Mensagens de Falecimento

Numa casa havia duas cachorras. Uma falsa e mentirosa, a outra, sincera e de muito bom coração. Um dia a falsa foi pedir ajuda à amiga e companheira de moradia.

- Comadre, meus filhos estão para nascer. Será que você me cederia um cantinho da sua casa para que eu possa tê-los em segurança?
Comovida, a cachorra generosa permitiu que a outra se instalasse.
- Como minha casa não é grande, você fica sozinha com ela e eu me ajeito por aí até que seus filhos nasçam.
- Obrigada, minha amiga - agradeceu falsamente comovida a falsa.

A dona da casa dormiu três dias na rua. No quarto dia, ela voltou.
- Agora que seus flhos nasceram, eu quero minha casa de volta.
- Oh, mas veja como eles são bichinhos tão fraquinhos. Deixe-me ficar mais uma semana.
- Está bem, mas só mais uma semana.
Decorrido o prazo, lá veio outra desculpa esfarrapada:
- Meus filhos ainda estão muito pequenos, dê-me mais um mês.

E cada vez que a cachorra boa voltava, a malandra pedia mais tempo até que um dia, quando voltou a pedir que devolvesse sua casa, deu de cara com sete cães enormes que lhe arreganharam os dentes. Eram os filhotes da cachorra má que já haviam crescido.
- Você quer sua casa? Pois venha tomá-la.
E pularam no pescoço da cachorra boa, sangrando-lhe até a morte.

Moral da história: Expulsa o mal da tua casa e da tua vida antes que ele se fortaleça.

Hoje o dia é muito especial para todos nós! Esta é a data que traz à memória todos aqueles que amamos e que partiram cedo demais. Vamos fazer com que seja um dia de paz, tranquilidade e reflexão.

Eu sei que não é fácil aceitar que a vida ou a morte leve aqueles que tanto adoramos. Com saudade no coração com a saudade e a esperança em um reencontro, vamos celebrar a vida no dia de hoje!

Perdemos oportunidades; não ousamos tentar, por medo de errar. Perdemos afetos; não ousamos amar. Perdemos pessoas; não ousamos dizer “eu te amo”, “você é importante”. Perdemos descobertas; não ousamos experimentar coisas novas.

Perdemos tempo; não ousamos dizer não, nem sim. Perdemos personalidade; não ousamos “sacudir o barco”, dizer o que realmente pensamos. Perdemos vida, por que não ousamos viver. Sem uma certa dose de ousadia, a vida nada mais é do que um tedioso corredor da morte.

Há que se diferenciar ousadia de comportamento impensado (e até mesmo estúpido). Ousar é uma arte. Se você está pensando que ousar é dizer umas quantas verdades ao seu chefe, sem pensar nas consequências, está muito enganado!

A ousadia frutífera tem dois pilares: a coragem e a inteligência. Por tanto, não venha se queixar se acabar jogando fora seu emprego, inspirado neste texto!

(Blog Deusario)

Nenhum amor
se perde no vento
se esgota no tempo.

Nenhum amor
desvanece sem receio
desaparece sem medo.

Nenhum amor
é menor que a morte
ou maior que a sorte
de viver.

Nenhum amor
é chama ou fogo
ou água sem sede
de beber.

Você será sempre o homem que marcou minha vida, que fez meu coração sorrir e que deu um sentido para minha vida. E eu te amo!

E agora que você se foi a saudade já está machucando, sabe? Desejo que você parta em paz e que não falte harmonia nesse mundo que está prestes a conhecer!

Eu estarei aguardando o momento do nosso reencontro, porque uma história como a nossa não termina com a eterna despedida da morte! Vou honrar seu nome todos os dias e em todos os instantes, meu bem! Te amo.

Como uma sentença, todos vivemos nossas vidas na sombra do inevitável e terrível desfecho que é a morte. Uma certeza que mesmo assim, sempre nos consegue pegar de surpresa quando nos atinge através dos que mais amamos.

Foi assim que me senti quando você se foi, minha querida mãe. Quando abro os olhos a cada nova manhã, ainda penso estar vivendo um pesadelo, pois ainda passou pouco tempo e custa a acreditar que tudo isto é real.

