Mensagens de Reflexão


Nunca deixei as oportunidades passarem, porque nunca soube se a minha vida seria longa ou breve.

Quando eu quero alguma coisa, eu vou à luta, e arrisco! Quando quero me divertir, eu me divirto, saio, danço, dou muitas risadas. Quando quero ficar em casa sem ver ninguém, eu fico e curto a minha companhia.

Mas se as pessoas criticam, sabe o que eu faço?

Eu faço tudo de novo! Não me importo com o que os outros vão pensar. Pois sei que muitas pessoas não vivem, apenas sobrevivem, e eu não finjo que estou vivendo.

Sempre estarei muito ocupada em viver!

Porque eu só tenho uma vida e coragem nunca me faltou.

Ousadia tenho de sobra. Aprendi a ter ousadia com meu próprio coração, é ele quem manda na minha coragem.

Só preciso manter minha paz interna. A vida me ensinou que a paz está dentro de mim mesma!

(Blog da Madame)

A morte é o destino de todos. Ninguém lhe pode escapar, e na hora do adeus final todos somos iguais. Ela causa profunda dor, desespero, lágrimas e eternas saudades.

A morte provoca perdas irreparáveis e quebra corações, mas há algo que ela não pode, que é apagar das mentes e dos corações a lembrança e o amor daqueles que ela nos rouba.

Assim, quem realmente é amado jamais morre, jamais desaparece completamente. Sua memória prevalece na nossa saudade e pode atravessar gerações mesmo depois de ter falecido.

Essa é a melhor homenagem que podemos dar a quem vemos partir antes de nós. Lembrar sempre com carinho. Contar suas histórias. Recordar as datas importantes.

Dói muito ficar sem aqueles que amamos, mas o sofrimento é menor se pensarmos que é um adeus temporário, que apenas partiram primeiro, e se mantivermos sua memória viva.

Punhais e armas de fogo deixam
vestígios de sangue.
Bombas abalam edifícios e ruas.
Venenos terminam sendo detectados.
Mas a palavra destruidora consegue
despertar o Mal sem deixar pistas.

Crianças são condicionadas durante anos pelos pais,
artistas são impiedosamente criticados,
mulheres são sistematicamente massacradas
por comentários de seus maridos,
fiéis são mantidos longe da religião
por aqueles que se julgam capazes
de interpretar a voz de Deus.

Procure ver se você está utilizando esta arma.
Procure ver se estão utilizando esta arma em você.
E não permita nenhuma destas duas coisas.


(Paulo Coelho)

Uma pequena história sobre como obter a verdadeira sabedoria e tudo o que quiser.

Certa vez, um rapaz perguntou a um grande sábio como ele poderia obter a sabedoria infinita e tudo que desejar.

O sábio pediu ao rapaz para que o acompanhasse até um lago ali perto.

Chegando lá, o sábio mergulhou a cabeça do rapaz na água, ele começou a se debater, o sábio segurou mais um pouco e depois o soltou. Com o rapaz já recuperado, o sábio perguntou:

- O que você mais queria quando estava de baixo da água?

E ele respondeu:

- Respirar, é claro!!!!.

Então o sábio disse:

Quando você desejar a sabedoria tanto quanto queria respirar, você a conseguirá.

(Caderno de Mensagens)

O amor entre nós surgiu de uma forma natural, fruto de uma atração mutua que nos colocou no mesmo caminho. E é desse jeito que ele deve continuar, meu bem, crescendo ao ritmo do tempo, sem ciúmes e sentimentos compulsivos.

Tem sido muito bom ter você como meu namorado e eu não queria estar em outro lugar que não fosse do seu lado. Acredite que não há razões para temer. A paixão que nos mantém tão próximos nunca irá desaparecer.

Com certeza você já ouviu a expressão "entre marido e mulher, não se mete a colher". Pois é, mas se muitas pessoas se acham no direito de meter a colher, é porque alguém abriu a panela… Tenha muito cuidado com o que diz e para quem diz. O que acontece com um casal, na maioria das vezes, deve ser resolvido entre eles.

Quando desabafamos com um amigo ou amiga, sempre contamos a nossa versão da história e muitas vezes nos colocamos no lugar de vítima e o nosso parceiro se torna o vilão. Como desabafamos com os nossos amigos, eles tomam o nosso partido e querem nos ver longe dessa pessoa que tanto nos faz sofrer!

