pesam na balança do mundo para o bem ou para o mal.

Nossas palavras determinam palavras em quem nos ouve, e, toda vez que não formos sinceros, é provável que o interlocutor seja igualmente desleal.

Nossos modos e costumes geram modos e costumes da mesma natureza, em torno de nossos passos, mormente naqueles que se situam em posição inferior à nossa, nos círculos da experiência e do conhecimento.

Nossas atitudes e atos criam atitudes e atos do mesmo teor, em quantos nos rodeiam, porquanto aquilo que fazemos atinge o domínio da observação alheia, interferindo no centro de elaboração das forças mentais de nossos semelhantes.

O único processo, portanto, de reformar edificando é aceitar as sugestões do bem e praticá-las intensivamente, por intermédio de nossas ações.

Nas origens de nossas determinações, porém, reside a idéia.

A mente, em razão disso, é a sede de nossa atuação pessoal, onde estivermos.
Pensamento é fermentação espiritual. Em primeiro lugar estabelece atitudes, em segundo gera hábitos e, depois, governa expressões e palavras, através das quais a individualidade influencia na vida e no mundo.

Regenerado, pois, o pensamento de um homem, o caminho que o conduz ao Senhor se lhe revela reto e limpo.

(Emmanuel, O Espiritismo)