Desde então minha alma vive em um luto carregado, em uma melancolia incurável, em uma saudade insustentável. Talvez a sabedoria popular prove ter razão e o tempo tudo melhore, talvez. Mas por enquanto saber que está para sempre longe, para sempre inalcançável, é a mais insuportável das ideias.

Minha querida mãe, não importa onde esteja agora, não importa quanto tempo tenho de esperar para a poder reencontrar além da vida. Esta saudade vai ser eterna, pois para sempre eu vou amar você!

Não acredito que exista algum obstáculo impossível de superar, e apenas a morte não tem volta. Por muito complicadas que às vezes pareçam as barreiras, ultrapassa-las trará sempre uma recompensa incrível, e por isso eu lhe peço: não desista da nossa amizade!

Você é muito especial para mim. Sem você, sem a sua amizade, minha vida ficará terrivelmente mais pobre, mais triste, mais apagada. Não ceda à tentação de desistir, não baixe os braços. Nossa amizade merece nosso investimento, nossa dedicação, ela merece que você tente, pelo menos.

E eu e você seremos dois lutando por essa linda e promissora amizade. Eu e você seremos duas pessoas que juntas serão mais fortes, que juntas continuarão a cultivar e compartilhar um dos sentimentos mais puros que existem: a amizade verdadeira!

Nunca desisto. O mundo pode desabar nas minhas costas e a carga ficar demasiado pesada, mas não desisto porque mereço vencer, e não abaixo os braços mesmo que acabe por algumas vezes perder.

A vida me ensinou que virar as costas à luta é declarar nossa própria morte antecipadamente. E eu sou uma guerreira que não cede ao medo, uma vencedora que nunca fugirá às adversidades.

A vida é um percurso às vezes demasiado complicado, e muitos de nós ficamos cansados e chegamos a perder a esperança de encontrar o pedaço do caminho sem tantas dificuldades. Chega a haver quem desista do caminho, quem pare de lutar por falta de forças.

Mas por mais difícil que às vezes pareça, há algo que você deve manter bem presente em sua mente: nada dura para sempre! Apenas a morte é definitiva, apenas para ela não existe um remédio ou uma alternativa. Para tudo resto, ainda que pareça que não, existe uma solução.

Tudo eventualmente acaba por mudar, por passar. Mas para isso você precisa acreditar e batalhar, nunca desistir, pois quando há vontade, quando acreditamos realmente, tudo pode ser possível, e sonhos se tornam reais!

A persistência compensa, a sua determinação, a sua luta pela superação, trarão frutos e uma recompensa que no final, valerá por todo sofrimento.

Encare as dificuldades como aquilo que elas são: momentos difíceis mas necessários de crescimento e aprendizagem, e muitas vezes também, oportunidades para mudar o que não está bem na sua vida.


Geralmente, em toda parte,
No ângulo mais sombrio
Dos recantos desprezados,
Vem a aranha e tece o fio.

Escura, silenciosa,
Atendendo ao próprio instinto,
Seja dia, seja noite,
Vai fazendo o labirinto.

Por manter o enorme enredo,
Insiste e nunca esmorece,
Condenar-se por si mesma
É seu único interesse.

Desdobrando movimentos
Nos impulsos insensatos,
Pratica perseguições,
Multiplica assassinatos.

Insetos despreocupados,
Na ilusão cariciosa,
Transformam-se em prisioneiros
Da pequena criminosa.

Satisfeita, a aranha escura.
Prossegue na horrenda lida,
Nos venenos que segrega
Traz a morte e suga a vida.

Mas um dia, o espanador,
Na luta material,
Vem e arranca essa infeliz
Das teias de horror do mal.

A aranha, porém, não cede,
Com teimosia e com arte,
Foge ao bem que se lhe fez,
E vai tecer noutra parte.

Quem medita na conduta
Dessa aranha renitente,
Encontra a cópia fiel
Da vida de muita gente.

A muitos presos do engano,
Deus envia a dor e as provas;
Mas, depois de liberdade,
Vão prender-se em redes novas.

Sempre que o amor desvendar
o céu para mim eu vou tentar
encontrar um espaço para nós
dois.