Abrir a boca para reclamar do casamento, do marido ou da mulher, é dar abertura para que os outros metam a colher no nosso tempero. Depois de aberta a panela, é difícil fechar! Todo mundo se acha no direito de opinar, de aconselhar, e até de cobrar! O casal acaba perdendo as referências e a percepção do que realmente está acontecendo entre eles.

Guarde os seus problemas e discussões de casal entre quatro paredes, a não ser que seja algo realmente grave. Muitas pessoas a falar ao mesmo tempo só causam ruído, e muito facilmente deixamos de ouvir a nossa própria voz. No final, quando decidimos ficar com aquela pessoa que tanto nos fez sofrer, como contamos aos amigos, ninguém entende como somos capazes.

Mas a verdade, é que só quem está dentro de uma relação é realmente capaz de saber o que se passa e qual a dimensão real das coisas. Preserve a sua vida conjugal, preserve a sua intimidade!

Não tenho pais, faço do céu e da terra os meus pais;
Não tenho lar, faço do meu corpo o meu lar;
Não tenho poder divino, faço da honestidade meu poder;
Não tenho meios, faço da docilidade meus meios;
Não tenho poder mágico, faço da personalidade minha magia;
Não tenho vida nem morte, faço do tempo a minha vida e minha morte;
Não tenho corpo, faço da fortaleça meu corpo;
Não tenho olhos, faço do relâmpago meus olhos;
Não tenho ouvidos, faço da sensibilidade meus ouvidos;
Não tenho membros, faço da prontidão meus membros;
Não tenho leis, faço da autoproteção minha lei;
Não tenho estratégias, faço da liberdade de matar e ressuscitar minha estratégia;
Não tenho forma, faço da astúcia minha forma;
Não tenho milagres, faço da justiça meus milagres;
Não tenho princípios, faço da adaptabilidade meus princípios;
Não tenho táticas, faço da rapidez a minha tática;
Não tenho amigos, faço da minha mente meu amigo;
Não tenho inimigos, faço da imprudência meu inimigo;
Não tenho armadura, faço da benevolência e da retidão minha armadura;
Não tenho castelo, faço da mente indomável meu castelo;
Não tenho espada, faço do sonho da minha mente minha espada.

Durante toda a história a morte sempre foi um dos assuntos mais questionados e até hoje certamente o mais especulado. São tantas perguntas sem respostas e tantas respostas duvidosas que no fim das contas, ainda permanece como algo que tem muito que ser explorado.

Há os que acreditam que simplesmente é o início de outra vida, ou ainda apenas uma breve partida. Tem aqueles que creem na morte como uma passagem para a eternidade.

Independentemente de religião, a morte deveria ser interpretada inversamente ao nascimento. Afinal, se há um começo, porque não haveria um fim? Mas o que virá após esse fim, eis o principal questionamento. A morte é mesmo só o começo do desconhecido, daquilo que ainda está de certa forma escondido.

A verdade mesmo é que podemos contar diversas histórias que supostamente simbolizam esse desfecho, mas o fato é que nunca realmente saberemos até o acontecimento do evento.

Eu não afirmei que apoiaria teus passos, mas dei-te discernimento para escolher os teus caminhos. Eu não te disse que só terias alegrias, mas dei-te força para superares as dores. Eu não te prometi riquezas materiais, mas dei-te potenciais para alcançares a fortuna.

Eu não te garanti familiares sempre dóceis e afáveis, mas coloquei em ti a exercitável tolerância. Eu não te presenteei com um mundo de paz, mas dei-te voz para levá-la aos quatro cantos dele. Eu não falei que o egoísmo não te abateria, mas dei-te o pão para ser dividido.

Eu não te imunizei contra vícios, mas dei-te competência para escolher o que te beneficia. Eu não reservei para ti apenas fiéis amigos, mas pus em ti capacidades de compreensão e de perdão. Eu não te assegurei que serias saudável sempre, mas te tangi com a Fé que pode sanar os males.

Eu não bradei que protegeria os teus pensamentos, mas deixei-te a inteligência para escolhê-los. Eu não te dei garantias de sucesso nem de fama, mas apliquei em ti talentos para alcançá-los. Eu não declarei que não terias decepções, mas dei-te o dom de intuir suspeitas intenções.

Eu não te deixei a ilusão de que todos te amariam: eu disse que EU te amaria para sempre e incondicionalmente. Eu não te prometo que terás tudo que posso dar-te, mas tudo te será dado se antes tu fizeres a tua parte.

Em todas as pessoas sábias, a humildade está presente. Poucos são os valores tão importantes como esse. É que ser humilde é saber viver de acordo com os maiores princípios do humanismo.

Independentemente de tudo que você anseia, de todos seus sonhos, a batalha e a vontade não são nunca suficientes. Saber ser modesto, justo e, acima de tudo, humilde é conhecer o caminho para seus objetivos. Não me refiro a ser humilde à força. Por obrigação soa sempre mal, soa a falsidade. É muito importante conhecer a humildade verdadeira, e aí meu caro, você encontrará a sabedoria porque ambas caminham juntas e nunca se anulam.

A modéstia e a simplicidade são irmãs da humildade, e quando ligadas, elas são essenciais para a gente tratar o próximo com a dignidade que ele merece. Quem vive dessa forma é um sabedor da vida e do Homem. É um sábio porque nunca vai passar por cima de valores como o respeito e atenção para ele mesmo e para com seu semelhante.

O hoje é o que temos de mais importante e todos os dias eu agradeço a Deus por esse presente que Ele me deu.

Eu acredito em Deus e na sua palavra e quem vive com a mesma fé que eu está a salvo de todo mal.

Se você observar a natureza, verá que ela depende o mínimo de esforço em seu funcionamento. A grama não se esforça para crescer, apenas cresce. O peixe não se esforça para nadar, apenas nada. As flores não se esforçam para abrir, apenas desabrocham. Os pássaros não tentam voar, apenas voam... Essa é a natureza intrínseca.

A Terra não se esforça para girar sobre seu eixo; é próprio de sua natureza girar sobre o seu eixo. É próprio de sua natureza girar a uma velocidade estonteante e rolar pelo espaço.

É da natureza dos bebês o estado de graça. É da natureza do Sol brilhar. É da natureza das Estrelas piscar e reluzir. E é da natureza Humana materializar seus sonhos... E quando seus atos são movidos pelo amor, não há perda de tempo, de energia e de esforço. Ao contrário, tudo se multiplica e acumula. Temos nossa grandeza!

Libere-se para vislumbrar a verdadeira grandeza do Universo: Sorria! Ame! Sinta-se feliz! Aceite-se! Permita-se!

A experiência é uma coisa muito interessante. É nos servindo dela que aprendemos grande parte daquilo que sabemos; por ela orientamos, muitas vezes, os nossos passos; com ela evitamos a repetição de dissabores e procuramos aquilo que já sabemos ser bom. A experiência poderia servir para que a nossa vida fosse muito mais previsível e controlável, mais cômoda e segura, livre de problemas. Uma chatice, enfim... Felizmente, a natureza possui aspetos desconcertantes que têm o condão de permitir que, apesar de existir a experiência, a nossa vida seja em cada um dos seus momentos uma aventura louca e sem destino previsível. Um deles é que a experiência que adquirimos numa fase da nossa vida não nos serve de nada quando chegamos à fase seguinte. Apesar da experiência que vamos adquirindo, chegamos, a cada uma das nossas épocas, inexperientes e inseguros como da primeira vez. A vida, na sua magnífica diversidade, vai nos oferecendo constantemente novas situações, para as quais nunca estamos verdadeiramente preparados. Algumas são duras: um fracasso grande, uma doença que veio para ficar, a morte de alguém que nos faz falta... Estas limitações da experiência nos forçam a crescer continuamente; nos mantêm tensos, esforçados. Permitem que tenhamos constantemente objetivos diferentes. Dão colorido à nossa vida. É assim que nos podemos manter de algum modo jovens em qualquer idade. Quem programou este jogo da vida o fez de forma a que ele tivesse sempre interesse.
Subimos de nível, saltamos do material para o espiritual, varia o grau de dificuldade, mudam os adversários e o ambiente - como nos jogos electrônicos... Não somos poupados a sofrimentos, mas nos é dada a possibilidade de reagir e continuar a avançar. Se temos saudade do que ficou atrás, também nos é permitido sonhar com o que está adiante. Se conservamos o sabor de derrotas que tivemos, também planeamos a vitória que se segue. No jogo da vida, as derrotas deixam marcas, as feridas fazem mesmo doer, muitas vezes não recuperamos aquilo que perdemos. Estamos ancorados à realidade e, por isso, para nos divertirmos, para nos sentirmos como aventureiros no meio de tudo isto, temos necessidade de coragem. E de não calarmos aquilo que dentro de nós nos chama a um sonho, clama por aventura, pede para fazermos com a vida qualquer coisa que seja grande. Poderíamos dar ouvidos ao medíocre que quer se instalar em nós. E evitar, por medo e preguiça, as dificuldades, as complicações, o sonho. Mas "evitar o perigo não é, a longo prazo, tão seguro quanto se expor ao perigo. A vida é uma aventura ousada ou, então, não é nada".