E sim – serei maior se tiver sua
companhia nos momentos cruéis
da vida e até nos mais belos da
morte.

Quando o amor chamar meu nome
eu quero escutar o seu, sem respirar
e sem outro ruído ou som ou vozes
perdidas.

E não – desistirei de procurar a paz
se é guerra que ela me oferece, mas
vou sempre lutar pelo seu melhor
sorriso.

Eu tinha medo, eu tinha medo do escuro, eu tinha medo da solidão, tinha medo de morrer. Eu costumava ter calafrios, imaginava fantasmas e não via as tragédias no telejornal. Eu era muito supersticiosa, não passava debaixo de escadas, fugia de gatos pretos e tinha medo da lua cheia.

E andava cheia de amuletos da sorte, e tinha medo de sonhar, de desejar algo e esse desejo não se realizar. Tinha medo de ouvir a minha voz, de dizer em voz alta o que queria. Tinha medo de amar, tinha medo de sofrer. Eu vivia escondida do mundo, debaixo da minha cama. Eu tinha medo do mundo.

Mas um dia percebi que já estava vivendo o meu maior medo: a minha vida estava passando e eu não estava vivendo. Eu já estava morrendo sem ver. Eu tinha medo de "nãos", e não percebia que não lutava pelo "sims". Percebi que na verdade estava vivendo com medo da vida, em vez de ter medo da morte. Foi aí que resolvi viver!

O amor que sentimos pelos nossos filhos é maior que qualquer outro. Vai além da vida, além de qualquer decepção. Pois é o único amor que é incondicional, altruísta, que apenas quer saber do outro.

Nossa felicidade está ligada à deles, mas se tivermos que sacrificar a nossa pela dos nossos filhos, nunca hesitaremos.

É um amor que escala montanhas se necessário, e é o único que cresce e bate forte no coração até ao seu último sopro de vida, e mais além.

Porque amar um filho é um compromisso eterno, que nem a morte é capaz de interromper.

Quando a morte chega e nos rouba um ente querido, facilmente nos entregamos à dor. Mas por muito que custe aceitar você deve confiar nos desígnios e planos de Deus. Mantenha a fé e a esperança; tenha força!

A melhor forma de honrar a pessoa que se foi é seguindo a sua vida e recordando sempre quem partiu. Reviver lembranças, contar as histórias dessa vida que acabou e prestando homenagem a quem se foi.

Lembre-se, enquanto viver no seu coração, na sua saudade, quem se foi nunca desaparecerá por completo! Meus sentimentos.

O amor verdadeiro é aquele que nada, nem ninguém, destrói. É um sentimento que perdura e supera todo tipo de obstáculos. É olhar a pessoa que amamos e saber que é ao seu lado que queremos estar, para sempre.

O amor verdadeiro é aquele que nem a separação ou a morte conseguem destruir. Ele persiste no coração e resiste a qualquer quantidade de tempo.

O amor verdadeiro é aquele que nos faz felizes e sorrir a toda hora. É o sentimento que nos prende a alguém sem nos fazer sentir prisioneiros.

No dia em que você se foi, chovia. No dia em que você se foi, a chuva ficou em meu coração e as nuvens negras tomaram conta da minha alma.

No dia em que você se foi, senti saudades do que não íamos viver. Senti saudades do que fomos. Uma saudade que me fulminava, enquanto via você partir.

Para a morte, não há explicação possível. A morte é a pior parte da vida. Não sei se ela é pior para quem vai ou para quem fica. Viver com a morte ao lado, sempre à espreita, esperando pela próxima oportunidade para levar aqueles que amamos é angustiante.

Mas para viver, às vezes é preciso esquecer a morte. Eu quero poder esquecer a sua morte e lembrar a sua vida. Hoje e para sempre quero lembrar do que vivemos, do tempo maravilhoso em que eu tive a sorte e a felicidade de ter você ao meu lado.

Eu quero poder espalhar essas nuvens e fazer a chuva parar; eu quero chegar ao fim do arco-íris e encontrar a paz que me trazia o seu sorriso para sentir novamente algum conforto e alegria no meu coração.

Desfez-se a sombra do mistério errante
E as vezes da Mansão Desconhecida,
Trazem Á morte estranha e indefinida
A mensagem da vida triunfante!

É a compassiva luz de Outro Levante
Revelando a beleza de Outra Vida,
Sol para Terra escura e irredimida,
Fé para a humanidade vacilante...

Há claridade sobre a noite imensa...
Cai a negra muralha da descrença
Aos lampejos celestes da verdade.

É a nova luz divina que se eleva
Nos turbilhões de lagrimas e treva
Trocando a senda para a Eternidade.

(Chico Xavier)

Deus. Ó Deus infante. O mais precioso filho do céu. Concebido pela união da graça divina com a nossa desgraça. Durma bem.

Durma bem. Banhado pela fresca da noite cravejada de diamantes. Durma bem, pois o fogo da ira ferve bem perto. Goze do silêncio do berço, pois o ruído do tumulto se faz sentir em seu futuro. Saboreie a doce segurança de meus braços, pois chegará breve o dia em que não poderei protegê-lo.

Descansem bem, mãos pequeninas. Pois apesar de pertencerem a um rei, vocês não tocarão o cetim, não possuirão ouro. Não pegarão numa pena, não guiarão um pincel. Não, suas mãos pequeninas foram reservadas para obras mais preciosas:
tocar a chaga viva de um leproso
enxugar a lágrima triste de uma viúva,
agarrar-se ao chão do Getsêmani.

Suas mãos, tão minúsculas, tão ternas, tão brancas — fechadas hoje em forma de punho infantil. Elas não foram destinadas a empunhar um cetro nem abanar do balcão de um palácio, mas reservadas para o cravo romano que irá pregá-las numa cruz romana.

Durmam bem, olhos pequeninos. Durmam enquanto podem. Pois logo virá a claridade e você vai ver a confusão que fizemos do seu mundo.

Verá nossa nudez, pois não podemos ocultar-nos.
Verá nosso egoísmo, pois não podemos dar.
Verá nossa dor, pois não podemos curar.
Ó olhos que verão o abismo escuro e seu terrível príncipe... durmam, por favor, durmam; durmam enquanto podem.

Fique quieta, boquinha pequenina. Fique quieta boca pela qual falará a eternidade.

Língua minúscula que em breve chamará os mortos,
que irá definir a graça,
que silenciará nossa insensatez.
Lábios de botão — sobre os quais paira um beijo de estrelas concedendo perdão para os que crerem em você, e de morte para os que o negarem — fiquem quietos.

Pezinhos pequeninos que cabem na palma de minha mão, descansem. Pois passos difíceis estão à sua frente.

Sentem o cheiro do pó das estradas que terão de palmilhar?

Sentem a água fria e salgada sobre as quais andarão? Recuam ao sentir o prego que terão de suportar? Temem a descida íngreme pela escada em espiral até o domínio de Satanás?

Descansem, pezinhos pequeninos. Descansem hoje para que amanhã possam andar com poder. Descansem. Pois milhares irão seguir os seus passos.

Pequeno coração... coração santo... bombeando o sangue da vida através do universo: quantas vezes iremos quebrantá-lo?

Você será dilacerado pelos espinhos de nossas acusações.
Você será devastado pelo câncer do nosso pecado.
Você será esmagado pelo peso de sua própria tristeza.
E será traspassado pela lança da nossa rejeição.
Todavia nesse ato de traspassar, nesse último rompimento de músculo e membrana, nessa precipitação final de sangue e água, Ele irá encontrar descanso. Suas mãos serão libertadas, Seus olhos verão a justiça, Seus lábios sorrirão, e Seus pés o levarão para casa.

E ali descansará de novo — desta vez nos braços do Pai.

(Max Lucado)

A morte é parte da vida, todos sabem disso, mas ninguém quer facilmente aceitar tal realidade. E com razão, pois ter de dizer adeus a quem amamos é simplesmente terrível.

Mas não deve encarar a morte como um ponto final, e antes como um ponto e vírgula, pois quem é amado de verdade jamais morre.

Recorde com saudade e amor, reviva momentos, guarde no coração e fale sobre a memória de quem partiu. Assim fará com que essa pessoa continue a viver através de você, como uma luz que brilha sútil mas constante em sua vida.