(Helen Keller)
(Shvoong)

Sozinho eu não irei conseguir, eu preciso da tua ajuda para conseguir tocar o céu, me de sua mão e não largue mais, afinal não posso te perder. Algumas coisas não planejamos, apenas acontecem, então quero que minha história seja escrita ao lado da tua. Não quero apenas deixar pegadas na areia porque assim como elas são escritas com facilidade elas desaparecem do mesmo jeito quando a maré sobe, mas quero deixar palavras em teu coração porque só assim terei certeza que não serão esquecidas.

(Um Garoto Disse)

Sei que não temos conseguido ter o melhor dos relacionamentos, mas você é minha sogra, a mãe do meu marido e o respeito que eu tenho por você me leva a querer que tudo melhore entre nós.

Nós divergimos em alguns assuntos e somos diferentes em várias coisas, mas temos em comum o facto de gostarmos muito da mesma pessoa. Sim, vamos tentar que haja paz entre nós, porque dessa forma seu filho se sentirá mais feliz.

Bem Aventurados são aqueles que mostram compreensão quando meus passos são incertos e minha mão treme.
Bem Aventurados os que compreendem que meus ouvidos nem tudo podem ouvir.
Bem Aventurados aqueles que aceitam que não enchergo bem e não posso acompanha-los.
Bem Aventurados aqueles que fingem não notarque derrubo e sujo coisas na mesa.
Bem Aventurados aqueles que param um momento para bater um papinho comigo.
Bem Aventurados aqueles que nunca dizem: - Você já contou isso...
Bem Aventurados aqueles que me deixam contar coisas do passado.
Bem Aventurados aqueles que fazem sentir que me amam, que não estou sozinho.
Bem Aventurados aqueles que me respeitam quando tenho dificuldade em carrgar minha cruz.
Bem Aventurados os que me ajudam por sua bondade a encontrar o caminho para o Pai Bondoso.

Nunca perca a oportunidade de aprender com uma dificuldade. Aprender geralmente é destruir uma visão e construir uma nova perspectiva

Quando alguém pára e se questiona sobre os motivos de estar enfrentando um problema, infelizmente, a maioria encontra a resposta do modo errado: culpando o outro. A culpa é do chefe, do companheiro, dos pais, do empregado.

O outro nunca é a resposta para os seus problemas. Se você não aprender com a dificuldade, vai repeti-la ao infinito. Vai trocar de emprego, de companheiro, de empregados... mas, quando perceber, trocou as pessoas e o problema continua o mesmo, e se repete.

As dificuldades são oportunidades de aprendizado, e quando perdemos essa lição a dor se torna inútil.

Para todo problema existe solução. Aliás, essa é uma definição: problema é um acontecimento sempre acompanhado de solução. Quando você não tiver uma solução, será necessário definir qual é o problema.

Você descobre que não tem dinheiro para pagar as contas. Está bem, não ter dinheiro é um problema, principalmente se os credores estão lhe cobrando e os juros aumentando. A solução certamente se inicia pelo corte de gastos, continua com uma negociação com os credores e alguma ação para ganhar mais dinheiro. No final, houve aprendizado nessa situação que parecia ter apenas um lado negativo. Você:

- Aprendeu a gastar de acordo com os seus rendimentos
- Aprendeu a ser humilde para negociar com os credores
- Aprendeu a ganhar mais

A solução sempre existe! E, na maior parte das vezes, a pessoa sabe qual é. O difícil é ter a coragem de realizá-la. Nunca perca a oportunidade de aprender com uma dificuldade. Aprender geralmente é destruir uma visão e construir uma nova perspectiva.
E, principalmente, tenha certeza de que o problema será resolvido. Se você tiver alguma dúvida, pense desta maneira: se morresse agora, qual seria a evolução do problema? Percebeu? Ele será resolvido de alguma maneira.