Os Samurais existiram por quase 8 séculos (século VIII ao XV), ocupando o mais alto status social porquanto existiu a ditadura militar nipônica denominada Shogunato. Pessoas treinadas desde pequenos para seguir o Bushido, o caminho do guerreiro.
O samurai era uma pessoa muito orgulhosa, tanto que se seu nome fosse desonrado ele executaria o seppuku, era preferível morrer com honra do que viver sem honra.
Seppuku, suicídio honrado de um samurai em que usa uma tanto (faca) e com ela enfia no estômago e puxa para cima cortanto tudo o que tem por dentro. Uma morte dolorosa e orgulhosa.

Inicialmente, os samurais eram apenas coletores de impostos e servidores civis do império. Era preciso homens fortes e qualificados para estabelecer a ordem e muitas vezes ir contra a vontade dos camponeses.

Posteriormente, por volta do século X, foi oficializado o termo "samurai", e este ganhou uma série de novas funções, como a militar. Nessa época, qualquer cidadão podia tornar-se um samurai, bastando para isso adestrar-se no Kobudo (artes marciais samurais), manter uma reputação e ser habilidoso o suficiente para ser contratado por um senhor feudal. Assim foi até o xogunato dos Tokugawa, iniciado em 1603, quando a classe dos samurais passou a ser uma casta. Assim, o título de "samurai" começou a ser passado de pai para filho.

Um grande samurai foi Miyamoto Musashi, um guerreiro que veio do campo, participou da batalha de Sekigahara e iniciou um longo caminho de aperfeiçoamento. Ele derrotou os Yoshioka em Kyoto e venceu o grande Sasaki Kojiro, outro grande samurai.
Pelo fim da era Tokugawa, os samurais eram burocratas aristocráticos ao serviço dos daimyo, com as suas espadas servindo para fins cerimoniais. Com as reformas da era Meiji, no final do século XIX, a classe dos samurais foi abolida e foi estabelecido um exército nacional ao estilo ocidental. O rígido código samurai, chamado bushido, ainda sobrevive, no entanto, na atual sociedade japonesa, tal como muitos outros aspectos do seu modo de vida.

Os Samurais, como classe social, deixaram de existir em 1868, com a restauração Meiji, quando o imperador retomou o poder do país.
Seu legado continua até nossos dias, influenciando não apenas a sociedade japonesa, mas também o ocidente.

(Uzukashi Ogawa)

Quando éramos crianças acreditávamos que vivíamos em um mundo cheio de fantasias! Pensávamos que podíamos ser qualquer coisa, pensávamos que os nossos pais eram super heróis e que nós um dia poderíamos voar. Pensávamos que a morte nunca iria chegar.

Mas o sino do tempo tocou e nós crescemos. A mágica da infância acabou e nós só nos demos conta quando percebemos que os anos haviam passado e que não conseguimos voar quando o caminho estava difícil.

Mas algumas vezes, se ficarmos muito atentos, ainda é possível ouvir novamente aquela canção que ouvíamos quando éramos crianças. A melodia nos vem à cabeça e podemos dar asas aos nossos sonhos, podemos desejar alcançar uma estrela, ou agarrar na cauda de um cometa e ir para lugares distantes.

Não somos mais crianças, mas ainda guardamos aquela criança dentro de nós. E sempre que possível, podemos e devemos despertá-la com uma melodia alegre.

No dia 9 de Agosto de 1988 faleceu o comediante mexicano Ramón Valdéz, o Seu Madruga do seriado “Chaves”. Nascido em setembro de 23, Ramón atuou em filmes e novelas, onde se destacam as produções cinematográficas “Calabacitas tiernas” e “Fuerte, audaz y valiente” e a tele-novela “Lupita” e teve seu próprio circo. Também participou do programa de Carlos Villagrán na Venezuela e de “Chapolin”, onde viveu diversos vilões, como o Racha-Cuca, Pistoleiro Veloz, Tripa Seca e o herói americano Super Sam.

Porém, nenhum personagem fez tanto sucesso como Seu Madruga, o mais carismático de toda a turma do Chaves. Ramón Valdéz brilhou em cena, nos episódios, as tramas sempre giravam em torno de seu personagem. Seu Madruga fez de tudo na série: foi cabeleireiro, treinador de futebol americano, carpinteiro, pugilista, entre outras profissões. A cada cena, uma dose de humor e sensibilidade que só os grandes artistas possuem.

Infelizmente, Ramón Valdéz fumava demais. O câncer no estômago acabou atingindo o pulmão e só foi descoberto quando não tinha mais saída. Internado num hospital da capital mexicana, Ramón foi operado no cóccix e faleceu devido a uma parada cardíaca. Mesmo passados tantos anos de sua morte, Ramón continua vivo na memória de todos os seus fãs que sempre aplaudem o seu talento ímpar para fazer rir.

(PG)
(PokeShiny)

Hoje você faria mais um aniversário, comemoraríamos e estaríamos juntos festejando esta data, mas você não está mais aqui e no lugar ficou um vazio que nunca será preenchido.

Sinto conforto em saber que a morte não é o fim e que existe um lugar lindo onde vamos nos reencontrar e passaremos a eternidade juntos em paz e plena harmonia.

Vou acender uma vela em sua homenagem, cantar parabéns e fazer votos de que você esteja aproveitando este descanso e que esteja feliz na companhia das pessoas amadas que, assim como você, já partiram deste plano material.

Nunca vou deixar de sentir a sua falta e continuarei a pensar em você todos dias.

Chegou a Páscoa mais uma vez. E na correria da vida, com tantos compromissos e tarefas para cumprir, muitas vezes esquecemos o que realmente importa nesta data. Será comprar? Comer? Isso é o que a sociedade quer colocar em frente aos nossos olhos. É essencial enxergar para lá da cortina de fumaça.

A Páscoa é a celebração daquilo que se faz novo. É valorizar a morte e a ressurreição de Jesus, que nos ama e quer ter um relacionamento com cada um.

Não sei como está o teu coração nesta data, mas a minha oração é que, assim como Jesus voltou à vida, que Deus também possa fazer renascer a tua alegria, a tua esperança e os sonhos que você pensava que não voltariam mais. Nem a morte conseguiu parar Jesus, por isso creia n’Ele e tudo será possível!

Boa Páscoa para todos os meus amigos e família!

Anjo, solte sua renda pelos campos verdes, de forma que sobre a relva tenhas poder
Anjo, liberte os corações, refrigera os males que o ardor do ódio faz
Anjo, ó anjo, traz, faz; com teus olhos verdes oliva iluminados pelo brilho do sol, faz
Anjo, faz me sentir como nuvens, que flutue contigo, ó anjo, se soubesses que desejo
o ar e invejo a chuva, farias de mim o que fazes com teus pássaros, libertarias minha alma
e deixarias eu pelejar sobre teu céu
Anjo, pós morte , observas o que fora destrinchado pela maldição do olho negro
ou apenas observas com afeto o que lhe seria amável
Anjo, tua renda vislumbraste desliza sobre as pedras do rio, teu cavalo
branco galopeia, forte, ávido a desvendar conexões novas entre o mundo do amor e o mundo natural
incessante desejo de aventura
Anjo, das carícias que fazes em meu rosto frio e apático, torna-me cada vez mais jovem
Anjo, faz-me voar, ó altura, que de tão longe a vejo e tão perto sinto
Anjo, que pela palavra és espírito, que pelo sentido oculto é carne, se faz presente
Anjo, ensina-me a extinguir a maldade, meus dias já não são calmos, manifeste-se Anjo
Rogo-te, pois a esperança não finda e a carne de meu corpo ainda suporta o meu pesar
Mostra-me o final deste tempo, e não apenas viverei nesse frenesi, consumido pela emoção
Anjo, ó anjo, esse sorriso que esboça com lábios vermelhos e delicadamente tracejados
só faz aumentar sua beleza, seu olhar intenso, lento, que me paralisa, êxtase incansável
Lança-me ao abismo mortal que devo a honra de gozar tal experimento com os braços fechados
Anjo, Anjo, Anjo, silêncio que precede o esporro, as guerras mortais é pura discórdia do amor
se conheces a necessidade da existência amenize o sofrer
Anjo, tentei dar socos no ar para tentar parar de chover, más minhas lágrimas fizeram parte das
águas cristalinas que caiam sobre minhas vestes, olhando para o chão molhado vi a traços do meu
rosto cansado e descobri que chegara a velhice
Anjo, por que te desejo? não sei bem certo a verdade de ti, só sei que vivo melhor quando desta não cogito.