A única coisa que não funciona é jogar no outro a responsabilidade de suas dificuldades. O ódio bloqueia a criatividade e só piora as coisas. As pessoas que alguém chama de inimigos são os melhores mestres que a vida nos oferta por ajudar-nos a aprender as lições de crescimento. Eles nos mantêm acordados para poder evoluir. Depois que você resolve uma dificuldade, agradece a essa pessoa por ensinar-lhe uma lição. Por isso, Luís Gasparetto já falou: "Perdoar é descobrir que você não tem razão nenhuma para perdoar; é apenas viver o aprendizado. Isso só acontece quando você aproveita a oportunidade para crescer". Se carrega ódio de alguém, pense na lição que você tem a aprender e sua vida será muito melhor.

(Roberto Shinyashiki)
(UOL)

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto e algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda... elegância é uma delas!

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.
O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta. É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais: nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É "desligar o radar", o telefone, quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção na sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Chique do Chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância e falsidade.

Mas, para ser Chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos, sem levar nada material deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem.

Lembre-se: o diabo parece Chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

(Glória Kalil)

Um novo dia representa um mundo de surpresas, um universo de momentos inesquecíveis e uma infinidade de sensações. Essa é a bênção da vida, e só precisamos aceitá-la com um abraço a cada manhã.

Na verdade, a vida serve para ser vivida intensamente. Ela representa esperança, força, fé! Toda nova luz do sol é sinal que milagres acontecem a toda a hora. Seja feliz! Viva a Vida!

Sou infantil em acreditar num amor impossível vivo num
mundinho que nenhum mal pode me alcançar, esqueço de viver
a realidade, a realidade dói o sonho quando começa a doer
tem como mudar ele.

Só que esse mundinho dos sonhos não temos condições de ser
feliz por completo, esse mundinho medíocre em que vivo, está
rodeado por altos muros onde não consigo enxergar a realidade
fora dele.

Preciso de alguém pra poder ajudar-me a destruir esse muro.
Mas tenho medo do que vou encontrar lá fora.
Tenho pavor do que possa me acontecer depois que sair daqui.
O que faço ó Pai, só você pra poder me guiar por este estranho
caminho, preciso de seu apoio, de suas mãos a me guiar.

Ó Pai qual caminho a seguir?
Qual tijolo deve tirar primeiro, o do medo ou da timidez ou
tantas as outras que coloquei nesse muro...

Pai torna os meus olhos os seus.
Faça com que eu enxergue tudo de maneira mais clara, faça
com que eu não tenha mais medo das outras pessoas.

Pai me tire desse mundinho de solidão, ajuda-me livrar desta
agonia, desse desespero que assola minha vida.

Daí-me mais tranqüilidade. Segure-me tenho medo de caminhar,
ajude-me estou com medo, proteja-me do mal que eu mesma criei,
ensina-me a acreditar nos outros e o mais importante ensina-me
a amar assim como o Senhor nos amou, sem pedir nada em troca,
sem cobrar dos outros aquilo que não temos em nós mesmos.

Morar numa casa mais o menos
Morar numa rua mais o menos
Morar numa cidade mais o menos
e até ter um governo mais o menos

A gente pode
Dormir numa cama mais o menos
Comer um beijão mais o menos
Ter um carro mais ou menos,
e até ser obrigado a acreditar mais
ou menos no futuro.

A gente pode
Olhar em volta e sentir que tudo
está mais ou menos.

TUDO BEM

O que a gente não pode mesmo,
nunca, de jeito nenhum,
É amar mais ou menos
É sonhar mais ou menos
É ser amigo mais ou menos
É ter fé mais ou menos,
Senão a gente corre o risco de se
tornar uma pessoa mais ou menos.

(Chico Xavier)

Dizem que o amor é cego e eu discordo plenamente. O amor verdadeiro, o amor sincero, não é cego, o amor tudo vê e aceita. Quando há amor de verdade todas as outras coisas ficam pequenas, todos os pequenos defeitos não têm importância. Afinal, o que pode ser maior do que o amor?

O amor é capaz de tolerar todas as manias; o amor reconhece as fraquezas e inseguranças; o amor sabe exatamente qual é o seu papel em nossas vidas. O amor é maduro, é sólido, é forte.