Mesmo que nalgum momento pareça impossível, nada é! Apenas da morte não existe retorno, mas para tudo o resto, haverá sempre uma solução. Pode é não ser a que estávamos esperando.

Acredite, amiga, a felicidade está em suas mãos, e na maioria das vezes um dia mau é determinado por nós mesmos. Não são as coisas materiais ou tudo o que está fora de você que a farão feliz, é o que está dentro de você.

Isso explica porque há tantas pessoas que aparentemente não têm nada e são tão felizes, e outras que parecem ter tudo, tanto dinheiro, tantos bens, e são tão miseráveis. As primeiras são sábias, pois sabem que a felicidade vive em cada um de nós.

Seja feliz do seu jeito, amiga, e acredite sempre no seu valor, em todo o potencial que vive dentro de você, pois aí reside a riqueza de cada um!

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação;
de quem terei temor?
O Senhor é o meu forte refúgio;
de quem terei medo?”
Salmos 27:1

Perder alguém que amamos é doloroso, principalmente quando pensamos que a despedida é para sempre. Mas ainda que seja um sofrimento terrível, não se esqueça que a morte é apenas uma passagem, o encerrar de uma etapa.

Jesus disse que quem acredita nele ainda que morra, viverá (João 11:25-26), por isso tenha fé e na eternidade reencontrará aqueles que ama e um dia viu partirem antes de você.

Ore a Deus e peça para que Ele console seu coração nesta hora de dor e perda. Mas não tema nem se revolte. Confie no Senhor e na sua vontade, pois Ele é seu maior aliado, seu refúgio de todas as horas e o único que nunca abandonará você!

Dez é o numero da inteireza e da perfeição, e ele encaixa lindamente na descrição do nosso amor. Nestes dez meses de namoro que passaram temos aprendido um com o outro o que é a compreensão, a amizade e o respeito. Existe entre nós uma cumplicidade única que mais ninguém consegue decifrar.

Nem todas as palavras do mundo seriam suficientes para descrever o quanto amo você. Por isso quero continuar a dizê-lo com atitudes, com meu carinho e dedicação todos os dias da nossa vida, até que a morte nos separe.

Nas águas paradas não se movem os barcos, não há viagem, não há renovação. Parar, desistir é como se entregar à morte. Agitem-se as águas, despertem-se os corações, as mentes, acordem para o Senhor ou o tempo de vigília se acabará e nele deixaremos escapar a oportunidade de encontrar a Glória de Deus.

Como em cada aurora se encontra a esperança de um novo dia, assim no avivar de uma igreja se encontram a libertação e a salvação de todas as almas que esta congrega. Exaltemos para isso nossas vozes em oração, para com elas despertarmos nossa igreja da dormência em que deixamos ela cair, e no seu acordar retomarmos o verdadeiro e único caminho que nos levará ao Senhor.

Que Deus conforte você e sua família neste momento de angústia e sofrimento. Quando uma tragédia tão grande se abate diante dos nossos pés é difícil saber como lidar com tamanha contrariedade. Mas Deus está observando atentamente a luta que tem diante dos seus pés e certamente proverá a força que você precisa para suportar os sentimentos ruins.

Não se pode ignorar a ausência de alguém que amamos. Uma perda assim deixa cicatrizes profundas que às vezes nem o tempo pode apagar. As saudades apertam o peito, e o vazio acaba por trazer um tom cinzento aos dias. Ainda assim, a melhor forma de homenagear a partida de quem adormeceu na morte, é mantermos a cabeça erguida e continuarmos a batalhar constantemente pelo que ainda dá sentido à nossa vida.

Você e sua família estarão presentes nas minhas orações e meus pensamentos solidários sempre que precisar. Nunca estamos sozinhos quando temos pessoas que nos amam por perto. Não se deixe abater, pois nós estamos ao seu lado.