A paixão é que é cega. A paixão teme ver, pois ainda não é um sentimento forte o suficiente para tolerar aquilo que não gostamos no outro. A paixão é frágil e muitas vezes não chega a se tornar amor quando se depara com aquilo que consideramos defeitos. Já o amor é capaz de sobreviver mesmo em tempos difíceis e de transição.

Em alguns momentos de vida, é preciso saber a hora de colocar um ponto final e fechar certos capítulos da sua vida para poder começar outros. Enquanto você continuar olhando para o passado e relendo os capítulos anteriores, não conseguirá avançar.

Por mais difícil que pareça, há momentos na vida em que é preciso tomar decisões e muitas vezes, a decisão mais acertada é desistir de algo, porque a vida é muito mais como você reage ao que lhe acontece do que acontecimentos em si.

A vida é feita de momentos, e não se deve esperar por eles, deve-se criá-los. E se você fica demasiado preso ao passado, acaba por ficar fechado a novas possibilidades e momentos.

Algumas vezes, a nossa única saída é fazer algo que tememos. E fechar capítulos é uma dessas coisas. Mas aprenda a colocar pontos finais. Saiba quando deve desistir de algo. Aprenda a virar a a página para começar um novo capítulo.

... um conjunto de sete dias, ou as infinitas possibilidades que cada um deles nos oferece. Muitas horas de trabalho, ou a possibilidade de sonhar, de conquistar e de brilhar.

... uma segunda-feira, uma terça-feira, uma quarta-feira, uma quinta-feira, uma sexta-feira e por fim um final de semana. Ou então é a dádiva de sete dias maravilhosos, e de em cada um deles poder descobrir um desafio, uma oportunidade de amar, de sorrir, de fazer alguém feliz.

Uma semana é aquilo que você quiser fazer dela, pois a vida é sua e a escolha de viver o melhor que souber e quiser, também! Então escolha o que há de melhor e transforme cada dia no mais especial da sua vida. Tenha uma semana maravilhosa!

Sempre permaneça aventureiro.
Por nenhum momento se esqueça de que
a vida pertence aos que investigam.
Ela não pertence ao estático;
Ela pertence ao que flui.
Nunca se torne um reservatório,
sempre permaneça um rio.

Osho

Aquele velho ditado que diz que só valorizamos algo depois que perdemos, se encaixa perfeitamente quando o assunto é a liberdade. Vemos tantas pessoas presas em uma vida que nunca desejaram, ou trabalhando todos os dias em uma profissão que não se identifica com elas, tornando a sua vida um eterno fardo.

Ser livre para escolher como gostaria de viver é algo essencial para alcançar a felicidade. A submissão que assistimos por todos os lados deveria ser abominável, pois a cada dia que vemos a vontade própria de algumas pessoas ser anulada, o caminho para a derrota passa a ficar cada vez mais curto.

Infelizmente muitas pessoas se veem sem muitas escolhas, mas precisamos compreender que a liberdade é nosso maior triunfo e não podemos abrir mão dela. Muitas vezes pode não ser fácil, mas com certeza é menos difícil que tentar e depender daquilo que não o agrada.

Neste momento,
penso em você e então
quisera me transformar em vento.
E se assim fosse,
chegaria agora como brisa fresca
e tocaria leve sua janela.
E se você me escuta e
me permite entrar,
em você vou me enroscar
quase sem o tocar.
Vou roçar nos seus cabelos,
soprar mansinho no ouvido,
beijar sua boca macia,
o embalar no meu carinho
Mas eu não sou vento...
Agora sou só pensamento e
estou pensando em você.
E se abrir sua janela,
eu estou chegando aí,
agora...
neste momento,
em pensamento...
no vento.


(Roberto Shinyashiki)

Ninguém tem culpa
daquilo que não fomos.
Não ouve erros.
Nem cálculos falhados.
Sobre a estipe de papel;
Apenas não somos os calculistas.
Porem os calculados.
Não somos os desenhistas.
Mas os desenhados.
E muito menos escrevemos versos.
E sim somos escritos.
Ninguém é culpado de nada.
Neste estranhar constante.
Ao longe uma chuva fina.
Molha aquilo que não fomos...


(Paulo Bonfim)

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dóem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Dóem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.

(Martha Medeiros)